quinta-feira, 23 de julho de 2015

DRAGS VERSUS TRANS

Como qualquer cidade civilizada, Glasgow, na Escócia, tem sua parada gay há anos. Como ela é ainda mais civilizada que a maioria, por lá também existe uma programação paralela, o Free Pride, cheia de eventos gratuitos e alternativos. Mas não é que foi justamente essa turma odara que se meteu numa escaramuça de nível planetário? Talvez por excesso de odarice, veja só: para não agredir a delicada sensibilidade de algumas pessoas transgênero, a organização do Free Pride achou por bem proibir todo e qualquer show com drag queens. As drags em si não estavam proibidas de circular, só de fazer seus números. E muita gente veio defender a decisão, alegando que as malvadas fazem muitas trans se sentirem desconfortáveis ou ridicularizadas. Isto é só mais um exemplo da epidemia de mimimi que vem se espalhando pelo planeta. Principalmente entre os mais jovens que acham que o mundo nasceu com (e para) eles. A gritaria contra essa medida absurda foi tamanha que o Free Pride primeiro liberou o show das drags, contanto que elas fossem trans - nada de drags cis, que chegam em casa, se vestem de homem e desfrutam de tooodos os privilégios do sexo masculino. Mas como é que você diferencia uma drag trans de uma drag cis? Hoje em dia, nem apalpando as partes pudendas. Esse remendo também caiu, e o Free Pride finalmente liberou o show de todas as drags queens, sem mais. Fizeram muito bem. Se hoje elas parecem caricaturas para as trans mais radicais, as drags foram, desde sempre a linha de frente do movimento gay. Quando a imensa maioria das bibas morria de medo de ser flagrada, controlando trejeitos e até se casando com mulheres, lá estavam elas, dando a cara a tapa. Foram as primeiras a apanhar na revolta de Stonewall, as pioneiras das paradas gays do mundo inteiro, as mais corajosas entre todos nós. Discriminá-las agora, a essa altura do campeonato, quando tantos direitos estão sendo conquistados, é um despautério colossal. Ainda mais num EVENTO GAY!!! E justo as trans, que esquecem que muitas delas começaram a transição como drags. Esse conflito faz parte de um debate maior que vem acontecendo dentro do próprio movimento - que o Free Pride chega ao requinte de batizar de LGBTQIA+ (tô falando sério). Menos siglas, gente, e mais inclusão para valer. E menos mimimi, porfa.

53 comentários:

  1. Como há ratos e ratazanas em todas as cidades do mundo, não existe um país "civilizado" no Planeta Terra.

    Fazem tudo linha, mas na verdade são todos criminosos mafiosos da pior espécie.

    Não é a toa que escondem TANTO a existência de CIVILIZAÇÔES AVANÇADAS EXTRATERRESTRES.

    Pois máfias são assim: jogam sujo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô passada, a Mono fazendo um comentários que não é longo nem fala da maçonaria. Gente!!!!

      Excluir
    2. E voce acha de que máfias eu estava falando??

      Parece burra! Além de passada...

      É o sistema "educacional" deles "funcionando"!

      Excluir
    3. Se você nunca mais falar de maçonaria ou ovnis aqui e comentar em até 80 caracteres, a gente de aceita bee.

      Excluir
    4. Gosta de viver na merda atrasada né?

      E na mentira. Não é a toa que esse movimento gay é controlado pelo discurso do MAÇOM Malafaia.

      Vão ser burras assim no Planeta Terra!

      FAMÍLIA EXTRATERRESTRE POR FAVOR ME TIRE DESSA MERDA IMEDIATAMENTE!!!! EU NÃO AGUENTO MAIS ESSE POVO BURRO MASOQUISTA!!!!

      Merecem ser tratados como GADO pelos Illuminati. Ou como eles se referem a vocês: THE DEAD! (OR USEFUL IDIOTS.)

      Excluir
    5. Bixa, o problema não são os outros. Você que é muita chata. Faça um exercício: Pense num assunto que você odeia ou não tem o menor interesse. Pensou? Agora imagine que você está lá lendo seus sites e blogs sobre ovnis, iluminattis, maçonaria e aparecesse uma bixa chata e repetitiva que ficasse escrevendo alucinadamente dezenas de textos imensos sobre esse assunto que você despreza, atrapalhando o debate com seus amiguinhos que também gostam de ovnis, iluminattis e teorias da conspiração? Imaginou? Conseguiu entender o quanto você é chata com essas dezenas de textos repetitivos que você posta de forma obcecada? Resumindo: ninguém aqui fala desses assuntos, os posts não são sobre esses assuntos, ninguém está interessado nesses assuntos. pelos quais você tem obsessão. Resumindo mais ainda: Acorda, bixa!

      Excluir
    6. FAMÍLIA EXTRATERRESTRE POR FAVOR ME TIRE DESSA MERDA IMEDIATAMENTE!!!! EU NÃO AGUENTO MAIS ESSE POVO BURRO MASOQUISTA!!!!

      ACORDA TROUXA. É MINHA LIBERDADE DE EXPRESSÃO!

      Quando o Tony não censura, claro.

      PS - Monotemática significa o que para você, burrice encarnada? THE DEAD.

      Excluir
    7. Vai usar a sua liberdade de expressão para quem está interessado no que você tem a dizer, em algum lugar onde esse monotema esteja em pauta ou na sua página pessoal. Não queira obrigar os outros ler/acreditar nas bobagens que você escreve. Monotemática significa bixa chata.

      Excluir
    8. Voce vive num país que tem um congresso arquitetônico ("O Grande Arquiteto do Universo" conforme eles) na forma de ONZE e diz que eu escrevo "bobagens"?

      ONZE!

      THE DEAD IS EVERYWHERE.

      Excluir
  2. Não vamos também endeusar as dragas! Quem tem boa memória e viveu os anos 90 lembra bem que a maioria das drags quando dava entrevista falava que era HETERO, que aquilo era só um trabalho, que só se montava. Que nem hoje fazem algumas trans, veja a Laerte e outras, com esse papo furadíssimo de que não são gays. As drags aqui eram a parte visível, sim, mas jogavam o joguinho da hipocrisia, sim.

    ResponderExcluir
  3. mas voce proprio não conhece as trava nem as trans, do seu condomínio esse tipo de pessoas não chega perto, minimamente contraditório, elite gay formadora de opinião, fala delas so pra cumprir tabelinha aff mesmo não sabendo de nada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, nunca conheci nenhum drag nem nenhuma trans. Tenho 54 anos de idade e 33 de homossexualidade assumida. Frequento a noite e o meio artístico há décadas. Viajei muito, escrevi muito, trabalhei em diversos lugares. E nesse tempo todo, nunca jamais, em momento algum, conheci uma trava ou uma trans. Olôco.

      Excluir
    2. então se voce é um profundo conhecedor, você não tá sabendo imprimir suas experiências e seu saber, falta informação e conexão com a realidade, nem digo isso pra ser um daqueles que te afrontam, mas só por uma pura percepção minha, não tá fidedigno, sei lá...

      Excluir
    3. Não sou profundo conhecedor de porra nenhuma. Sou apenas um palpiteiro.

      Excluir
  4. E justo no país onde homens usam saias.
    tsc tsc tsc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olha a heteronormatividade ai, gente ... ziriguidum !

      Excluir
  5. O mio babbino caro
    Definitivamente não vejo essas situações como mimimi, são posições, atitudes e ações diante de situações até então inéditas, desconhecidas, não vivenciadas e neste momento acontece equívocos e as partes prejudicadas se colocam. É uma situação empírica, sem dramas. Corrija-se o equívoco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida que é positivo gerarmos um debate. Foi o que aconteceu nesse caso, e a solução veio rápida (a crise toda durou só dois dias).

      Mas me assusta muito o fascismo latente em muitos militantes, de diversas causas. Condenam com violência quem não segue à risca a cartilha deles, e acabam criando inimigos entre pessoas que poderiam apoiá-los.

      Excluir
    2. Prezado Tony, "esses inimigos entre pessoas que poderiam apoia-los", normalmente são pessoas com má vontade, à espera de qualquer oportunidade para criticar, pessoas com boa vontade jamais teriam essas atitudes, pessoas com boa vontade, não agem desta forma, procurariam entendimento. Esses inimigos, não são criados eles estão o tempo todo ai, a espreita de uma falha para se manifestarem. Não são com essas pessoas que poderemos contar a nosso favor, pois elas procuram muito mais criar dificuldades à tentar resolver desencontros ou equívocos. Procuram o tempo todo encontrar elementos para confirmarem seus preconceitos, isso vale para homofóbicos, racistas, machistas etc.

      Excluir
  6. Vou jogar mais mimimi pra vc, porque, no fundo no fundo, vc adora!!
    famílias ricas e tradicionais já tacharam como "mimimi" umas conversas esquisitas de que os escravos queriam a sua liberdade...
    homens já descreveram como "mimimi" a vontade das mulheres de votarem...
    A Igreja já disse que era um grande"mimimi" essa invenção de casal de pessoas do mesmo sexo.
    mesmo assim a gente não perde o hábito de rebaixar a um reles "mimimi" o direito e a opinião dos outros.
    os direitos em questão hoje são outros, vamos ficar atentos à modernidade!
    Sociedade plural é assim... são tantas vozes a ouvir que às vezes cansa mesmo!
    Mas é um cansaço gostoso, como aquele de depois do sexo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, vc anda transicionando demais entre os espectros reacionários e esquerdopatas. Acho melhor parar que se não vai dar tilt nessa cabecinha e vc vai parar que nem a Monotremática.

      Excluir
    2. Tremática é quando eu tremo com meu cacete no seu cu.

      Mas como não me vendo para voce, seu cu vai ficar sem sentir O termor até a triste morte.

      Excluir
    3. kkkk eu me divirto nesse blog!
      :)

      Excluir
    4. Bruno desculpa mas suas comparacoes foram no.minimo espatafurdicas...para nao dizer nada a ver!

      Excluir
    5. Hehehe, vc tem bom humor :) Deve ser mais de esquerda que di direita.

      Excluir
    6. Não vejo nada de estapafúrdio, e acho que tem tudo a ver.

      Excluir
  7. Mais uma prova do monstro que a tal militância se tornou. Acham que exagero? Ok, só não reclamem quando forem a próxima vítima.

    Em breve, numa Parada perto de vocês, outros "opressores" também serão barrados. Dentre eles, gays cis e brancos (se cuida, Tony), bichas da pegação, lésbicas femininas e chiques, assim por diante.

    E quem não repetir de cor os ditames da cartilha Queer, correrá sério risco de ser queimado na fogueira da Nova Moral.

    Afffff!
    Teoria de Gênero de c* é r*la! Apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi pra ver um veado falar mal do avanço no reconhecimento da orientação sexual além da heterosexualidade e da possibilidade de as pessoas adequarem sua identidade de gênero de acordo com o que sentem. Pois se eu fosse vc, agradeceria por não ter nascido em um corpo que não corresponde com o que vc se entende.

      Vai para o site do Feliciano que vc será melhor acolhido (talvez).

      Excluir
    2. Típico raciocínio de idiota útil: não entendes o que foi dito, certamente nunca leste nada sobre queer theory, além de textos na internet, mas repetes a cartilha como uma boa ovelhinha.

      Não tenho nada contra as trans, queridinha! Onde escrevi isso? Tua histeria te fez ler coisa que não estão escritas. Já pensaste em procurar ajuda médica?

      Outra possibilidade, além de uma eventual doença nervosa, seria a típica má-fé das esquerdas: desvias o assunto, fazes biquinho e atacas quem não professa tua fé. Uma lástima!

      E se é para enfiar o pé num bacia de anacolutos: Vá defender a Dilma no Twitter, vá! Quem sabe encontras os 7% de brasileiros que ainda sofrem dessa mesma patologia.

      Excluir
    3. Quem usa o tu (e com conjugação correta ainda!) nessa época meu senhor? Aposto que é bicha amarga e que se acha suuuper inteligente e melhor que todo o resto.

      Excluir
    4. Quem usa as conjugações corretas são pessoas bem educadas e que estudaram em bons colégios.
      A que ponto chegamos; falar e escrever corretamente agora é sinal de amargor e complexo de superioridade.
      Ao anônimo das 17:31: MELHORE BICHA !

      Excluir
  8. Assistindo o reality show da RuPaul a gente vê como as drags brasileiras são ruins e sem talento e estão anos luz das drags dos EUA, exceto talvez Nany People Siltevy, porque além de drags são atrizes o resto é gente sem nenhum talento que só roda o cabelo e masca chiclete dizendo que está dublando. Das drags sem talento a pior de todas na minha opinião é a Léo Áquila, que até onde fiquei sabendo não quer mais nem ser drag pra tentar sem trans, como se mudar o status desse algum tipo de talento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo muitas drags sem talento por aqui, sendo que uma das piores realmente é essa Léo Áquila, não é por parar de se chamar de drag e agora se referir como trans que ela vai ganhar algum talento!

      Excluir
    2. Nos anos 90, Léo Áquila era considerada a drag que fazia os shows mais criativos. Nada de bateção de cabelo, era sempre um conceito visual e performance que ninguém fazia igual. Depois que virou mulher, parou e aposto que começou a ganhar bem melhor quando foi para Tv, mas o importante é ser feliz e fazer o que estiver afim. Deixa ela.

      Excluir
    3. Nanny People, nunca entendi o sucesso. Silvetty é engraçada mas é sempre o mesmo show politicamente incorreto pra cima das bee, os mesmos bordões. Podia ser a drag da praça da alegria no SBT (se é que ainda existe)

      Excluir
    4. Nany é sensacional como atriz. Muito mais completa que a Silvetty, que só faz show de stand-up. Nany é completa, disciplinada. Estou louco para vê-la na reestreia da peça "Caros Ouvintes", onde ela vai fazer um papel dramático.

      Excluir
    5. A drag mais engraçada do Brasil é travesti: Michelle Summer. O stand up dela é o melhor. Já vi numa peça de teatro como atriz e ela ainda canta. Tem tudo no youtube. A bixa arrasa.

      Excluir
  9. "Isto é só mais um exemplo da epidemia de mimimi que vem se espalhando pelo planeta. Principalmente entre os mais jovens que acham que o mundo nasceu com (e para) eles." ahazo, tonyah o/ bate

    ResponderExcluir
  10. DRAG = dress as a girl

    Não tem nada a ver com trans. Nem com mulher cis.

    É homem que se veste de mulher. PERIOD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não é. Não são categorias estanques. Tanto que muitas trans começaram como drags.

      É essa necessidade de criar rótulos precisos que acaba gerando discriminação.

      Excluir
    2. Leo Áquila e Nanny People por exemplo eram drags no passado e agora são trans (eu acho).

      Excluir
    3. Exatamente. Foram drags durante muito tempo e hoje se apresentam como trans.

      Excluir
    4. São trans, mas também podem ser drags. Drag é um personagem com montação exagerada para algum evento/show. Depois do show, as drags se desmontam e voltam a ser elas mesmas, homens ou trans.

      Excluir
    5. Sim, drag é um personagem. Ou uma persona. A própria Nany diz que se assumiu trans quando decidiu que se vestiria e agiria de mulher o tempo todo, há pouco mais de dez anos.

      A própria caracterização dela mudou: antes era caricata, espalhafatosa. Hoje é bem mais discreta. E, como atriz, pode fazer tranquilamente papel de mulheres cis.

      Excluir
  11. Tony, já parou pra pensar o quanto você é transfóbico? Já não bastassem as inúmeras bolas fora que já deu sobre o tema (bradar que fala O travesti pra mim foi a pior), agora vem e faz dois posts quase seguidos relacionando a causa trans a mimimi. Miga, para que tá feio e ainda dá tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou relacionando a causa trans a mimimi. Estou comentando um fato real, que aconteceu na Escócia e teve repercussão no mundo inteiro. ALGUMAS trans (poucas, é verdade) queriam proibir os shows das drags no Free Pride. MUITAS outras trans escreveram para o evento protestando, inclusive contando que haviam começado a transição como drags.

      Acho que os radicalismos de ALGUMAS trans, assim como o de ALGUNS nos movimentos negro e feminista, fazem muito mais mal à causa do que Bolsonaros ou Felicianos. Elas nos põem uns contra os outros, e provocam discriminação onde deveria haver inclusão.

      Excluir
    2. Cuidado, Tony! Uma louca dessas ainda pode te processar.
      Não daria em nada, mas seria uma tremenda perda de tempo e dinheiro.

      Excluir
  12. Isso porque o evento se chama FREE Pride.

    ResponderExcluir
  13. Li em um site gay que o evento fez bem em barrar as drags,pois, segundo o comentarista, elas "envergonham" o movimento. O sonho de alguns gays é que o movimento seja só GGG, mais nada.

    ResponderExcluir
  14. Está acontecendo o fenômeno que o livro Animal Farm, do Orwell, descreve. Quem sobe ao poder não resiste em dominar os outros. Vá numa reunião da militancia gay em SP e verá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A militância paulistana está podre, caro Anônimo. Nem te conto o que tem de 'ativista' vivendo de verba estatal. Diga-se de passagem, quase todos são filiados a 'certos' partidos. A contabilidade da Parada Gay, por exemplo, é uma ode a Guido Mantega e, por isso mesmo, nada melhor que uma trans crucificada para desviar a atenção, capiche? ;-)

      Excluir
    2. Que contabilidades devem ser revistas, devem. Agora, criticar o ato da trans dessa forma é patético. Olavo de Carvalho diria o mesmo que você disse. Ridículo.

      Não precisa ser conservador. Pode ser libertário e liberal. Valeu

      Excluir