terça-feira, 26 de maio de 2015

FAZENDO NAS CALÇAS

Quem acha que todo musical da Broadway é exuberante e conformista vai levar um choque com "Urinal". A bem da verdade, o espetáculo nasceu na Off-Broadway: o circuito de teatrinhos alternativos de Nova York, onde a experimentação e a irreverência dão o tom. Mas o sucesso foi tão grande que a montagem logo foi transferida para um teatrão perto do Times Square, o epicentro planetário dos musicais. Foi lá que eu o assisti, em 2002. Gostei, mas gostei muito mais da versão brasileira que está em cartaz em São Paulo. Talvez porque "Urinal" tenha voltado às origens: o Teatro do Núcleo Experimental, na Barra Funda, é minúsculo, e combina muito bem com a proposta da peça. Aqui não há cenários deslumbrantes nem figurinos luxusosos, e muito menos efeitos especiais. Mas há um elenco excepcional e um libreto extremamente atual. Porque "Urinal" fala de um problema que estamos vivendo, a falta d'água. Num futuro com cara de anos 30, a água anda tão escassa que não existem mais banheiros particulares. Todo mundo precisa fazer suas necessidades em toaletes públicos e pagos, controlados por uma cruel corporação. Além disso, é proibido mijar na rua: quem for pego no flagra será despachado para um vago inferno chamado Urinal. No meio disso tudo há um romance à la Romeu e Julieta e números musicais bastante inventivos. Como se não bastasse, o final subverte todas as expectativas, e mais não posso contar. "Urinal" fica em cartaz até 3 de julho, a entrada inteira custa apenas 40 reais e as sessões de sexta têm entrada franca.

Um comentário:

  1. Um futuro desse dá medo...mas é bastante real...

    ResponderExcluir