sábado, 13 de junho de 2015

SAMBA DO CRIOULO TRISTE


"Intocáveis" foi o filme francês de maior sucesso dos últimos anos. Foi bem de bilheteria no mundo inteiro, ficou entre os nove pré-indicados ao Oscar em 2012 e bateu recorde audiência quando foi exibido pela TV aberta no Brasil, alguns meses atrás. Uma comédia dramática que virou peça de teatro (está em cartaz em SP) e lançou a carreira do negão-magia Omar Sy, que estava engraçadíssimo no papel de um cuidador sem a menor experiência. Agora o ator se reúne com a mesma dupla de diretores daquele filme, Eric Toledano e Olivier Nakache, para mais uma história sobre os excluídos da sociedade. Mas dessa vez o registro do personagem é outro, bem mais sóbrio que o anterior. "Samba" não é sobre o ritmo brasileiro, mas um imigrante do Senegal que tem esse prenome que remete à alegria. Só que o cara é cabisbaixo, e com boas razões para sê-lo: a vida de lavador de pratos não é mole, e a polícia vive em seus calcanhares para deportá-lo. Numa dessas escaramuças ele conhece uma assistente social com problemas de controle da raiva, feita pela feia-bonita mais interessante do cinema europeu: Charlotte Gainsbourg. E depois ele ainda fica amigo de um falso brasileiro, um papel cômico interpretado magnificamente por Tahar Rahim, que até o momento aparecia sempre sério na telona. Eu vi "Samba" no festival Varilux, que está acontecendo esta semana em muitas cidades brasileiras. Mas entra em cartaz em julho, e eu já estou recomendando.

8 comentários:

  1. N gostei desse filme ;(

    ResponderExcluir
  2. Achei o filme meio fraco e repleto de cliches.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu destestei esse filme!! A cena da dancinha na janela é de doer.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu destestei esse filme!! A cena da dancinha na janela é de doer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, foi a cena de que eu mais gostei.

      Excluir
  5. negão-magia Omar Sy +1 LINDO MESMO Ô LÁ EM CASA

    ResponderExcluir
  6. É aquele filme que parte do nada e vai pra lugar algum, ou sobre como a vida de pessoas sem graça pode virar um filme também sem graça.

    ResponderExcluir
  7. Charlotte Gainsbourg fazendo comédia e sorrindo. Que coisa.

    ResponderExcluir