segunda-feira, 29 de junho de 2015

MAUS FÍGADOS

A proibição do foie gras na cidade de São Paulo me destapa uma enxurrada de emoções contraditórias. A primeira é de revolta: como assim, não posso mais comer nem comprar foie gras no lugar onde eu vivo? A segunda é de indiferença. Acho que como foie gras menos do que uma vez por ano, apesar de gostar muito. Acontece que é caro pacas, e não tão fácil de encontrar. A terceira emoção é de despeito: tenho a sensação de que o prefeito Fernando Haddad só foi atrás do foie gras porque é uma iguaria das elites. A crueldade da "gavage", o método de alimentação forçada a que os gansos são submetidos para que seus fígados engordem, não é pior do que o que se faz com os frangos das megagranjas: confinados em espaços apertados, debaixo de luzes pernamentemente acesas, depois pendurados de cabeça para baixo numa roldana e decapitados numa linha de montagem. Mas frango é comida do povão, quase um artigo de primeira necessidade. A quarta emoção é a de um alívio civilizado. Os únicos países da Europa onde ainda se pratica a "gavage" são França, Espanha, Hungria e Bulgária. No resto já é proibido, e a tendência é que a proibição se espalhe pelo mundo. Essa questão, no entanto, levanta muitas outras. Por exemplo: e as lagostas, que costumam ser cozinhadas vivas? E as ostras, engolidas só com limão? E o bife koi, de gado confinado? E a carne de vitela, na verdade de bezerrinhos que ainda mamam? E os abatedouros em geral? Espiritualmente, eu queria ser vegetariano. Mas na prática não consigo...

21 comentários:

  1. Oi Tony. Não acho que devemos justificar uma atrocidade com os animais mostrando o que acontece com outros. O caminho para maiores cuidados com os animais (incluindo, também, o abate) começa com um passo - o que foi dado. Claro que não esperamos que pare por aí, por isso a importância de ter levantado outras questões. Abs.

    ResponderExcluir
  2. Acho mais fácil a Espanha proibir touradas do que a França proibir produção de fois gras neste milênio. E se é legal na França, toda a UE pode comercializar. Aqui se acha fácil na Galeries Lafayette ou na KaDeWe.

    ResponderExcluir
  3. Eu meio que entendo esse movimento. Acho vegetarianismo/veganismo um saco, mas o método utilizado para a produção do fois gras é, realmente, horrível. Inadmissível. Mas, assim como ocorre com outros produtos de carne, podemos buscar uma forma de produção que seja mais adequada. Certamente ela existe. Acho que marcas que passem a adotar métodos mais bacanas com os bichinhos vão se destacar no mercado e fomentar uma mudança radical...

    Será que proibir funciona? Provavelmente não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vezes gordura é Joao? Kkkkkk

      Ou gordura vezes?

      Excluir
  4. Crueldades que são feitas aos animais a pretexto de “cultura”, como vaquejadas e touradas são absurdas. E talvez(não tenho certeza) seja nesse campo da cultura e da diversão que o foie gras se insere, e, por isso, deveria mesmo ser proibido.
    Mas, acho que esse problema não tem só uma resposta certa e definitiva. Vamos ter que ficar só no campo das opiniões pessoais.
    Qualquer morte de animal me parece cruel, mas se a população precisa comer, temos que tolerar o sacrifício de animais e plantas criados em cativeiro e abate-los com o mínimo de dor possível. Ainda assim, peixes morrerão sufocados, bois morrerão com uma martelada na cabeça e alfaces serão mastigadas vivas, mas é um mal necessário.
    O meu limite é: animais e plantas que nascem na natureza deveriam ser preservados a todo custo. Já há tecnologia pra produzir e reproduzir animais de todo tipo em cativeiro(inclusive os marinhos) e a gente deveria abater pra o consumo da população só os animais produzidos pra esse fim. Os outros, deveriam ser deixados na natureza, por uma questão de preservação ambiental.
    Ps1: não gosto de foie gras!
    Ps2: a lei municipal de são Paulo é inconstitucional, e o Prefeito sabe disso mas quer levantar o debate.
    Ps3: mesmo assim, a proibição pode ser feita por outros meios, e não tarda! Comam logo seus foie gras enquanto podem! Em breve, só viajando pra a França, onde é uma questão cultural quase tabu, e não deve ser mexida por enquanto...

    ResponderExcluir
  5. Outro dia fui num restaurante e tinha um prato no cardápio com a observação de que a vaca cresceu num pasto amplo, natural, sem agrotóxico, cercada de amigos, feliz, tocando Legião Urbana todo sábado, depois do cinema, que adorava Grey's Anatomy...

    ResponderExcluir
  6. Comecei a ler o texto pensando nas granjas e logo vc citou. "todos os animais são iguais, alguns mais iguais que outros", já dizia a frase famosa da Revolução dos Bichos. Se formos pensar racionalmente, o comer vaca no Brasil, cavalo na França ou cachorro na China é tudo igual. É apenas um animal criado em abatedouro para tal fim. Apesar de ser um carnívoro que adora churrasco, acho Q a evolução humana é o veganismo; apesar de isso ser uma utopia. A mesma vaca Q está no meu prato, está em centenas de produtos consumidos pelos veganos e eles nem imaginam. Acho essa proibição uma grande babaquice. Qdo fui à Hungria, tinha fois gras baratíssimo em qq restô; não comi Pq tenho "nojinho" mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Disso tudo, a unica coisa q me impressiona é o como o prefeito é desconectado da realidade da cidade. Serio, com tanta coisa acontecendo, é isso msmo q ele fez???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O prefeito só pode cuidar de um assunto por vez, é isso que vc acha? Só pq fez uma lei x, agora tem que esperar 100 dias ate tratar de assunto novo?

      Excluir
  8. Tony, apesar de todos os exemplos que vc deu, uma coisa não exclui a outra. Achei mais do que válido, é um animal sofrendo a menos. Pode parecer nada pra vc, mas pra esse animal fez a diferença. E quem sabe não façam o mesmo com algum desses outros casos que vc citou? Vou ser bem sincero e desculpa se vc se ofender, mas acho que vc, apesar de ter um blog, deveria ou opinar menos ou opinar melhor, Pq senão vira um Zeca Camargo da vida, aquele que exagero que só faz mico. Aquela pessoa que sai falando, opinando, toda efusiva, sobre qualquer assunto poré, sem refletir sobre e como está opinando.

    ResponderExcluir
  9. Olha, Tony Bibi Ferreira Ziraldo Faustão Goes, vc está cada dias mais indigesto, amargo, depressivo e levemente demente. Teus argumentos lembram os de reaça que falam em campanha para combater a fome na África quando bem da verdade é puro mimimi por causa do casamento gay nos EUA. Tenha uma pouco mais de empatia com os seres vivos. Sabe, a sociedade humana, como um todo, ainda não tem como deixar de comer carne sob o risco de muita gente passar fome. No momento atual uma boa coisa que podemos fazer é incentivar a preocupação com o sofrimento de outros seres. E esse passo, ainda que inicial e pequeno, foi dado aí em SP pelo Haddad. Os próximos passos certamente virão e vão atingir uma parcela maior de animais e assim sucessivamente. Pelo amor de deus, deixe de bancar o Faustão-País-da-Desesperança e ver as coisas somente pelo lado negativo. Qualquer dúvida, chama a Marieta Severo. Ou vai tratar esse mau humor. Beijos e ótima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala pra Marieta ir confortar os centenas de milhares que estão sendo demitidos e que nesse momento não tem a esperança que ela, linda do alto da sua vida glamourosa, ostenta. Bolsa família no cu dos outros é colírio.

      Excluir
    2. Heheh... E a interpretação de texto manda lembranças. O Tony falou quatro coisas diferentes!!!

      Excluir
  10. Eu expressei QUATRO emoções conflitantes, e nem todas são negativas... Definitivamente, vem aí meu blog em versão para colorir.

    ResponderExcluir
  11. Acho que por esse caminho que vai, ou deveria ir, a humanidade. O Haddad, por mais incrível que possa parecer, dessa vez acertou.

    ResponderExcluir
  12. Espiritualmente, eu queria ser vegetariano. Mas na prática não consigo...


    Eu tb queria mas e tao dificil! :c

    ResponderExcluir
  13. É uma maldade com o bicho. Mas que teve aquele toque 'é dazelite', teve mesmo.

    ResponderExcluir