quinta-feira, 14 de maio de 2015

CAUSA CERTA, BRIGA ERRADA

Na boa: alguns ativistas negros precisam escolher melhor suas batalhas. No ano passado fizeram um escarcéu por causa de "Sexo e as Negas", um seriado com nada menos que QUATRO protagonistas negras. Este ano, ainda não vi ninguém reclamar de "Chapa Quente". A nova série da Globo se passa em São Gonçalo, uma cidade do Grande Rio com uma enorme proporção de negros na população - e no entanto o elenco é quase todo branco... Hoje saiu a notícia de que o grupo Os Fofos concordou em remover a "blackface" da remontagem de sua premiada peça "A Mulher do Trem". Uma das chefes da gritaria era uma moça do grupo Blogueiras Negras, que vem se notabilizando pela ignorância. Houve um debate aqui em São Paulo anteontem, na data e no lugar (o instituto Itaú Cultural) em que a peça seria exibida. Parece que não adiantou explicarem que o "blackface", considerado racista nos EUA, era uma prática comum no teatro do começo do século passado, que o espetáculo tenta reconstruir em detalhes (sem falar que que um dos atores maquiados é negro mesmo). Claro que eu não faço ideia do que seja sentir o racismo na pele, porque sou branco. Mas também sofro preconceito por ser gay, e sei que de vez em quando também exageramos no politicamente correto. Casos como este me dão vontade de pintar a cara de preto e sair por aí.

66 comentários:

  1. O racismo no Brasil é muito muito forte, um problema seríssimo. Acredito deveria existir quotas de negros em propagandas, e nos desfiles de moda. Urgente! Uma quota de 50% mas tem razão o blackface foi usado no primeiro filme falado, n vejo nada de mais, mas q é foda ser negro é...racismo é uma coisa nojenta, manutenção dos esteriótipos sociais tbm. Está na hora dos negros terem a oportunidade da mobilidade social.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a pessoa escreve "é foda ser negro", não resta a menor dúvida. Mas acredita que está fazendo um comentário progressista.

      Excluir
  2. Eu estava numa sessão do doc "O dia que durou 21 anos" e no final teve Q+A com o diretor Camilo Tavares. Beleza.
    Num dado momento, uma pessoa da plateia fez uma pergunta qualquer em que se referiu à ditadura como "momento negro da nossa história". Pra quê?
    Uma mulher negra possuída pelo espírito do Mun-Ra se levantou indignadíssima e se fez ouvir mesmo sem microfone e indagou "POR QUE NEGRO?" gerando aquela torta de climão antes mesmo do diretor responder a pergunta do primeiro cidadão lá.
    O diretor deu uma saída pela direita, meio que ignorou o rompante da mulher e respondeu a pergunta sem nem usar mais a palavra "negro" e só no final do Q+A largou 1 frase solta sobre superar as diferenças e preconceitos logo quando já estava encerrada a sessão mesmo.
    Eu confesso que fiquei com cara de WTF?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inacreditável, né? Zambininha fazendo escola.

      Excluir
    2. Olha mais mimimi:
      http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/04/28/internautas-atacam-anuncio-da-bombril-com-domestica-negra-empresa-contesta.htm

      Excluir
  3. O racismo vai diminuir com essa conquista dos ativistas? Não. Ao contrário. Comecei a repensar minha simpatia pela causa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. só esse comentário já mostra a importância do debate. racismo saindo do armário. viva os panteras negras!

      Excluir
  4. Gays são mais discriminados que negros!

    Gays não acham apoio nem na própria família na maioria absoluta das vezes.

    Ao contrário dos negros que tem esse suporte financeiro e emocional.

    E muitos negros são homofóbicos.

    Mostrando assim que são hipócritas e não tem realmente compreensão sobre o problema da discriminação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Negro não tem suporte financiero porque é tudo pobre. Nem parece que é neguinha, Monotemática. Te conheço lá do Pagode do Vavá.

      Excluir
    2. Concordo, homofobia é muito mais insidiosa.

      Excluir
    3. Com a diferença que enquanto os homossexuais são mortos pelos "homofóbicos" os jovens negros são mortos 2,5 vezes mais, PELO ESTADO BRASILEIRO, conforme a própria Secretaria de Direitos Humanos do governo federal, reconhece.

      Excluir
    4. Mesmo porque saiu do Brasil deixa de ser branco. Conheço esse pessoal do Elite no carnaval. Flamengoooooooo!

      Excluir
    5. Conheço muitos negros homofobicos, gente que sentiu e sente o racismo na pele mas nao se solidariza conosco. No fundo, prevalece o egoismo. E sim, a homofobia é bem mais cruel e aberta do que o racismo nesse país.

      Excluir
    6. Nós sabemos que voce vai, Anon 13:05, mas eu não vou nem nunca fui na baixaria que é o Pagode do Vavá! Sorry.

      Excluir
    7. Verdade Anon 15:57. Mas nós gays no Brasil somos os mais assassinados do mundo e o Brasil está "unwilling and unable to protect us".

      Por isso tantos gays brasileiros ganham refúgio lá fora... Fomos pioneiros nesse quesito.

      O primeiro gay a ganhar asilo nos EUA foi Marcelo Tenório - um brasileiro.

      O Brasil - comandado por MAÇONZECOS CORRUPTOS e diria eu SATÂNICOS - é uma merda pra quase todo mundo com noção...

      Os maçons não tem noção. Tem ganância.

      E muitos carros - e helicópteros - blindados.

      Excluir
    8. Anon 5:17, nós gays também não nos solidarizamos com muita gente não... Somos também racistas quando não deveríamos ser.

      Mas que somos alvo de raiva, ódio e desprezo de muita mas muita gente, mais do que negros são, isso é ponto batido.

      A polícia só não mata a gente como matam os negros porque somos de classe social plurificada. Se fossemos todos pobres como a maioria dos negros são, estávamos fudidos!

      Excluir
    9. Quem é mais coitadinho: vc aí pretinho ou vc aí viadinho? Fla X Flu dos oprimidos pela sociedade. Mono, darling, de que lado vc está? Porque a gente sabe que vc é gay e de cor. Te vejo lá no Pagode do Vavá.

      Excluir
    10. Tá doida pra ver a coisa preta, não tá?

      Excluir
  5. Estamos prestando contas com os negros e com os pobres. A atitude dos ativistas é valida. É preciso emergir a classe média igualitária o mais rápido possível. Não da pra achar que a velocidade de inclusão dos pobres e negros ocorrerá respeitando limites de anos de preconceito neste pais. É cínico da elite umbilical brasileira achar que as piadinhas são inocentes. Quando se trata de direitos da elite , tudo é muito eficiente. Não diga por favor o " é assim", achando que isso tudo é natural...alias esse é o maior problema de tudo hoje em dia: achar que tudo é natural...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "estamos pagando"...nós quem, cara pálida?

      Excluir
  6. Tonya em busca de polêmica pela polêmica... audiência do blog tá baixa né? Dani Hansa Bee, quantas palavras na Alemanha tem para se referir a negro e quais os usos dela - se é que você sabe isso... ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehehehehehehehehehehehehehehe. Dani I'm sorry, mas foi engraçado.

      Excluir
  7. Prefiro achar eu que não tenho como julgar o que causa constrangimento e dor à honra do outro. Tenho que confiar que quem se diz ofendido realmente está ofendido, mesmo que, no meu íntimo, eu discorde ou ache exagero dessa pessoa ou grupo.
    Eu posso achar que um apelido que dou a alguém é supercarinhoso, mas se a pessoa odeia, não interessa a minha opinião: tenho que parar de usar!
    Até a nossa querida Comandante...se ela quer ser chamada de presidenta, eu respeito.
    Honra é algo pessoal demais pra a gente julgar o que é "politicamente correto" ou não.
    É chato isso?? pode até ser. Fazer bullying é mais gostoso... Falar o que quer sem responsabilidades é mais gostoso...Ser infantil quanto ao sentimento alheio é mais gostoso.
    Mas, prefiro crer que respeito é bom e todo mundo gosta.
    E respeito a gente testa não com quem é igual à gente, mas com quem é diferente e tem visões de mundo que a gente não compartilha, que nos afronta, que nos desafia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindas palavras, Bruno. MAS...

      As Blogueiras Negras caíram de pau na peça por causa apenas da foto que ilustra esse blog. Nem se interessaram em saber qual era o contexto, a proposta do espetáculo, a reconstituição histórica, etc. Também não sabiam que um dos atores de "blackface" é negro - ou seja, era tudo uma sátira, e toda sátira traz uma crítica embutida.

      O pior ignorante é aquele que não quer nem saber.

      Excluir
    2. Vai pro céu.

      Excluir
    3. Bicha, a sra. é destruidora mesmo, viu?
      Arrasou.

      Excluir
    4. Bruno querido, ate mesmo quando eu NAO concordo com o q vc diz, os seus argumentos exercem sobre mim algum tipo de fascinio q eu nao saberia explicar.. hahahaha qual a sua idade? vc tb tem um blog? Se sim, gostaria mto de frequenta-lo!

      Excluir
    5. Oi Anônimo!
      Debater é mesmo bem melhor que concordar :^)
      Mas não tenho blog não, Tony é o meu pastor e nada me faltará!
      abraço

      Excluir
    6. Quando o comentário supera o post.
      Mas Tony é nosso pastor e nada nos faltará.!

      Excluir
  8. Politicamente correto é um sintoma de decadência do pensamento Ocidental. Diz aí, Monotemática: é ou num é? Complô maçônico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fui perseguido por ser politicamente incorreto!

      Falava que toda a gestão do Bush Jr. eram bichas passivonas enrustidas que gostavam de mão no cu! (Um pastor conservador Ted não sei o Que foi denunciado pelo miche que o atendia que ele gostava de methametamina e mão no cu! FISTING.)

      Eles são super hipócritas!!! Escrevem NO BRANCO E PRETO MENTIRAS QUE DEPOIS ELES TE PERSEGUEM SEM QUALQUE DIREITO.

      A não ser aqueles que eles passaram com o "Patriot" Act.

      Eles querem uniformizar tudo! Por isso voce ve camisetas do BANCO do Brazil em todo mundo nas arquibancadas dos jogos televisivos de volei, futebol de praia e caralho a quatro!

      Essa "elite" é podre!

      SE DIZEM Luciferianos, matando tudo que é gente que tenta trazer um pouco de luz para esse planetazinho muito do escotro!

      Só NÃO ME MATARAM porque eu pedi REFUGIO no Canadá e TAMBÈM ASSIM O FEZ O VEREADOR RENILDO JOSE DOS SANTOS em 1993 - mas foi assassinado (degolado por um soldado depois promovido a capitão) ao esperar a respostas.

      NÃO CONTENTES COM ISSO: ME COZINHARAM VIVO COM MICROONDAS.

      E cade os líderes gays do movimento homosexual brasileiro para me ajudar???

      A Dr. Maria Berenice Dias escreveu para o grupo inteiro dizendo que era para eu deixar de "maluquice" e "levar a vida pra frente".

      NINGUÉM ME AJUDOU ATÉ HOJE!

      Só não me matam porque não pode. DE RESTO FAZEM TUDO CONTRA MIM.

      Até hoje.

      Excluir
    2. Ted Haggard era o seu nome. Metanfetamina era a droga de uso.

      http://www.baciadasalmas.com/as-duas-quedas-de-ted-haggard/

      Excluir
    3. AFFFFF MONOTEMATICA, QUEM E VC AFINAL, CARALHO?

      Excluir
    4. Eu sou você...



















      ...Amanhã!!!!

      Excluir
    5. É um psicopata, que ameaça o povo com giletada. Mas imagina, tudo isso na WWW, portanto além do psi é um palhaço.

      Excluir
    6. A outra, analfabeta funcional, nunca ouviu falar de "liberdade criativa"...

      Te corto todinha tah burrinha!?

      Excluir
    7. Liberdade não. "Licença Criativa"...

      Excluir
    8. Gosto da mona Mono porque ela A-CRE-DI-TA. Só dar corda que ela segue liiiinda down the lane declamando algum monólogo surreal. Segura na mão de Deus e vai, fia! Pra onde não sei, mas vai.

      Excluir
    9. "Quando eu morrer, filhinho,
      Seja eu a criança, o mais pequeno.
      Pega-me tu ao colo
      E leva-me para dentro da tua casa.
      Despe o meu ser cansado e humano
      E deita-me na tua cama.
      E conta-me histórias, caso eu acorde,
      Para eu tornar a adormecer.
      E dá-me sonhos teus para eu brincar
      Até que nasça qualquer dia
      Que tu sabes qual é."

      Excluir
    10. Essa as da 21:51 divagou no sonho legal!!!

      A das 14:32 A-CRE-DI-TA que eu A-CRE-DI-TO no sonho humano! Eu, um enfiador de mão no cu profissional!

      Eu só faço uso do espaço querida - quando o Tonyh-A me deixa! Ele me censura de vez em quando ainda...

      Se sou alvo de CEN-SU-RA, achas que eu A-IN-DA "A-CRE-DI-TO" em alguma absoluta coisa?

      Excluir
    11. EssA?
      Tudo que você precisa é amor ou sair do Brasil.

      Excluir
  9. Gay branco: "eu não sou racista". Realidade: não tem um amigo negro, mas pega negão dotado escondido e depois se gaba contando pros amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem coisa mais gostosa?

      Excluir
    2. Tem, não ser ignóbil como você.

      Excluir
    3. Ui, finalmente usou aquele Aurélio que vc comprou em 2002?

      Excluir
  10. Mono,meu amor,tem maçom negro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AGORA tem de tudo.

      Antes não tinha nada, e eles se consideravam "iluminados" do mesmo jeito.

      O Brasil foi o último país a abolir a escravidão. Eles se gabam de terem "dado" isso pros negros.

      Ridículos esses maçons.

      Excluir
  11. O bolo afrodescendente no Rio diz muito sobre o atual estado das coisas no Brasil, tá um campo minado, um passo e vc fica sem uma perna, esses "ativistas" são uns desocupados, sacrificaram o Fallabela sem lembrarem a relação dele com a sua empregada negra que está com ele desde a época da dureza, hj ela tem vida de rainha, vc sabe desta história, Tony?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que ele tem dezenas de amigos negros e teve a ideia para "Sexo e as Negas" durante uma feijoada numa favela carioca.

      Excluir
    2. Bjs seu lindo,obrigado por responder.

      Excluir
  12. Anônimo 12: 46h, vc é fajuta benhe com esse Tonya , é Tonyah!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Monotemática= perseguida, elite, maçom, Canadá, dominador.

    ResponderExcluir
  14. Tony, eu moro em São gonçalo.
    A maioria da população de São gonçalo é branca e parda, há muitos negros sim, mas não são a maioria.
    Bem que não estão exigindo mais negros na série, porque nada que vem forçado é bom pra trama, tudo tem que ser de forma natural.
    Seria a mesma coisa se exigissem mais negros em Sex and the city só porque a série se passa em Nova York e lá tem muitos negros.
    Ah, é nós de SG, nunca falamos que aqui é grande Rio, e sim região metropolitana, mesmo que seja praticamente a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  15. O mio babbino caro
    "Mexe
    Qualquer coisa dentro, doida
    Já qualquer coisa doida
    Dentro mexe"
    Enquanto Baltimore não chega, vamos nos distraindo com isso. A vilania nacional, diante desse tema é tal, que qualquer ignorância notabilizada, é menor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As I walk the streets of Hollywood Boulevard
      Thinkin' how hard it was to those that starred
      In the movies portrayin' the roles
      Of butlers and maids slaves and hoes
      Many intelligent Black men seemed to look uncivilized
      When on the screen
      Like a guess I figure you to play some jigaboo
      On the plantation, what else can a nigger do
      And Black women in this profession
      As for playin' a lawyer, out of the question
      For what they play Aunt Jemima is the perfect term
      Even if now she got a perm
      So let's make our own movies like Spike Lee
      Cause the roles being offered don't strike me
      There's nothing that the Black man could use to earn
      Burn Hollywood burn

      Excluir
  16. Racismo existe no Brasil, e muito. Não existe democracia racial.

    Mas o problema é importar dos EUA um sistema binário, no qual ou se é branco ou se é negro. Isso é péssimo. Não houve miscigenação nos EUA praticamente e o tema é tabu, especialmente entre os negros.

    Não que miscigenação seja atestado de inexistência de racismo, como quer a tese da "democracia racial", mas é algo positivo vivermos em uma sociedade que tolera a mistura de cores, culturas e credos.

    Por isso eu me irrito com esse neomovimento negro que vem surgindo no Brasil. A maioria da população brasileira NÃO é negra. É parda. Mestiça. Os negros são uma minoria no Brasil. Só que agora a nova onda é chamar de negro quem é pardo ou preto. Como se todo pardo tivesse ascendência afro, o que não é verdade, em especial no Norte. Aceitem o sistema triplo brasileiro. Os EUA não são caso de sucesso. O negro tem mais dignidade no geral, mas isso se dá muito mais por questões econômicas do que culturais. A segregação cultural é GRITANTE lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos negros nos EUA são azuis de tão pretos.

      Realmente não são nada parecidos com os negros no Brasil.

      Excluir
    2. Péssimo para quem? (Seja sincero)
      Sinto informa-lo mas você vai se irritar muito mais. Mais que homofóbico vendo idosas se beijarem.

      Excluir
    3. Realmente, no Brasil, entre o negro e o branco há uma escala de tons, e o preconceito atinge quem tiver da metade em direção ao preto, então acho que o reducionismo da militância é mera questão de praticidade e objetividade. Por mais chata que essa militância seja. No Brasil, há preconceito com preto, com nordestino/nortista, com pobre, e tudo isso é reducionismo, já que são definições que nem sempre resumem alguém.

      Excluir
    4. Exatamente. Quem é mais claro sofre menos preconceito, então obviamente devemos falar em categorias separadas: pardos e negros. São grupos totalmente distintos. O negro sofre MUITO mais preconceito que o pardo. Basta ver o mercado de trabalho.

      É péssimo para a sociedade, Anônimo #1. Eu fui expulso de uma igreja no Harlem por não ser negro. É esse o nível nos EUA. Existem locais de negros e locais de branco, inclusive após os direitos civis. Não quero isso aqui. Quero que brancos continuem frequentando terreiros, bailes funk, etc. Aliás, boa parte das comunidades do Rio são formadas, em boa parte, por migrantes nordestinos, que não costumam ser negros (exceto os que vieram da Bahia).

      Excluir
    5. É péssimo para qual sociedade? Deixa de ser hipócrita, isso é miopia ou má fé. Quero que Negros "continuem" frequentando coberturas no Leblon, nos jardins, estejam na Fiesp, nos cursos de medicina e nos terreiros, bailes funk, etc. Aqui, pode não haver lugar de negros mas locais de brancos nós todos sabemos

      Excluir
    6. Então para você os pardos não existem? É negando uma categoria racial que se alcança a igualdade? Sinceramente, você é patético.

      Quero que os negros frequentem esses lugares. Assim como os pardos.

      É péssimo dividir a sociedade em dois blocos.

      Excluir
    7. E cala a tua boca antes de me chamar implicitamente de branco. Minha bisavó era negra e meu bisavô descendia de índios. Para com essa merda de dividir a sociedade em dois. O Brasil é majoritariamente pardo, com histórias familiares como a minha.

      Excluir