quinta-feira, 9 de julho de 2015

FORA DE ÉPOCA


João do Rio é um tesouro semi-oculto da cultura brasileira. Esse escritor gay, gordo e mulato deixou dezenas de contos, novelas e ensaios que revelam a sociedade carioca do começo do século passado, sempre com muito amor e uma certa dose de perversão. Era um crime o cinema ignorar sua obra. Infelizmente, "Muitos Homens num Só" - baseado em seu livro "Memórias de um Rato de Hotel" - não cumpre a missão a contento. O roteiro até incorpora algumas outras histórias de João do Rio, se bem que meio a fórceps. E toda a parte técnica está fenomenal: fotografia, figurinos e uma direção de arte que sabe tirar o máximo do que sobrou do Rio de Janeiro da belle époque. O ponto fraco, quem diria, é o elenco. Principalmente Alice Braga, uma decepção. Ela continua luminosa em cena (e não se parece com sua tia Sonia, mas com Regina Duarte), mas sua interpretação das falas que lhe deram (que já eram meio duras, vá lá) é simplesmente amadorística. Faltam filmes pequenos e elegantes no cinema brasileiro, ainda mais baseados na nossa literatura. "Muitos Homens num Só" bem que tentou, mas vai continuar faltando.

18 comentários:

  1. Falando em autores gays, Tony, porque raios ate hoje o cinema americano não produziu um dos livros mais polêmicos de Gore Vidal, A Cidade e o Pilar? Tenho esperanças de que um dia ainda façam!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A Cidade e o Pilar" daria um filme pornô sensacional, com história e produção requintada. Já pensou? Um drama intenso, com cenas quentíssimas de sexo explícito gay. Quem se habilita?

      Excluir
    2. Tony,

      Aonde posso encontrar? Joguei no site da livraria cultura e não encontrei.

      abraço!

      Excluir
    3. Anonimo, esse livro parece que esta fora de catalogo. Tambem nao encontro em lugar nenhum, nem em sebos!

      Excluir
    4. Trocaria, "um dos livros mais polêmicos de Gore Vidal", por um dos MELHORES livros de Gore Vidal. Vai ver que Hollywood censurou ehehe

      Excluir
  2. Q pena, plata quemada meu filme favorito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ?????? O QUE TEM A VER...TONY EXPLICA???

      Excluir
  3. Eu assisti o filme e respeito sua opinião,mas discordo da sua opinião sobre Alice. Ela vem da escola do cinema, ela não interpreta de forma amadora as falas, na verdade ela fala de forma natural a falas, isso é caracteristica comum de atores com formação de cinema, a naturalidade nas atuações. Estamos falando de uma atriz de Cinema. Ela não tem vicio da TV, como maioria dos atores brasileiros da TV tem. O brasileiro está acustumado com atuação de novelas com falas exageradas e artificiais. E preciso saber diferenciar os tipos de atuação, a atuação TV é uma coisa , é atuação de cinema é outra .Sobre ela estar luminosa em cena, isso eu concordo plenamente contigo. Como disse acima, respeito sua opinião, mas só discordei neste ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E esqueci de acrescentar com atuação no filme, ela ganhou o prêmio de melhor atriz no Cine PE, mas um prêmio na sua premiada carreira no cinema.

      Excluir
    2. Concorreu com quem? CINE PE ???!!!??? KKKKKKKKKKK

      Excluir

  4. Alice Braga é uma atriz incrível, linda e internacionalmente reconhecida, muito mais que a tia, que ficou no passado, tá velha e botocada, uma tigresa mansa de unhas postiças. E não vai ser a sua opinião que vai mudar isso ou ensinar interpretação para uma estrela de Hollywood, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHSHAHSHSHSHSSHAHAHAHAHA

      Excluir
    2. O pessoal toma as dores, se veste com uma carapuça imaginária... porque as pessoas na internet não aprendem a respeitar a opinião dos outros, e expressar a própria opinião sem usar de tentativas mesquinhas de intimidar o outro?

      Excluir
  5. Chamar uma mulher de velha devia dar cadeia, mas n se preocupe fio anônimo, vamos criminalizar a misoginia em breve. Sonia é a maior lenda do cinema brasileiro, em um país Q para se manter dominado teve q engolir Giseles e Xuxas uma beleza como a dela merece ser louvada eternamente

    ResponderExcluir
  6. O mio babbino caro
    João do Rio, ícone absoluto na redação do histórico Lampião.

    ResponderExcluir
  7. Só dá anônimos. Fora a anonimofobia!
    Ou seria a ditadura dos anônimos.

    ResponderExcluir
  8. Não gostou desse mas adorou Meu Passado Me Condena 1 e 2 KKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  9. a Fonte da letra me lembrou a do American Horror Story, não poderiam ter uma criatividade melhor não? do Brasil sai gênios da publicidade, um pouco mais de empenho não seria ruim.

    ResponderExcluir