domingo, 12 de julho de 2015

TELENOVELA EM ALEMÃO


Já fizeram tanto filme sobre a 2a. Guerra Mundial, mas TANTO filme, que parece que não há mais histórias para contar. Quem insiste acaba resvalando para a inverosimilhança: é o caso de "Phoenix", que se apresenta como um drama sério mas no fundo não passa de uma telenovela mexicana falada em alemão. O melodrama permite muitos descalabros, mas quando a chave é realista como aqui, o espectador simplesmente não compra o que está se passando na tela. E o que se passa? Logo depois da guerra, uma judia sai de um campo de concentração desfigurada. Um cirurgião plástico reconstitui seu rosto, e ela parte em busca do marido. Que não a reconhece... Até aí zuzo bem, se todo o resto da humanidade também não a reconhecesse. Acontece que até empregados de hotel a identificam de longe. Para piorar, o marido a convence a se passar por ela mesma, que ele julga morta, e assim por a mão no dinheiro da suposta falecida. Mas peraí, ele não seria o herdeiro? Nada faz o menor sentido. E, se havia alguma metáfora do tipo "os alemães não conseguem encarar o que fizeram com os judeus", ela ficou presa na alfândega.

6 comentários:

  1. Ahhhhh:( achei q fosse bom

    ResponderExcluir
  2. Falando de judeus, vc poderia comentar os comentários do pessoal no canal põe na roda sobre tel aviv. Comentários de 1 cara que apareceu no vídeos dizendo q lá em Isral não existe guerra, outro dizendo que Israel mata palestinos, outro que tem q matar palestinos msm,pq ele querem ver os gays mortos. Bom gostei do vídeo e fiquei tentado a visitar Tel Avivi um dia, mas mesmo com seus problemas prefiro viver no Brasil onde o estado ainda é laico e teoricamente todos devem se respeitar. Não sei se o estado de Israel é laico ou não.

    ResponderExcluir
  3. O mio babbino caro
    2a. Guerra Mundial/ um drama sério
    ...A poesia fugiu dos livros, agora está nos jornais.
    Os telegramas de Moscou repetem Homero.
    Mas Homero é velho. Os telegramas cantam um mundo novo
    que nós, na escuridão, ignorávamos.
    Fomos encontrá-lo em ti, cidade destruída,
    na paz de tuas ruas mortas mas não conformadas,
    no teu arquejo de vida mais forte que o estouro das bombas,
    na tua fria vontade de resistir....
    (CDA)

    ResponderExcluir
  4. O filme foi co-produzido por duas televisões públicas alemãs, a Bayerischer Rundfunk (BR) e a Westdeutscher Rundfunk (WDR). E a televisão alemã não é muito famosa pela qualidade das suas produções. Aqui ainda produzem "scripted realities". Novelinhas com não atores que dão vontade de arrancar os olhos.

    ResponderExcluir
  5. Affe...os judeus dominam a indústria do cinema, é uma hegemonia monopólio deles...mas seria bom se n fosse assim, monopólio sempre é ruim mas o cinema é uma arma de propaganda poderosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já sabe o que vai "ouvir" pelo comentário né. Que Stalingrado que nada...20 Milhões de Soviéticos mortos também é um holocausto.

      Excluir