terça-feira, 2 de junho de 2015

QUESTÃO DE COERÊNCIA

É absolutamente brilhante o artigo do James Cimino publicado ontem no UOL Economia. A argumentação não é inédita, mas nunca esteve tão válida. Em tempos em que os fundamentalistas acham que mudam rumos de novelas e obrigam empresas a mudar de estratégia graças a seus boicotinhos, o jornalista cobra um mínimo de coerência dessa corja. Claro que coerência e fanatismo religioso não cabem num mesmo cérebro, mas não custa nada apontar como essas convicções ditas bíblicas não passam de puro preconceito. Cada vez mais corporações no mundo inteiro estão não só fazendo propaganda destinada ao público LGBT, como também instalando políticas de inclusão e proteção aos seus funcionários homossexuais e suas famílias. Nenhuma está fazendo isto só porque é boazinha, mas, principalmente, porque faz bem para os negócios. E cada vez mais elas próprias são comandadas por gays e lésbicas, dos quais o exemplo mais famoso é Tim Cook, o CEO da Apple.

Então, meus queridos cristãos-que-não-são-homofóbicos-e-tem-até-amigos-gays, parem JÁ de consumir qualquer coisa que leve alguma das marcas ao lado. Todas são de empresas que reconhecem a plena cidadania dos gays. E não são só elas: há muitas outras, inclusive no Brasil. Boicotem todas! Pois é, o mundo está ficando pequeno para quem não evolui com ele.

17 comentários:

  1. Sou anti-religião. Então não tem como eu deixar de apontar que quem crê na Bíblia, ou em qualquer religião, ou em qualquer coisa, não está muito preocupado com coerência.
    O pensamento religioso não é lógico-racional, mas mágico-fantasioso, e assim sendo, pouco adianta argumentar com eles.
    Inclusive porque muitos religiosos disfarçam seu discurso-fantasia vestindo ele de alguma lógica pra tentar vender sua baboseira pra mais gente, e até mesmo pra se convencer de que aquilo que acreditam é a verdade, e não apenas uma crença conveniente.
    No fim das contas, ser gay é pecado e vamos todos arder no fogo dos infernos.
    Inferno que os religiosos fazem questão de antecipar pra os gays, tirando de nós direitos, estimulando a homofobia e a violência...
    A arma da argumentação serve mais pra nós gays tomarmos consciência da nossa força do que pra vencer esses inimigos ridículos.
    Contra eles, a gente precisa de muitas outras armas...

    ResponderExcluir
  2. Faltou o facebook. Já pensou se todos saíssem do facebook. Oh romanaia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é. isso sim seria uma benção!

      Excluir
  3. Luciano Mangabeira2 de junho de 2015 11:52

    Tony, a frase "parem JÁ de consumir qualquer coisa que leve alguma das marcas ao lado. Todas são de empresas que reconhecem a plena cidadania dos gays" está incoerente. Falta um NÃO antes da palavra reconhecem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não falta não. Eu estou incentivando os fundamentalistas (os tais "cristãos-que-não-são-homofóbicos-e-tem-até-amigos-gays", se você não captou a ironia) a boicotarem essas empresas, que são TODAS gay-friendly. Elas reconehcem sim, e merecem aplausos por isto (e as nossas compras também).

      Excluir
  4. Quem consegue nomear o logo com 3 pares com o número 11 nos logos acima??

    Ganha um almoço exclusivo no Restaurante Popular com a Ex.ma - e adorada Moi - que vos fala!

    Lembrando que 3 x 11 = 33.

    Os mais altos graus PÚBLICOS da Maçonaria Escocesa!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tony, você podia bloquear comentários como este, que não tem nada a ver com o seu post, nem nada a ver com nada! Pregação aqui não!

      Excluir
    2. Deixa a mono,ela faz parte do blog, ela não anda, ela desfila,bj mono.

      Excluir
  5. Enquanto isso, a Globo elimina tramas gays da novela falida das 9 por conta da pressão deles.

    ResponderExcluir
  6. hazô tonyah nem confiança

    ResponderExcluir
  7. Que essas empresas são a favor do casamento é ótimo. Mas quero ver elas levantarem bandeira para as questões mais importantes que o matrimônio gay. Que nem leis que permitem a punição de discriminação contra gays, lésbicas e trans no ambiente de trabalho, a proibição (de fato) de clínicas de reconversão e o fim da proibição de gays doarem sangue.

    Respeito e igualdade não é só casamento e aliança não meu povo!

    ResponderExcluir
  8. "Coca Cola" de trás para frente fica "a loca coc".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E também tem 11 letras. Maçons gays espalhando sua mensagem subliminar.

      Excluir
    2. Não é mensagem subliminar.

      É como eles próprios falam nas suas "literaturas" (péssimas por sinal):

      "CONHECIMENTO escondido em PLENA vista."

      Coca Cola não tem 11 letras e misturei Walt Disney com Coca-Cola (se bem que da pra ver o 666 no logo da Coca também. Mas é mais o do Walt Disney. Um tá do lado do outro e me confundi...)

      Excluir
  9. O Guaraná Antartica nao apoia? Nunca ouvi falar que apoiassem. E Santander?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero ver como crente vai se virar em casamento se as fabricas de refrigerante começarem a apoiar os gays!

      DUVIDO que boicotem!

      Temos que pressiona-las para que elas nos suportem e daí então a tática será exigir que eles sejam íntegros e parem de tomar refri pelo facebook que nem eles fazem com a gente!

      Excluir
    2. Os crentes vão tomar dolly,se bem que dolly patrocina a cobertura do carnaval da rede TV.kkkk

      Excluir