quinta-feira, 4 de junho de 2015

PROMESSA FURADA

É muito comum que atores famosos se transformem em diretores de cinema para dirigirem a si mesmos num papel dos sonhos. Quase nunca fazem vilões: esses papéis são sempre de heróis, pais de família, exemplos de integridade... O protagonista de "Promessas de Guerra" se encaixa em todos esses quesitos, e deve ser por isto que atraiu Russell Crowe - tanto para a frente como para trás das câmeras. Mas o filme é bisonho. Até parte de um bom argumento, explorando um episódio pouco conhecido no Brasil mas fundamental para a formação da Austrália como nação: a batalha de Gallipolli na 1a. Guerra Mundial, nas costas da Turquia. O protagonista de "Promessas..." é um pai que perdeu todos os três filhos nessa carnificina, e parte em busca dos restos mortais deles. Mas o roteiro é pedante e óbvio, telegrafando o final já na metade. E a direção de Crowe é desastrosa. Há uma criança fofa que parece saída da novela "Carrossel", uma mulher linda porém desnecessária, e cenas de luta sem um pingo de tensão. Todos as atores estão mal, especialmente Crowe. O que é de se admirar: ele não soube dirigir nem a si mesmo. O filme não vale nem como passeio pela história.

5 comentários:

  1. Assisti no ultimo domingo e realmente é muito fraco, pra não dizer quase uma perda
    de tempo. Ainda falta muita experiência ao Crowe como diretor...
    Valeu a intenção, mas quem sabe na próxima não haverá uma compensação? rs.
    Ótima semana a todos.

    ResponderExcluir
  2. Ah, aonde está ou estaria a contribuição de Lisa Gerrard do Dead Can Dance na trilha sonora? O nome dela aparece nos créditos na abertura do filme e não me lembro de ter ouvido sua voz maravilhosa ao longo do mesmo. Seria nos créditos finais? Ou apenas no CD da trilha?
    Ela tb participou do Gladiador com o Russel. E nesse? Sumiu? KKKKKK!

    ResponderExcluir
  3. Hahhaaha. Seu review mais divertido e maldoso até hoje.

    ResponderExcluir