quinta-feira, 26 de março de 2015

MULHERES INQUEBRÁVEIS


Tem muito filme interessante em cartaz, mas tá difícil convencer o corpo exaurido depois de um dia de trabalho a encarar um cineminha. Ainda mais quando a TV está transbordando de ofertas. Toda semana surgem uns 47 seriados novos, e precisaríamos ter um dia mercuriano para dar conta de todos. Como nem tudo é bom, as dicas dos amigos são importantes. Essas são as minhas de hoje: no quesito comédia, a sensação do momento é "Unbreakable Kimmy Schmidt", a nova série escrita por Tina Fey. Traumatizada com a baixa audiência de "30 Rock", a rede americana NBC passou a bola para o Netflix. O que pode ser bom para a segunda temporada, para os roteiristas pirarem ainda mais. O estilo de Tina, cheio de referências pop e piadas sutis, não é para qualquer um. Mas é para mim. A cada novo episódio, estou gostando mais das desventuras da pobre coitada que passou 15 anos presa num culto apocalíptico. Ellie Kempner, que despontou em "The Office", já é a barbada do próximo Emmy de atriz de comédia.
E o Emmy de melhor atriz de drama dificilmente escapará de Viola Davis, que está tendo em "How to Get Away with Murder" o grande personagem que o cinema sempre lhe negou. Esse novelão policial é o mais novo sucesso da usina de Shonda Raines, a rainha negra da TV americana. Eu nunca tinha me rendido a nenhum programa dela, mas finalmente capitulei. Não é fácil misturar o estilo "procedural" (aquele em que um caso é resolvido a cada episódio) com o "serial" (uma trama mais longa que se prolonga por toda a temporada). Roteiro e direção são mais óbvios do que nas séries do cabo, mas o elenco é fortíssimo - e ainda tem cenas de sexo gay capazes de enfartar muito fundamentalista. "How to Get Away with Murder" está sendo exibida pelo canal Sony, mas eu tenho acompanhado pelo Now mesmo. Baixar de graça? Obrigado. Não estou disposto.

13 comentários:

  1. nuss, gostei demais
    sentindo falta duma série com roteiro mais pop
    vlw pela dica

    ResponderExcluir
  2. 30 Rock era bom demaissss <3
    Curioso pra ver como vai ser esse Unbreakable Kimmy

    ResponderExcluir
  3. Eu fiz maratona da 1ª temporada de Kimmy em 2 dias. É Simpsons meets SNL.

    ResponderExcluir
  4. Eu tinha torcido o nariz para Kimmy de início. Mas a partir do terceiro episódio a coisa fica MUITO, MUITO BOA e imperdível. A Netflix não erra, não?

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha te cantado a bola sobre Viola no seu post sobre series de TV no final do ano. Em relação ao cinema lhe negar grandes personagens, se esqueceu da maravilhosa Aibileen de Histórias Cruzadas? Mas de qualquer forma, com How Get Away With Murder ela virou rainha do universo, e se equipara a Jessica Lange e Meryl Streep (na minha humilde opinião, tá?). Beijos, querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas esse é o problema, esse é um dos poucos papeis realmente bons q deram p ela... Em uma entrevista de divulgacao da seria ela msma fala q foi p a TV pq ela n queria mais fazer "parte do show" no cinema, istoé, coadjuvante de luxo, e sim "ser o show". Ela é diva, ela merece!!!

      Excluir
  6. Jimmy eh demais!!! Tony, já viu Empire? Cara, eh muito boa também, to adorando. Abraços

    ResponderExcluir
  7. Kimmy he incrivel!!! Minha unica critica he q faltou um par romantico melhor p ela... O q ela termina a temporada he muito xoxo, c uma historinha fraca entre os 2 e n tem 1/1000 do carisma da Ellie Kempner. De resto a serie é uma delicia! N vejo a hr da 2a temporada com a Tina Fey com carta branca p escrever o que quiser!

    ResponderExcluir
  8. Outra série que mistura bem o procedural com o serial é Stalker, no Canal Universal. Ainda que o elenco não seja tãããão bom, está conseguindo me prender.
    Na Netflix, estou adorando The Returned.

    ResponderExcluir
  9. Tony, assiste Scandal, pelo amor de Deus!!!
    É perfeitooooo!

    ResponderExcluir