terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O ESPINAFRE CINEMATOGRÁFICO


Há uma gritaria generalizada no showbiz americano pelo fato de "Selma" ter recebido apenas duas indicações ao Oscar. Apontado pela crítica como um dos melhores do ano passado, o longa - que conta um episódio decisivo na trajetória de Martin Luther King - foi lembrado pela Academia apenas nas categorias filme e canção original (e só tem chances de levar esta última). Se a diretora Ava DuVernay tivesse emplacado entre os finalistas, seria a primeira mulher negra a fazê-lo. Também causou celeuma o esquecimento de David Oyelowo no papel principal - para piorar, não há um único negro entre os 20 indicados nas categorias de atuação. Mas será que "Selma" é mesmo um puta filme, ou seu assunto é mais importante do que sua realização? Fico com a segunda hipótese. Assistindo-o de longe do conflito racial que ainda sobrevive nos EUA, dá para perceber que se trata de um trabalho bem cuidado e bem intencionado. Mas a trama demora muito a engrenar, com uma certa enrolação até a catarse final. Apesar de David Oyelowo estar com 38 anos, dois a mais do que King na época retratada, achei-o muito jovem para encarnar o grande líder - ou talvez ele não tenha mesmo a "gravitas" necessária. Como em "O Mordomo da Casa Branca", também produzido por Oprah Winfrey, há um desfile de famosos em papéis secundários. Quem está especialmente bem é Tom Wilkinson, como o presidente Lyndon Johnson (que, dizem seus asseclas, não foi tão hesitante na vida real como parece no filme)."Selma" tem interesse histórico e um desenlace emocionante. Mas é um espinafre cinematográfico: faz bem para a saúde, embora não seja lá muito gostoso.

8 comentários:

  1. Hoje em dia, projeto que tem Oprah no meio já desconfio que é abacaxi movido a movimento negro.

    ResponderExcluir
  2. Tenho medo:

    http://glamurama.uol.com.br/regina-duarte-fala-sobre-personagem-gay-e-da-o-que-falar-em-coletiva/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regina Duarte se tornando a rainha dos enrustidos.

      Excluir
    2. Rainha dos homofóbicos né? Como alguém pode dizer que "ninguém pode ser condenado a ser homossexual para sempre" ???? Essa é a pior frase que um artista brasileira já proferiu sobre o tema, ganha de Joelma, Mirian Rios, Claudia Leitte, Mara Maravilha e afins. Essa senhora não aprendeu nada com o bullying que sofreu por falar besteira na TV. Ridícula...

      Excluir
    3. A senhora dos absurdos!

      Excluir
    4. Não podemos esquecer que mesmo entre gays é comum a opinião de que nem todo homem que curte homem é gay. Os gays até preferem achar que o hetero casado com mulher que sai com homens é hetero. No máximo bi . E muitos gays também consideram possível que não exista uma sexualidade necessariamente definida, que se pode gostar de pessoas. Então temos que ter certo cuidado e até respeito pelas opiniões diversas sobre o assunto.

      Excluir
  3. O mio babbino caro
    Tá bom.

    ResponderExcluir
  4. Tony, fale da entrevista da Laís Souza. A patrulha LGBT já caiu em cima como sempre.

    ResponderExcluir