sexta-feira, 31 de julho de 2015

TOCHAS E ANCINHOS VIRTUAIS

"So You've Been Publicly Shamed" é um dos livros mais importantes do ano, porque fala de um fenômeno típico da nossa era: o "tribunal da internet", um assunto recorrente na minha coluna no F5. O jornalista britânico Jon Ronson descreve com humor e leveza alguns casos que quase terminaram em tragédia. Como o de Justine Sacco, que tuitou uma piada que podia ser lida como racista antes de embarcar num voo para a África do Sul. Quando ela desembarcou 14 horas depois, seu nome era o "trending topic" no. 1 do planeta, e ela já havia perdido o emprego. Há também o cara que contou uma piada machista para um amigo e foi ouvido e fotografado por uma mulher. Ela postou a gracinha no Twitter; seguiu-se um furor sacrossanto e o tal do cara também foi demitido. Mas aí os amigos dele partiram para o ataque à mulher, e seguiu-se um novo furor e uma nova demissão. Ronson analisa os antecedentes dessa sanha moralista  e volta aos pelourinhos, usados até o século 19. Também entrevista gente que deu a volta por cima e profissionais de empresas especializadas em limpar reputações, um negócio que está bombando. Mas ele não chega a formular uma hipótese sobre esse comportamento de manada, que faz com que de repente todos nós nos sintamos autorizados a avancar com tochas e ancinhos virtuais sobre uma pessoa que nem conhecemos (o exemplo da semana é o dentista que matou o leão Cecil: pelo menos neste episódio há uma vítima concreta). Por outro lado, há uma informação interessante e que merece ser lembrada. Pessoas que alimentam fantasias assassinas (e quem não alimenta?) geralmente têm por suas vítimas imaginárias não ladrões ou estupradores, mas os malvados que as humilharam no passado - patrões, professores e "bulliers" em geral. De vez em quando alguém concretiza esses delírios, como o maluco que abriu fogo alguns anos atrás na escola carioca onde estudou. Então, cuidado na próxima vez que você for zoar alguém nas redes sociais. O recalque é a mamadeira dos "serial killers".

6 comentários:

  1. Tony, com a internet os problemas e cinismo da sociedade ficaram muito obvios. A gente não suporta viver de forma democrática. Como a ostentaçao se tornou algo cafona e de novo rico e a classe média educada mas com as contas apertadas da crise nao conseguem mas fazer o carão de antes sem ser desmascarada no tribunal da internet que tudo sabe e vê, vc acha que a única saída dessa sinuca para continuarmos a sermos destacados e finos seria tornar-se um "menino AA"?

    ResponderExcluir
  2. Já tinha a famosa e finada comunidade no orkut "Só não matei por medo do CSI".

    ResponderExcluir
  3. Quem faz cyber-bullying merece mesmo ser caçado e demitido, porque seu comportamento tem, sim, vítimas, e às vezes muito mais numerosas e mais frágeis que o leão Cecil.
    Os pelourinhos eram usados contra pessoas que nada tinham feito para merecer o castigo e "sanha moral" e "politicamente correto" nada mais são que expressões depreciativas que alguns usam pra se sentirem livres e irresponsáveis por atos que atingem a dignidade de cada um, e muitas vezes dos mais fracos.
    Já quem se acha engraçadinho ao fazer uma piada racista, sexista ou coisa que o valha, e ainda é imbecil o suficiente pra fazer isso em praça pública(a internet) tem mesmo é que ser atingido pela própria ignorância e violência.
    Não vamos confundir vítimas com agressores, ainda que estes vistam-se de personalidades "adoráveis", "simpáticas" ou "engraçadas".
    Os mais competentes criminosos são os que nem parecem que são...
    Curioso como nos tempos modernos atitudes de respeito ao outro, à lei, à natureza, etc, viraram sinônimo de ser "chato", "sem senso de humor", etc...
    Mas valeu pela indicação! Vou ler o livro.

    ResponderExcluir
  4. Povo sai falando monte de merda e quer se sentir coitadinho injustiçado pelo tribunal da internet? Quer ter direito a opinião? Aprenda e arcar com ela. Em vez de ficar de coitadismo. Certas reputações se mancham talvez para sempre, vide o amigo do blogueiro.

    ResponderExcluir
  5. Na década de 1970, o capitalismo e a civilização ocidental tinham dois grandes opositores: um externo e outro interno; o socialismo e a ideologia hippie (bem como suas variações) respectivamente.

    Hoje, o inimigo externo está completamente desmoralizado, pois fica difícil criar uma fachada ilusória quando a informação viaja na velocidade da luz. Já o interno tornou-se uma besta enfurecida, valendo-se do acirramento dos chamados 'movimentos sociais'. A intenção, não se enganem, é controlar ou regular tudo e todos (da caça esportiva à tweets, do consumo individual ao livre pensamento, passando até mesmo pelo senso de humor alheio).

    ResponderExcluir
  6. As pessoas tem de aprender a cuidar de suas vidas, e foi por não saberem fazer isso que se iniciou o facepoop, e ai, como todos conhecem o velho olho gordo, não podia se esperar menos que pessoas invejosas falando mal, o problema é quando o invejoso tem a ferramenta para ferir. a mulher do caso que terminou em demissão deveria aprender a olhar pro próprio nariz, piadas em círculos internos sempre existirão e sempre vão existir sendo racistas, machistas ou não, penso eu que não era sobre a mulher em questão que falavam, então ela não tinha nada que se ofender, ou se sentir obrigada a estragar a vida de uma pessoa, por conta de uma piada que não à envolvia, o mesmo para esses moralista, certinhos e cretinos onde sua vida se resume a comentários opositores e opressivos, e no fim nem imaginam que é uma pessoa como ele do outro lado aprendendo com seus erros, ou melhor aprendendo a não dar chance para os mesmos. saia do face vá ler um livro e encontrar amigos, ou trabalhar.

    ResponderExcluir