terça-feira, 28 de abril de 2015

INDONÉSIA DE MAL A PIOR

Para os que ainda insistem que a Indonésia não pode ser criticada poque se trata de uma nação soberana, recomendo a leitura do artigo de Carlos Eduardo Vasconcelos publicado hoje no UOL. Para quem acha que a pena de morte resolve o problema do tráfico, também. A Indonésia é um país brutal, nominalmente uma democracia, mais ainda longe de poder ser chamado de civilizado (nós também não podemos, mas estamos um pouco mais à frente). Hoje foi executada mais uma leva de estrangeiros, e de nada adiantaram não só os apelos do Brasil como também os de Holanda, Austrália e muitos outros países. Some-se a esta barbaridade o fato de que Rodrigo Gularte era, comprovadamente, doente mental: que merda de lugar é esse, que fuzila esquizofrênico? E não é só o Brasil que acha. O presidente recém-presidente Widodo, que não livrou a cara de ninguém, conseguiu se indispor com inúmeros países amigos, além de piorar muito a imagem de seu próprio país.

56 comentários:

  1. Vemos tanta morte à toa no dia a dia, no Brasil, gente sendo morta por bala perdida, em assalto, a barbárie é tão nossa amiga no cotidiano, que acabamos não conseguindo nos solidarizar ou ter empatia alguma com o mané (esquizofrenico ou não) que resolveu ganhar uns milhares de dólares levando pó nas pranchas de surf. Não justifica, mas explica o desprezo do brasileiro comum por essa história.

    ResponderExcluir
  2. Certamente não será por pressão do anão diplomático brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem do australiano, nem do norueguês e nem do holandês.

      Excluir
  3. Rodrigo era da minha cidade, e tenho alguns amigos em comum ele, talvez por isso essa história me pareça particularmente chocante. Mais chocante ainda é ler os comentários na internet, aquela velha ladainha de que traficante tem que morrer, destroem famílias, bla bla bla...Compra droga quem quer, e viciados e traficantes são os dois lados da mesma moeda, um não existe sem o outro...Enfim, sei lá, não consigo compreender como algumas pessoas conseguem se regozijar com essa execução...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E os "excelentíssimos juízes" que os condenam, na sua maioria absoluta, são usuários de drogas hipócritas.

      Nunca deveriam condenar ninguém por traficar produtos que eles mesmo usam.

      Como fazem com os POBRE coitados pretos no Brasil, enquanto ganham salários altíssimos do governo federal.

      Excluir
  4. A questão é a seguinte: a Indonésia é um país islâmico. E o islamismo tem uma visão bastante flexível sobre alguns temas. Matar alguém, por exemplo, não é tão grave se for em nome de Alá. E não digam que é uma fração deles que pensa assim. É muita gente. Sempre que ocorre algum ato terrorista, as organizações islâmicas são bastante reticentes para condená-los de imediato.

    A Indonésia é isso: matar o outro pode, porque o outro é infiel. O infiel pode ser decapitado, mutilado, fuzilado. Pode tudo com a Geni, gente! Ela é infiel e tem que morrer mesmo - assim pensam eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calma lá: apesar de alguns bolsões extremistas, a Indonésia pratica um islamismo bastante light, se comparado ao do Irã ou ao da Arábia Saudita.

      Mas a maioria da população apoia a pena de morte, e o presidente Wikodo - que assumiu em outubro do ano passado e desde então viu sua popularidade evaporar - tem usado as execuções para ver se melhora sua imagem interna. Em compensação, estragou a imagem externa para sempre...

      Excluir
    2. tonyah - o anônimo acima zerou o seu blog - tô até com certa invejinha policromática dele/a - é q a sra é francófona - e sabemos muito bem da já antiga afinidade francesa com os países do oriente médio - Houellebecq manda beijos - tonyah sempre conciliadora

      Excluir
  5. ele não era esquizofrênico quando cometeu o crime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo Gularte já tinha histórico de instabilidade mental muito antes de cometer o crime:
      http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2015/04/28/drogas-e-bipolaridade-marcaram-adolescencia-de-brasileiro-na-indonesia.htm

      E, mesmo que ele tenha ficado esquizofrênico depois (o que é improvável, pois a esquizofrenia costuma se manifestar na adolescência), faz sentido punir uma pessoa que não tem noção do crime que cometeu?

      Excluir
    2. Ah vá. o cara era todo problema desde sempre, veja o que conta a mãe:
      http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,de-familia-rica-gularte-comecou-a-cheirar-solvente-aos-13-anos,1677702

      Excluir
    3. Não sou a favor da pena de morte para um crime desta natureza. Mas toda essa alegação de doença mental pra mim, neste caso, é engodo. História pra boi dormir. Estratégia de defesa para reverter a pena. A mim parece que é necessária uma boa dose de racionalidade e capacidade de tomar decisão para escolher ser mula. Ele não foi coagido, etc etc.

      Sinceramente, o depoimento da família é crível? Ele tem o direito de se defender como quiser. Agora comprar essa ladainha é outra conversa.

      Excluir
  6. O mio babbino caro
    Quisera tivéssemos aqui também... execuções, somente depois de julgamentos e condenações.

    ResponderExcluir
  7. Parafraseando a Luciana Genro: tudo bem lamentar a morte do Rodrigo gularte. Também lamento(mentira!!!) Mas porque não lamentam também a morte do menino de 10 anos vítima de bala perdida?
    Ó, grande pátria desimportante...
    Ó, anão diplomático...
    O Estado brasileiro mata milhões ao se omitir de prestar saúde e educação...
    e são inocentes os que a Dilma e os seus antecessores matam...
    Eu prefiro sempre valorizar quem cumpre seus deveres, quem é inocente, quem poderia ajudar a construir o país.
    Os outros, eles que cuidem sozinhos das consequencias dos seus atos.
    não tô disposto a me ocupar dessa gente...
    não é nos compadecendo por Rodrigo que construiremos um país melhor.

    ResponderExcluir
  8. Desde a primeira execução, uma coisa que tento entender é como alguém em sã consciência, sabendo da penalidade, leva drogas pra lá, será que é muito dinheiro, é espírito de aventura?
    Acho muito incoerente esse pessoal que se declara pró vida, contra o aborto, defendendo pena de morte, valendo-se da máxima de bandido bom é bandido morto.
    Meus sentimentos à família. Tudo que é radical demais, irreversível, beira o erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leva, porque a Indonésia é um país corrupto. É só pagar que passa. E de vez em quando pegam uns "bodes expiatórios" para mostrar serviço. Basicamente isso. Achar que não tem tráfico lá é no mínimo inocente...

      Excluir
  9. Eu sou a favor da pena de morte em caso de traficantes. Tudo bem que os traficantes não existiriam sem os dependentes químicos, mas não consigo me condoer com esses patifes. Se o governo da Indonésia usa a soberania do país para aumentar seus índices de popularidade, isso não vem ao caso. O que vale é que o país é soberano e que a sua população aprova seu código penal.
    O único dó que sinto é que o miserável ficou anos e anos com o fuzil apontado ao peito, vivendo numa tortura psicológica indescritível e onerando os cofres públicos daquele país, ou seja, uma situação em que perde ele e perde o povo . A Indonésia está corretíssima na aplicação da pena. Errada, porém, quando demora muito em fazê-lo.
    Civilizada é a Europa, que afunda embarcações com imigrantes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emerson, as pessoas têm direito de usar drogas. Você é a favor da execução do conselho da Smirnoff, então? É essa a questão. As pessoas têm total liberdade para fazer o que quiserem. Ditadura pensa o contrário.

      Não estamos falando de traficantes que comandam organizações massacradoras, mas sim de uma pessoa que levou droga para outro país. Existe um abismo entre Fernandinho Beira-Mar (condenado por homicídio, inclusive) e um cara como o que foi fuzilado.

      Excluir
    2. Emerson, e se você acha a Indonésia o máximo, mude-se para lá. Cuidado para não ficar com homens, senão pode rolar um apedrejamento em praça pública também.

      Excluir
    3. O João sempre vem com esse argumento da droga lícita e da ilícita. Cansa a minha paciência. Você mesmo diz que cabe ao Congresso editar leis. Assim, são os parlamentares que devem decidir o que é lícito ou não e à sociedade concordar com isso ou não.
      Eu não sou obrigado a me lamentar por quem não fará falta alguma. Era doente mental, mas não rasgava dinheiro. Ele e o Beira-Mar são a mesma sopa; um não vive sem o outro.
      Querer exilar quem pensa diferente também não é Ditadura? E ser gay no Brasil, com tanta homofobia e indiferença das autoridades, é tão mais confortável do que ser gay em outros lugares do mundo?

      Excluir
    4. Tem razão. É igoooal é a ser gay em países nos quais o apedrejamento é institucionalizado ou nos quais a homoafetividade é crime.
      No mais, sobre pena de morte ou não, você é a favor da morte para os usuários também? Se não for, não faz sentido, já que há uma relação simbiótica entre fornecedor-consumidor.

      Excluir
    5. Emerson, na Civilização Ocidental cristã, não cabe flexibilizar certas regras, como a que impede que alguém seja morto. Não pode matar alguém; ponto final. É óbvio que é muito melhor ser gay no Brasil do que na maioria dos países do mundo. Pesquisa um pouco mais antes de falar tanta besteira.

      E ditadura é com D minúsculo. Não existe regra no português para palavras como essa (tampouco para democracia, república, etc).

      Acho surreal, mas SURREAL mesmo, alguém defender pena de morte para alguém que não matou alguém. Simples assim. Se você é favorável à pena de morte para quem cometeu homicídio, tudo bem, mas se é para tudo, MUDE-SE PARA A ARÁBIA SAUDITA então.

      Excluir
    6. Ok, ser gay no Brasil é otimo. Por isso, lutamos tanto por migalhas e nem isso conseguimos. Nem existe homofobia aqui, nem ficamos ofendidos quando dizem alguma coisa contra nós. Tudo perfeito. Ninguém é assassinado, nossos companheiros podem até participar do plano de saúde sem que tenhamos de entrar na justiça, podemos adotar e por aí vai, numa lista infinita de benesses que não se vê em lugar nenhum do mundo. Por que, então, o chororô pelos nossos direitos?
      Ditadura é com D minúsculo? Notícia que vai mudar o mundo para sempre. Ainda assim, prefiro com D maiúsculo: Ditadura.
      Por que se incomodar tanto por que alguém não pensa como você? É esquizofrenia? Eu sou a favor da pena de morte para traficante e ponto final. E repito: sou apenas contra o tempão que esses vermes ficam no corredor da morte. Não sou obrigado a lutar por essa gente.
      Citando o Bruno: eu prefiro sempre valorizar quem cumpre seus deveres, quem é inocente, quem poderia ajudar a construir um país melhor.

      Excluir
    7. Então, Emerson, acho que você precisa pesquisar um pouco melhor. No Brasil todos os direitos que os heterossexuais têm: adoção, casamento, possibilidade de incluir em plano de saúde, direitos previdenciários, etc. Na vasta maioria do mundo esses direitos são negados aos homossexuais. Por mais que tenhamos preconceito no Brasil, o preconceito não é institucionalizado. Veja o mapa mundi da ILGA e tome ciência da quantidade enorme de países onde homossexualidade é punida com morte, com prisão ou com penas corporais. Não são poucos países! Valorize mais o seu país, pois você poderia ter nascido no Sudão, na Arábia Saudita, na Guiana, etc.

      Opiniões diferentes não me incomodam. Mas opiniões contra a vida me incomodam, sim. Por que o traficante é um verme? Por que vende um cigarro de maconha? O que a maconha faz de tão mal que uma bebida alcóolica não faz? Por favor, Emerson, sai dessa roça onde você vive e cai na realidade. Existe uma miríade de drogas vendidas legalmente que fazem tanto mal quanto cocaína, maconha e afins. O traficante apenas vende drogas não legalizadas para outras pessoas...que conscientemente as consomem. Essa figura do "dependente químico" representa 1% das pessoas que utilizam drogas; a vasta maioria o faz controladamente e em momentos de lazer. Agora, os dependentes do álcool e dos remédios controlados ninguém expõe, simplesmente porque não é conveniente.

      Você não é obrigado a lutar por essa gente, mas pode pelo menos entender que deve existir uma coisa chamada PROPORCIONALIDADE entre a conduta praticada e a pena. E que pena capital é algo absurdo.

      Gente como você não contribui em nada para um país melhor. Contribui para um país PIOR, porque não cai na real de que a proibição das drogas sustenta uma enorme rede de corrupção, desde o policial que aceita propina até as mais altas cúpulas do Brasil e de todos os países. É legalizando que se resolve; deixando quem quiser se drogar se drogar. Só isso. Se você não entendeu, vem aqui pro Rio de Janeiro para eu te mostrar as consequências da proibição...

      Excluir
  10. Quase todo Sudeste asiático tem pena de morte para crime de drogas, como Tailândia, Vietnã, Malásia; e, subindo, Cingapura e China. A grande questão é que é uma cultura muito diferente da ocidental, do nosso modo de pensar, e não só pela religião, o islamismo, que por lá é mais light. A questão é que pensam diferente e entendem (com todo o direito) que o tráfico de drogas é tão ou mais grave que um homícidio(concordo que se considerarmos a fundo o problema, concordaremos com a tese). Se formos pensar no brasileiro que hoje foi executado ele também foi uma vítima das drogas e, em algum momento, de um traficante. A questão é que o ocidente não admite a pena de morte para um crime "sem violência" (volto a dizer que no fundo, no fundo, é tão ou mais violento que um homicídio) e eles não pensam dessa forma. E temos que tentar entender isso e não simplesmente aceitar como modelo universal e correto o modelo ocidental. Eu sou contra a pena de morte, filosoficamente falando, mas não acho que nosso "modelo" seja muito melhor - hoje nosso aparelhado STF mandou soltar os executivos presos na Lava Jato, reforçando o sentimento de impunidade no brasileiro. Enfim, lamento por tudo que as famílias dos executados estão sofrendo, mas não consigo condenar tão rápida e facilmente a Indonésia. A questão é muito complexa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, o STF mandou soltar o pessoal da Lava Jato porque a lei assim determina. Não é o juiz que pensa "ai, vou soltar todo mundo". A lei estabelece prazos para a prisão antes de uma sentença transitada em julgado. Se não teve decisão definitiva ainda transitada em julgado (ou seja, irrecorrível), não cabe manter a prisão, que tem um prazo de duração antes que isso ocorra.

      Logo, cabe ao Congresso Nacional editar leis melhores.

      A Indonésia é um lixo de país e está muito atrás da Austrália, que não tem pena de morte e é sua vizinha.

      Excluir
    2. Leandro, todos esses países que você citou não executam estrangeiros porque sabem que o ônus político é imenso. A Indonésia esqueceu disso, e comprou briga com países ricos ou emergentes com quem se dava bem. Puta cagada diplomática.

      E para quem é realmente contra a pena de morte, a questnao nnao tem nada de complexa.

      Leia o artigo indicado no post!!

      Excluir
    3. João, a lei sobre liberdade provisória é interpretativa, tanto que o julgamento foi 3 a 2 - convenientemente. O STF é extremamente garantista, principalmente com ricos poderosos e políticos, mas não com ladrão de galinha. As nossas leis são falhas, o nosso judiciário não ajuda, pra não falar no lixão do executivo. Tony, eu já tinha lido o artigo logo que saiu, mas todos os países que citei tiveram execuções por tráficos de drogas nos últimos dez anos. Eu não inventei, depois de uma olhadinha aqui .... http://deathpenaltynews.blogspot.com.br/
      Enfim, a questão não é fácil e não quero simplificar!

      Excluir
    4. Nenhum governo que diz que matar é errado está no direito moral de matar também por qualquer motivo que seja.

      É contraditório. E imoral.

      Excluir
    5. Não é interpretativa, Leandro. Não tem interpretação quando a lei é taxativa.

      A questão é que o STF é bastante político e sempre faz um placar assim para que alguns dos seus membros se exponham mais.

      Não tem espaço para interpretação quando nosso sistema carcerário sequer comportaria essa interpretação para milhares de brasileiros presos (não tem espaço).

      Excluir
    6. Meus caros, gostaria de ter tantas certezas quanto as de vocês; infelizmente, meu imperativo de consciência me impede de fazê-lo.

      Excluir
    7. Leandro, é bastante simples: a lei é ruim, porque o Brasil não tem onde enfiar seus presos. Como melhorar isso? Fazendo PPP de presídio; permitindo que a iniciativa privada construa e opere presídios, como ocorre em vários países. Só que não existe interesse político nesse sentido, porque se isso ocorresse, a legislação endureceria e os políticos eles mesmos não querem isso. :)

      Logo, o problema é muito mais profundo do que parece.

      E interpretação, como eu disse, é sempre mais favorável ao réu no direito penal. É diferente de direito civil, direito constitucional, etc, nos quais há verdadeiras cláusulas abertas, que permitem uma interpretação muito extensa...como foi o ocorrido com a união entre pessoas do mesmo sexo.

      Excluir
    8. João, agora concordamos que a questão é complexa. Continuo achando o STF garantista(pro mau lado); o habeas corpus foi julgado pelo TRF4, pleno, STJ e pleno. Claro que o STF por 3 a 2, achou que o direito dos "pobres oprimidos" estava sendo cerceado. Vamos deixar como está. Temos que evoluir muito como povo, como nação. Talvez devêssemos abrir um pouco mais a perspectiva em relação a outros povos e outras culturas.
      Mesmo a Austrália que, sem dúvida, é um lindo país; teve essa semana uma grande discussão sobre deportar ou não uma família cujo filho era autista. Isso gerou uma grande discussão, assim como a execução dos Bali Nine na Indonésia.
      O Japão também tem pena de morte aplicada. O EUA tem pena de morte aplicada, em estados como Califórnia e Flórida. Então não são apenas os pobres que querem pena de morte e os "desenvolvidos" que não. A China e o Irã são culturas milenares e aplicam a pena de morte. Ditaduras aplicam pena de morte! Democracias aplicam penas de mortes! Protestantes, budistas, muçulmanos aplicam penas de morte! Muitos não aplicam a pena de morte e muitos a aplicam.
      Enfim, o que quero deixar claro - e finalmente concordamos- é que essas discussões são complexas e envolvem mais do que "o Certo" e "o errado". Se entendermos isso, já será um grande ganho.

      Excluir
    9. Estamos falando de pena morte para homicídio nos EUA e em outros países. A Indonésia aplica a pena de morte para situações nas quais nem homicídio houve. Ou seja, país desenvolvido não aplica pena de morte para qualquer situação.

      É esse o "x" da questão. E ainda assim, a vasta maioria dos países desenvolvidos não tem pena de morte por um simples fato: o erro não pode ser corrigido. Diferentemente de prender alguém e poder soltar essa mesma pessoa depois.

      Excluir
  11. Tony, recomendo esta notícia: http://www.abc.net.au/news/2015-02-26/fact-check3a-does-the-death-penalty-deter3f/6116030

    Sim, o Brasil na lista parece equivocado. Mas é bem verdade que temos, sim, pena de morte, só que para tempos de guerra.

    Para quem estiver com preguiça, o site mostra que país pobre geralmente tem pena de morte...país desenvolvido não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Estados Unidos tem pena de morte a rodo!

      E A MAIORIA DOS LUGARES QUE AS EXECUTAM ESTÃO NO PARALELO MAÇÕNICO 33º:

      http://imaginativeworlds.com/forum/showthread.php?4661-Number-33-Illuminati-Signature-of-Numbers-9-11-amp-33

      Do link acima: "FOR ATEMPORAL POWER!"

      http://www.scoreboard-canada.com/aricles-ph33.htm

      Tem que ser muito trouxa para apoiar esses maçonzécos com raivas infundadas com sentenças assinadas por juizes cheiradores de pó hipócritas.

      Excluir
    2. Nos EUA poucas pessoas são executadas. E nem todos os estados a possuem. É um país singular nesse tema.

      Excluir
  12. Gente e dai? comparar gregos com troianos não faz diferença nenhuma, todos assassinos frios, a guerra ao trafico no brasil é mais importante que apenas uma vida, não se justifica nenhum erro cometendo mais um ou dois concordo, mas nos comentários virou de praxe e até um certo clichê escrever frases como "ah Brasil, Anão Diplomático" mas e dai? vocês se importam mesmo com esse sujeito que foi morto?
    eu não e não sou hipócrita em dizer que sim, porque senão seria hipócrita, entendeu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me importo, ainda mais porque se tratava de um doente mental.

      Excluir
    2. Eu me importo por viver num planeta MEDIEVAL comandado por "realezas" que fazem RITUAIS DE SANGUE SATÂNICOS COM CRIANCINHAS INOCENTES IMPUNIMENTE enquanto montam circo no mundo inteiro para os "subjects" (súditos - mas subjects é mais claro semânticamente) deles.

      Excluir
  13. Aliás, tem uns países árabes que te fazem passar no body scanner pra saber se tem rastro de droga até na sola do seu sapato. Tipo wtf?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Países árabes? Isso aconteceu comigo na Alemanha e no México, mas no big deal..Falso moralismo dessa gente falando "traficante tem que morrer", e depois ir fumar baseado na praia, tomar bala na balada e ficar colocada de padê em algum inferninho qualquer.Nesse momento, o "dealer" é o cara...Hipocrisia, a gente se vê por aqui...
      ]

      Excluir
    2. Daniel, a Austrália também faz isso. Tem uma série ótima só sobre aeroportos chamada "Border Security": https://www.youtube.com/watch?v=gUT99F2xvMo

      Ocorre que você não é preso por ser usuário lá; só se estiver traficando (e não tem pena de morte, óbvio).

      Excluir
  14. Brasil....o país em que a liberdade só tem que valer para o "eu"...eu posso fazer o que eu quiser, mas o outro deve estar no seu devido lugar. Somos conservadores, mal-informados, retrógrados e extremamente incoerentes. Olhamos o outro com olhos de Sherazades e Rodrigo Constantinos, mas queremos para nós a liberdade de um político petista.
    Pelas leis internacionais que, no caso, a Indonésia é signatária a pena capital é exclusiva para crimes de morte, ou seja, não tem essa de leis internas. A Indonésia cometeu um crime também!!

    ResponderExcluir
  15. Era o que faltava...gay falando que a Indonésia está correta. Acho que é falta de Google, só pode ser. Todo país desenvolvido não tem pena de morte quando o crime não envolve morte, aí a pessoa quer justamente o IDH baixo. Que fixação com pobreza, hein? Mudem-se para a Indonésia! Vão pegar alguém lá para ver o que acontece com vocês. País islâmico terrorista.

    ResponderExcluir
  16. Um virou pastor, o outro artista, o outro esquizofrênico...cada um com sua receita de reabilitação ou de fugir da realidade ( se eu tivesse condenado à morte tbm sairia da realidade ). Legalize tudo agora, sabe quem n quer q legalize tudo? O crime organizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Anônimo. Tanto é assim, que a LEAP (uma organização de delegados, juízes, policiais, etc) milita pela legalização das drogas, porque é a ilegalidade que gera a criminalidade. LEAP-Brasil: https://www.facebook.com/LEAPBrasil?fref=ts

      Excluir
    2. Cala a boca João.

      Excluir
  17. Nao tenho pena nao...um metidinho a traficante a menos..ja vai tarde...se fizesem o mesmo no brasil acaba com o crime organizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha aham...tanto é assim que nenhum país desenvolvido fez

      Excluir
    2. Por favor, Emerson, sai dessa roça onde você vive e cai na realidade. +1
      João Divo!

      Excluir
    3. Mas o eua primeiro mundo e tem pena de morte !

      Excluir
    4. Não tem pena de morte para crime que não envolva homicídio, como é o caso da Indonésia. Nem todo estado nos EUA tem e mesmo os que tem executam pouquíssimas pessoas por ano.

      Excluir