sábado, 11 de abril de 2015

BARBARA NÃO LHE ADORA

A morte de Barbara Heliodora deixa um buraco enorme no teatro brasileiro. Também marca o fim de uma era: simplesmente não existem mais críticos influentes como ela foi no Rio e Sábato Magaldi (ainda vivo, mas fora do ar) em São Paulo. Apaixonada, culta e sem a menor papa na língua, a maior especialista brasileira em Shakespeare acabou conquistando a admiração dos mesmos atores que destroçava nas páginas de "O Globo". Suas resenhas eram minuciosas, chamando pelo nome cada um dos coadjuvantes, o iluminador, o cenógrafo, até o pipoqueiro. Não livrava a cara de ninguém, nem de seus amigos, e sabia exatamente do que estava falando. Mas não tinha nada de mal-humorada: divertiu-se muito com a peça "Barbara Não lhe Adora", onde uma clone sua era sequestrada pelo diretor e obrigada a assistir amordaçada ao espetáculo que tanto odiara. Aqui em casa, não temos do que reclamar. Meu marido teve a honra de ser elogiado por ela duas vezes, e a sorte ainda maior de nunca ter sido espinafrado.

10 comentários:

  1. SABIA que o seu post ia ter esse nome!!!
    O auge do bafafá dela foi quando ela foi expulsa da sessão de estreia de uma peça no Rio. O diretor a viu na plateia e botou ela pra fora. Pesquisar no google já.

    ResponderExcluir
  2. Gerald Thomas? Eu de Ssa, sempre ouvi falar dessa mulher!

    Agora pode uma cidade que se pretende cosmopolita, não ter um crítico que ambicione ser tão impactante quanto a obra que critica? Umas das cenas mais bacanas de Birdman é justamente quando o ator enfrenta a crítica num bar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também pensei em Heliodora quando vi essa cena de Birdman, mas agora que ela morreu fui ler algumas coisas e parece que ela era bem-humorada.

      Excluir
  3. Como leitor, desde o tempo do JB, e órfão de BH, acho a expressão 'papas na língua' inadequada para a senhora, que era uma pena elegante, britânica. Ela de fato não poupava quem atentava contra o teatro, seja por picaretagem ou falta de, digamos, vocação. Mas o fazia de forma classuda, ainda que muito clara, direta e enfática. A peça underground 'Bárbara não lhe adora' eu fui ver devido a sua crítica positiva, e era muito divertida, lhe fez justiça.

    ResponderExcluir
  4. O "marido" tb e' do ramo? Imagino o circo que deve ser a sua casa.........

    ResponderExcluir
  5. O mio babbino caro
    Qual a perda maior, a autoridade na obra de William Shakespeare ou a crítica de teatro brasileira. Grande perda.

    ResponderExcluir
  6. Mas aí quando alguém fala mal das porcarias de filmes da Globofilmes, vc defende, elogia. Queria uma Heliodora destroçando cada um daqueles lixos.

    ResponderExcluir
  7. Eu assisti esse espetáculo - "Bárbara nao lhe adora". E lembro que Bárbara assistiu e fez até uma boa crítica. Era uma Mestra e sabia o que dizia. triste é que no Brasil nao surgirá outra.

    ResponderExcluir