sexta-feira, 24 de abril de 2015

A MORAL E O MALA

Alguém aí conseguiu ficar acordado até a uma da manhã para ver o "Na Moral" especial dos 50 anos da Globo? Eu não, porque ando desmaiando por volta das onze. Mas assisti hoje de manhã, pela internet. Achei ótima a ideia de colocar uma família mediana no sofá do "BBB", para deixar implícito que eles estão sendo observados. E alguns comentários foram reveladores, como o da moça que não tem nada contra os parentes gays, contanto que eles não "afrontem" os demais. Mas claro que quem roubou os holofotes foi Silas Malafaia. Sempre aos berros, sua marca registrada, o pastor proferiu inverdades, outra de suas marcas. Disse que em nenhum país do mundo a TV aberta exibe cenas de sexo "explícito" (que ele parece não saber direito o que é) como no Brasil. Foi imediatamente rebatido por Silvio de Abreu, que lembrou que as soap operas americanas, que passam à tarde, trazem temáticas bem mais ousadas que as das nossas novelas. Beijo gay por lá é notícia velha... O pastor-mala também citou um estudo americano que fala sobre o "mal" que casais do mesmo sexo estariam fazendo a seus filhos adotados - estudo este que já foi desacreditado por toda a comunidade científica séria. Mas num ponto ele teve razão. Foi quando lembrou que todos esses episódios fazem parte de um embate maior, entre a cultura judaico-cristã e a humanista-ateísta. Só que quando ele dá um nome religioso para seu lado nesta batalha, na verdade está escondendo que se trata do mau e velho patriarcado, o alicerce das três religiões abrâmicas. As versões fundamentalistas do judaísmo, do cristianismo e do islamismo nada mais são do que instrumentos para o homem oprimir a mulher. Por isto que essa turma vê a homossexualidade como subversão: as bibas não estão interessadas em oprimir nenhuma mulher, nem as lésbicas em serem oprimidas por nenhum homem. Todo o edifício patriarcal cai por terra. No mais, o programa foi divertido e instrutivo como de costume, apesar de sempre se ressentir de sua curta duração. Mas se fosse mais longo não caberia na TV aberta, onde aliás já foi confinado para a madrugada. Tomara que venha mais uma temporada completa por aí, e não só esta edição especial.

(Para variar, não consigo embedar nenhum vídeo do Gshow aqui no blog: quem quiser ver trechos do programa tem que visitar o site)

9 comentários:

  1. O futuro de uma sociedade nunca foi mera repetição ou perpetuação do seu passado... E o Brasil-Mala parece não aceitar isso.
    Mas, a família me impressionou mais do que o Malafaia. Aquela família deixa claro que Malafaia só existe porque o Brasil ainda é, na sua maioria, deseducado, e, sem saber disso, faz questão de passar essa deseducação pra as próximas gerações, e ainda acham que estão prestando um grande serviço à humanidade.
    Quer prestar um grande serviço à humanidade? vá cuidar da sua própria vida...
    Como diz o poeta, nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo muda o tempo todo no mundo.
    Deal with it, bitch!

    ResponderExcluir
  2. Preguiiiiça desse senhor. Porque ele não vai cuidar das crentes dele?

    ResponderExcluir
  3. Acho que tá liberado falar "incorporar" vídeos de internet.

    ResponderExcluir
  4. O Jean Wyllis iria participar desse programa, mas não foi à gravação...

    ResponderExcluir
  5. OTIMO TEXTO!!!!! Sim, religião é um pretexto.

    ResponderExcluir
  6. O mio babbino caro
    Há inocentes, deseducados, etc e bandidos, esse cara sabe que é bandido, e o Brasil não o trata como tal. Se fato. Fez muito bem o Sr. Jean Wyllys de não participar, esse cara não é digno de ficar a seu lado.

    ResponderExcluir
  7. Eu estava assistindo o debate na rua com o fone de ouvido e olha, vou te falar, foi preciso baixar o volume toda vez q o pastor comecava a falar! Para mim antes parecia odiavel essa super eloquencia, hoje em dia em vez disso acho super legal q ele se exalte dessa maneira, assim quem sabe em algum momento ele nos dë a todos o privilegio de ve-lo sendo vitima de um infarto fulminante bem no meio de uma entrevista! HAHAHAHA

    ResponderExcluir
  8. Vc fala que é otimo pq tem amigos na globo pq ninguem aguenta mais programa pro brasileiro mediano. Uma pessoa inteligente nao vai assistir programa da globo com a internet e a televisao bombando de boa

    ResponderExcluir