quinta-feira, 20 de agosto de 2015

CONTRA MAS A FAVOR

Quem gosta de absurdos também foi bem servido pelas passeatas de hoje. Como esse aí do lado, que fustiga ao mesmo tempo um algoz do governo e o seu mais importante ministro. Não foi o único: o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de gente se dizendo contra o impeachment mas criticando a presidenta (nesse ponto, tamo junto!). O apoio a Dilma está longe de ser amplo e irrestrito, o que só demonstra a fraqueza política dela. Mas a incoerência também campeia no lado que pede seu afastamento. Como já disse muitas vezes, ninguém pode ser a favor da Lava-Jato e defender Eduardo Cunha. Infelizmente, esse parece ser um retrato acabado do Brasil de hoje. Todo mundo é contra, mas também é a favor.

14 comentários:

  1. Relaxa Tony. O Brasil se unirá em torno de uma figura carismática assim que surgir o Donald J. Trump brasileiro, que vocalizará todos os impropérios que compõem a alma do brasileiro, mas sem se ancorar em nenhum espectro político em particular. Falará que os estrangeiros bolivianos e haitianos devem ser chutados do país. Insultará mulheres e fará todos rirem da menstruação de uma apresentadora da Globo. Dirá que tem amigos gays maravilhosos, mas que é contra o casamento igualitário porque é tradicionalista em relação ao matrimônio, apesar de ter se casado 3 vezes.

    Em resumo, é um Bolsonaro menos milico, que odeia mais os estrangeiros e é menos homofóbico. Anota aí, quem assumir esse personagem será o próximo presidente brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. Agora, se tá difícil pra Dilma, imagina pro Tsipiras.

    ResponderExcluir
  3. Caiado ou onix seriam perfeitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onyx, evangelico homofobico. Mais um...

      Excluir
  4. Tony, não vejo nada de incoerente em alguém ser contra o impeachment e ao mesmo tempo não concordar com tudo que a Presidente faz, nem aprovar todas suas escolhas ministeriais. Isso é não ser binário e mostra inteligência e maturidade política, ao contrario dos eleitores do PSDB, que doutrinados pela Veja acham que até uma nevasca no Alasca é culpa do PT. Ou vai me dizer que esse exemplo que ilustra seu post é pior que o "volta Sarney", o "somos milhões de Cunhas contra a corrupção" ou o "deveriam ter morrido todos em 64" entre tantos mais que vimos às baciadas no domingo passado?

    ResponderExcluir
  5. Concordo. Não vejo absurdo nenhum aí.
    Pelo contrário: os protestos foram organizados pelos movimentos sociais que, apesar de contrários ao impeachment, sempre criticaram a política econômica adotada pelo PT.

    ResponderExcluir
  6. Ahhhh b. A crise é mundial, a crise é do capitalismo, um sistema patético e depois do neo liberalismo desgringolou de vez. Olha as açoes do mercado americano hoje qq tá rolando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem crise. Quem fala que tem crise é a classe média que acha que o capitalismo foi criado para elas. O capitalismo está funcionando do jeitinho que foi planejado, acumulando riquezas nas mãos de poucos, comprando democracias e privatizando cada centímetro cúbico de terra minimamente aproveitável.

      Excluir
  7. O mio babbino caro
    O fato de ser crítico à Dilma não implica em apoiar o impeachment. O biotipo médio dos manisfestantes, incomodamente revela muito sobre o atual momento, mas colocar o dedo nessa ferida remonta à muito Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Performance à chacina de Osasco ou fotos com a trope de choque.

      Excluir
  8. mas gente, quem q tá a favor do cunha? tirando os engravatados do planalto, não conheço um cidadão que apoie esse cara. nem mesmo quem votou no aécio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engano seu, o Paulinho da Força Sindical e mais outros estão apoiando ele.

      Excluir
    2. Paulinho da Força é um ladrão, na dúvida em quem repudiar na política, veja de que lado ele está.

      Excluir