segunda-feira, 8 de junho de 2015

MINHA POUSSEY É O PODER

Chão, chão, chão. Pela primeira vez em muitos anos, assisti à parada day de São Paulo do chão, misturado aos simples mortais. Aquele meu amigo que abria todo ano seu terraço na esquina da Paulista com a Consolação este ano resolveu não abrir. Então peguei meu cachorro e enfrentei a turba insana. Claro que ele se assustou, mas também adorou as festinhas que recebeu de estranhos. Mas eu, que fui interessado em ver um único carro - o do Netflix - saí frustrado. Quando ele passou por mim não deu para ver nenhuma das atrizes que vieram promover a terceira temporada de "Orange Is the New Black", nem a Valesca Popozuda. Mas compartilho aí embaixo o vídeo que Valesca gravou para o marketing da série. E aplaudo que cada vez mais empresas usem a parada para anunciar seus produtos: isso é óteeemo, pessoal, é sinal da vitalidade do mercado gay. Na parada de Nova York você é coberto por apitos da Coca-Cola e ventarolas da General Motors. Aqui ainda falta muito, mas quanto mais propaganda, melhor.

Vi só uns quatro carros dos 19 que desfilaram, e acabei perdendo o mais polêmico de todos. Bendita polêmica, aliás: foi o que elevou essa parada ao nível de contestação política, que sem ela seria apenas um carnaval fora de época. Claro que eu estou falando da trans Viviany Beleboni, que surgiu crucificada e ensaguentada em protesto à homofobia. A ideia nem é original: Madonna, Vera Fischer e Neymar já apareceram "crucificados" antes, mas sem causar tanta controvérsia como agora. Eu, pessoalmente, adorei. E estou chocado com a reação de muitos gays, que acharam uma ofensa gratuita e um desrespeito à religião. Gentem, quem desrespeita a religião são os líderes que pregam o ódio e a discriminação. A imagem de uma trans crucificada é uma metáfora da violência a que todos os gays - e as trans especialmente - sofrem nesse país de merda, que se diz cordial mas no fundo é grosseiro e inculto. Sim, essa cruz foi feita mesmo para chocar. E o choque é uma arma política, uma maneira de desestabilizar as opiniões formadas. Fico triste de ver que tem muito LGBT que não entende isto, e que acha que temos que ser bonzinhos e inofensivos para sermos aceitos por todos. Gay careta é uma contrdição em termos! Mas somos todos brasileiros: é óbvio que existem grosseiros e incultos também entre nós.

30 comentários:

  1. Onde você está, Tony Goes, que quero te dar um beijo na boca agora! Matou a pau e disse tudo o que venho insistindo desde de manhã com tantos que insistem em polemizar sobre a "blasfemia" da trans crucificada! Ofensa religiosa por ofensa religiosa deveriam se ofender com as imagens de Jesus como um ser lindo, loiro, branco, eterno e de olhos azuis. Cês juram q alguém que nasceu no oriente médio ha 2000 anos tinha essa aparência? Me poupem!

    ResponderExcluir
  2. Concordo. Muitos gays querem ficar lambendo sacos de evangelicos, ao passo que estes mal e mal nos respeitam da boca pra fora, a contragosto. Mas metáfora é demais para cerebros evangelicos acostumados a terem versiculos biblicos sempre explicados pelo pastor espertalhao. Nunca param para pensar, mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Netflix valendo cada centavo gasto com a assinatura <3 além das meninas de OITNB vieram também os atores da nova série deles, Sense8, cheia de personagens lgbtt.

    Quanto às empresas que muitas vezes escolhem não ter o nome vinculado à parada, mesmo contribuindo, acho que depois da campanha de dia dos namorados da Boticário, que teve muita repercussão, veremos mais empresas saindo do armário.

    Achei incrível o carro da trans crucificada, a mensagem foi precisa e extremamente impactante, pena que a maioria não entendeu o significado do ato. Quanto mais politizada a Parada melhor.

    ResponderExcluir
  4. Meu único choque foi constatar que SIM existem gays que apoiaram o Feliciano.
    Morram, sabe?

    ResponderExcluir
  5. Clap! Clap! Clap!
    Disse tudo! A pior blasfêmia é a hipocrisia!

    ResponderExcluir
  6. Eu também amei a trans crucificada. E concordo plenamente com o seu texto.
    Quando algum cristão vem me torrar a paciência, eu o lembro do que o pastor queridinho deles, aquele que fez o comercial de O Boticário bombar, gosta de dizer: a Constituição nos dá LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Game over, crentalha.

    ResponderExcluir
  7. O mio babbino caro

    #SOMOSTODASVERÔNICA

    ResponderExcluir
  8. Esperando seu post sobre Sense8!

    ResponderExcluir
  9. A idéia era atingir os evangélicos? Porque os iconoclastas são os católicos... Ao q me parece, apesar de longe, bem longe, a Católica é, talvez, talvez a mais próxima da aceitação nas ditas "religiões abraanicas"...
    As vezes penso, atitudes radicais dos dois lados, tanto de nós como dos homofóbicos (radical entre eles feliciano, bolsonaro, cunha, etc...), pode nao levar a denominador comum nenhum...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bicha Religiosa Retrograda DETECTED! Suma daqui imediatamente e não volte nunca mais!

      Excluir
    2. LOL! O fundamentalismo parece existir dos dois lados meshmo!

      Excluir
    3. Atingiu mais os católicos,os crentes dizem que Jesus já desceu da cruz, não cultuam a sua imagem na cruz, o tiro foi no pé sim, claro que os evanjas estão explorando o fato.

      Excluir
  10. O garoto com olhos de Cinderela8 de junho de 2015 19:59

    O pior de tudo é ver o quão desrespeituosos alguns gays são com os próprios gays, apenas por respeitar as religiões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cinderela? Tá mais pra Bela Adormecida! Acorda pra vida, mona!

      Excluir
  11. Evangélicos não adoram imagens, nem mesmo a de Jesus crucificado. Então os atingidos são os católicos, que não pregam diretamente contra os gays. A Igreja Católica não aceita a prática homossexual, e está no seu direito - reza por sua cartilha quem quer. Mas não se vê padre conclamando os fiéis a lutar contra os gays, como acontece com os pastores. Pra que isso tudo, então? Até entendo as boas intenções possíveis, mas não concordo com a abordagem. Acho infantil.

    E a patrulha tá tão pesada sobre esse assunto que ando me sentindo numa igreja evangélica, onde não posso ousar discordar do pastor. Oh wait.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se fosse uma criancinha carente crucificada? Todo mundo ia gostar, não ia? E se fosse um negro pobre? Idem, né?

      Mas é uma trans. As pessoas se chocam porque acham que Deus não aprova as trans. Quem não aprova as trans são elas mesmas.

      Excluir
    2. Uma grande falácia essa de que "segue a cartilha da igreja católica quem quer". Eles tem lobby fortíssimo no Congresso Nacional, e conseguem a aprovação de leis absurdas que obrigam a todos, leis de conteúdo aparentemente genérico, mas de fundo altamente religioso(eutanásia, aborto, casamento gay- só pra ficar nas questões mais conhecidas).
      E no campo da moral, a força da Igreja ainda é imensa, e esmaga milhões de pessoas que não tem educação suficiente pra se defender.
      E os Padres podem até não conclamar abertamente contra os gays, mas só aceitam os gays em suas paróquias como "pobres coitados que precisam de ajuda e orientação pra voltar para o bom caminho".
      A Igreja não mata gays nas ruas, nem os Padres dão lampadadas nas nossas cabeças, mas essa política hipócrita é muito pior, porque leva muitos ao suicídio, a não viver a sua sexualidade, a se sentir culpados e indignos a vida inteira, etc...

      Excluir
    3. O Q E ISSO ANTONIA? QUE LAPADA MARAVILHOSA NA ANONIMA DESUBICADA!!!!! TI AMO! <3

      E POR FAVOR GUEIS DO MEU BRASIL SE LIVREM DESSA CULPA RELIGIOSA, ACEITA LOGO Q VCS VAO QUEIMAR NO INFERNO DE QQER JEITO! VAMOS FAZER ALGUMA COISA AGORA ENQUANTO HA TEMPO, NAO VIRE A CARA PRAS NOSSAS MANAS DE COMBATE!

      Excluir
  12. Não diria que me chocou, mas de qualquer forma não gostei. Pra mim a intenção da fia foi apenas se promover. E conseguiu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AMO quando as pessoas acusam o que elas não gostam de ser pura promoção pessoal. Lógica: Eu não gosto da abordagem, logo toda a premissa e idéia que subjaz a obra/criação deve ser nula.

      Excluir
    2. Bee,gostei da idéia do que vc disse,só não entendi, pode traduzir?na boa,sem ironia.

      Excluir
    3. Ok, nesse mar de anominidade, se vc está falando de mim (21:03), o que quis dizer é que interessante como as pessoas consideram autêntico apenas aquilo que apoia ideias que elas já concordam ou simpatizam. Se é algo com que não concordam ou lhes parece estranho estranho, elas evitam engajar com ideia, pois é mais fácil imaginar que a pesssoa que criou pensa igual vc, mas apenas fez diferente para chocar e se promover.
      Todo mundo é assim, até eu as vezes. Quantas vezes dizemos que pastor só faz discurso de odio pq ganha dinheiro? Claro q o dinheiro ajuda, mas pode ter certeza que ele tem uma fundação moral, uma forma de ver o mundo que ele genuinamente acredita e que baseia tudo o que ele fala.

      Excluir
    4. OK, querida, mas o que isso tem a ver com meu comentário original? Se a fia queria se promover e conseguiu algum holofote significa que seu objetivo foi atingido e dentro de alguns dias iremo vê-las em programas como Super Pop e outros do gênero. E que mal há nisso? Nenhum. Nos dias de hoje é algo até banal e logo será esquecido.

      Excluir
    5. Alouu, tudo a ver kirida! Só porque vc não vê o significado e a importância do protesto da moça não significa que ele é um ato vazio, feito só para pegar fama.

      Excluir
  13. Mono, kd vc? Não deu as caras hj, bjs.

    ResponderExcluir
  14. O pessoal acha que CRUZ = CRISTO... Quantos líderes que questionaram o Imperio Romano foram crucificados... não viram Spartacus? Não, não viram. Tem muita muita opinião mesmo baseada na ignorância. Só é crucificado aquele que é uma ameaça ao sistema. Sendo assim, essa trans acertou na mosca, pois foi mesmo crucificada - literalmente e simbolicamente pelos que acham que religião é uma coisa intocável, e não um produto histórico. E também conhecem pouco de arte... Mas deve ter gente no meio dos críticos que adora a Madonna e agora está com amnésia.

    ResponderExcluir
  15. Eu ainda colocaria uma faixa enorme: 'Há 2.000 anos, os líderes religiosos conseguiram que Jesus fosse crucificado. Hoje, os religiosos querem crucificar os LGBTs"

    ResponderExcluir
  16. Chocado com o teor dos comentários dos gays e lésbicas nesse post de uma página que sigo: https://www.facebook.com/CanalGeracaodeValor/posts/886781084734840

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei mais chocado com o autor do texto.

      Excluir