sexta-feira, 8 de maio de 2015

DOMÉÉÉSTICA, SEM CARTEIRA ASSINADA

"Quando Meus Pais Não Estão em Casa" é o primeiro filme de Singaoura a estrear no circuito comercial brasileiro. Mas não é exatamente cine-turismo: quem for esperando ver paisagens vai se decepcionar. Porque a história se passa no final dos anos 90, quando a arquitetura de lá era bem diferente de hoje. O diretor Anthony Chen prefere planos fechados nos personagens, e a ação quase nunca sai de um condomínio de classe média muito do sem graça. Mas serve para compararmos a maneira como as empregadas domésticas são tratadas aqui e na Ásia. A moça filipina do filme come na mesa com os patrões, dorme no mesmo quarto de um garoto de dez anos e é chamada de tia por ele. Em "compensação", tem pouquíssimas folgas e precisa fazer bicos como cabeleireira enquanto o moleque está no colégio, para suprir o salário de fome. "Ilo Ilo" (o título original, que até agora eu não sei o que significa) ganhou o Caméra d'Or no festival de Cannes de 2013 (o prêmio para cineastas iniciantes) e foi o indicado por seu país para concorrer ao Oscar daquele ano. Não é imperdível, mas é curto e interessante o suficiente.

3 comentários:

  1. Segundo o IMDB, Ilo Ilo é o nome da província das Filipinas de onde a garota saiu. A palavra não é mencionada nenhuma vez no filme, mas o sotaque característico do local é ouvido na ligação entre ela e a mãe.

    ResponderExcluir
  2. Enfim... espere "Que horas ela volta" pra comparar.

    ResponderExcluir
  3. Monotemática, manifeste-se, sei que está entre nós.

    ResponderExcluir