terça-feira, 10 de março de 2015

MAIS UM

O caso do filho adotivo de um casal gay que foi espancado numa escola pública foi noticiado no final da semana passada, mas eu contive o meu impulso primário de comentá-lo aqui no blog. A diretoria da escola insistia que não havia registro de nenhuma briga no recinto, e depois foi dito que o garoto teria um aneurisma. Não quis sair apontando o dedo antes de ter certeza de que se tratava de mais um crime homofóbico. Mas hoje o menino morreu, e as peças começaram a se juntar na minha cabeça. Um dos pais insistiu desde o começo que o filho sofria bullying. Claro que o colégio iria negar: a maioria ignora o assédio que alguns alunos sofrem, e só tomam atitudes quando acontece uma tragédia. Agora aconteceu. Parece que os próprios agressores estão assustados; dois deles teriam ido à casa da vítima para pedir perdão. São moleques menores de idade, e claro que não podem ser totalmente responsabilizados. A culpa é da sociedade como um todo, mas não pode ser diluída igualmente entre cada um de nós. Figuras nefastas como Eduardo Cunha, que quer aprovar na Câmara o Estatuto da Família - aquele que define como núcleo familiar apenas os formados por homem e mulher - estão com as mãos manchadas de sangue. E que não venham com o papo de que "se os gays não tivessem adotado, nada disso teria acontecido". É o mesmo que culpar uma mulher de minissaia pelo seu estupro. A cultura da violência e da intolerância tem que acabar, e episódios horripilantes como este pelo menos servem para sensibilizar as pessoas. Que (mais) esta morte estúpida não tenha sido em vão.

11 comentários:

  1. Como sempre, a escola se preocupando mais em tirar o próprio da reta do que de ajudar a resolver esse caso. Vida de parente de viado vale menos que meio centavo.

    ResponderExcluir
  2. Eu havia lido mais cedo sobre essa tragédia e tinha lido comentários tortos, a la Cunha e Malafaia. Estava até estranhando que não havia post no blog sobre isso. Sem acréscimos dessa vez. Texto perfeito.

    ResponderExcluir
  3. Ai tchitchia to tao preocupada! que modelito a sra vai usar na passeata? da umas dicas ...

    ResponderExcluir
  4. Triste demais...
    E não é um caso isolado...
    E, pelo comentário do Anônimo das 06:53, vê-se que muita gente ainda aplaude esse tipo de homicídio.
    O nosso homicídio...
    Lamentável.

    ResponderExcluir
  5. E a mídia nada né? O importante pra emissora q vc trabalha é atrasar o Brasil com hostórias bombásticas como propina em empresa (sonegação da Globo, heloooo) agora n vamos crescer pq quebraram as empreiteiras, mas uma vez parabéns a CIA.

    ResponderExcluir
  6. Que o Peterson, seus pais e seu maninho encontrem a paz!

    ResponderExcluir
  7. O mio babbino caro
    Limpa o sangue com a camisa e manda se fuder(R)
    "(O cu do mundo, esse nosso sítio)
    O crime estúpido, o criminoso só
    Substantivo, comum
    O fruto espúrio reluz
    À subsombra desumana dos linchadores
    A mais triste nação
    Na época mais podre"(CV)
    Way down yonder in the graveyard walk
    I thank God I'm free at last(MMLK)
    Lágrimas.(R)

    ResponderExcluir
  8. Enquanto isso, Madonna ontem e Rogeria hoje, dão declarações infelizes sobre a luta dos gays. Cara, nem nosso exército tá sabendo combater!

    ResponderExcluir
  9. Triste, muito triste.
    ps.Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  10. Certo, a cultura da violência e da intolerância tem que acabar. E o que a gente vê nas malfadadas redes sociais??? Falta de respeito, ódio, intolerância inclusive sobre o poder constituído legalmente através do voto. Xingar uma presidente de vagabunda, prá dizer o menos não é digno de um povo civilizado. Não acha?

    ResponderExcluir