quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O CORTE DO CANTAGALO

Não sou judeu nem muçulmano, mas fui circuncidado assim que nasci. Era moda no Rio de Janeiro daquela época, importada dos Estados Unidos. Quase todos os meninos da minha geração entraram na faca. Hoje essa cirurgia já não é mais tão frequente no Brasil, e tem até inimigos. Muita gente alega que, além de não trazer nenhum benefício, a circuncisão diminui a sensibilidade e ainda deixa cicatrizes na alma (vai ver que é por isto que eu sou tão amargurado). Mas também há estudos modernos que apontam que ela reduz as chances do cara se contaminar com o HIV (mas isto não quer dizer que ele pode dispensar a camisinha, hein?). Seja como for, sempre ouvi dizer que essa pequena operação - que é feita SEM ANESTESIA nos bebês, aaaaaaiiii - facilita a higiene e blábláblá. Mas o vídeo acima explica que ela só se tornou comum nos EUA no final do século 19 pela mais tola das razões. Divulgada pelo dr. Kellogg, o mesmo dos flocos de milho, ela impediria a masturbação. Não impediu, é claro, mas esse papo colou. O mesmo doutor também defendia que se cortasse o clitóris das mulheres, como em alguns países árabes e africanos. Ainda bem que dessa elas escaparam.

41 comentários:

  1. Circuncidado é o particípio correto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Já corrigi. Mas soa tão mal, não? Acho "circuncisado" muito mehor. Em inglês é "circumcised".

      Excluir
    2. A circuncisão "Diminui a incidência de câncer de pênis - o risco estimado de Carcinoma de células escamosas no pênis de homens não circuncidados é de 1:600, com uma mortalidade ao redor de 25%. Em Israel a incidência é de 1:1.000.000 de homens circuncidados. Isto provavelmente seja pela ausência de papillomavirus 16 e 18, que são encontrados mais frequentemente nos não circuncidados, e também na maioria dos casos de Carcinoma de pênis."

      Excluir
    3. Nada disso é comprovado. São estudos isolados. O importante são os statements das associações médicas. Da mesma forma que existe esse estudo, tem estudo que fala que quem é circuncidado tem 25% da sensibilidade de quem não é.

      Excluir
    4. Realmente duas coisas de igual importância, chance de incidência de câncer e de DST's e percentual de sensibilidade...

      Sou médico. Por mais arrogante que você seja - e Deus, como você é vergonhosamente arrogante! - acredito que minha formação e prática me qualifiquem ao menos um pouco mais que você nesse assunto.

      Então enfia teus statements no rabo e amadurece. Você é uncut, ok, todo mundo já leu, não precisa ficar se justificando pra um bando de estranhos. Saco do caralho.

      Excluir
    5. Anônimo, sendo ou não médico, o que está em jogo se chama direito à integridade física. Ou seja, como advogado, posso tratar, sim, do assunto. Então, na verdade, a sua formação acadêmica não é suficiente para recomendar a cirurgia em PESSOAS SEM A AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DELAS. Aliás, tem muito médico sendo condenado por aí, no Brasil inclusive, por probleminhas de conduta. Então, em nada é relevante o fato de você ser médico.

      A propósito, role para baixo e verás que a Associação Australiana de Pediatria cita os estudos com DSTs e, mesmo assim, não os recomenda. Estudos feitos na África, com dinheiro da indústria farmacêutica e de materiais médicos. Realmente, super plausível (sqn).

      E, sinceramente, o prazer erógeno é importante, sim. Que pena que você não percebe isso. Fora que o mais óbvio é que, tendo a pessoa uma vida sexual ativa, circuncidada ou não, ela eventualmente contrairá essas doenças se não utilizar preservativo ou se simplesmente não fazer sexo. Esse é o ponto mais engraçado no estudo: eles anunciam a cirurgia como um trunfo, mas não explicam como será o pós-operatório, etc.

      Que pena, Anônimo, que as associações médicas não estão do seu lado.

      Sou uncut assim como 95% das pessoas da minha geração e não foi por falta de dinheiro: meu médico era JUDEU e era contra. Beijos

      Excluir
    6. Em tempo: prefiro ter mais sensibilidade do que diminuir a chance de pegar uma DST, até porque a cirurgia não elimina, mas TALVEZ diminua a chance. Por isso, acho que o importante em se tratando de circuncisão, é colher a OPINIÃO DO DONO DO CORPO. É esse o ponto. Fazer cirurgia em uma criança, para mim, no ano de 2015, é inadmissível.

      Excluir
    7. *se não deixar de fazer sexo (errata quanto ao primeiro comentário)

      Excluir
    8. Eu não disse que o prazer não é importante em momento algum. Só pontuei o despautério de você comparar a importância de uma sensibilidade diferente perante a diminuição do risco de coisas tão sérias quanto carcinomas e dst's.

      É uma ponderação tão absurda e típica sua quanto afirmar que minha condição de profissional da área de saúde não é nada relevante pra falar sobre isso, mas a sua de bacharel em direito é.

      Excluir
    9. Não é despautério. É a minha opinião, pois sou dono do meu corpo.

      Se você acha que o mais importante é acreditar em estudos obscuros realizados na África, ótimo.

      Agora, acho que quem tem que decidir se quer ser circuncidada ou não é a pessoa. Não o médico dela ou os pais dela. É esse o ponto central da discussão.

      Se você informar seu paciente sobre riscos e benefícios e ele, por espontânea vontade, optar pelo procedimento cirúrgico, ótimo. Ótimo de verdade.

      Excluir
  2. Eu entrei na faca por causa de fimose mesmo. E aos 21 anos, um dia depois da minha primeira relação com um homem (o mês de recuperação foi difííícil).
    O médico me contou que a circumcisão só foi adotada nos povos africanos e semitas porque trazia mais higiene no ambiente desértico. E me mostrou uma gravura do Egito antigo justamente sendo cicuncidado sem anestesia!!!

    Eu tomei anestesia local (doi mais levar injeção na cabeçao do pau do qq coisa). Mas como eu sou ~fortinho, ela passou durante a cirurgia e ainda senti uns cortes e precisei levar mais uma dose. Bom, né?

    Meu irmão se empolgou comigo e tomou coragem pra fazer logo a varicocele dele junto. Ele levou anestesia geral. Sortudo.

    ResponderExcluir
  3. É verdade: os soldados ingleses, que não são "cut", sofreram no Egito, com aquela areia finiiiiinha entrando na cabecinha do pau.

    ResponderExcluir
  4. Eu entrei na faca ainda criança. Não doeu nada e a recuperação foi tranquila.

    ResponderExcluir
  5. Ah, no meu caso foi tradição de família.

    ResponderExcluir
  6. acho contrário às leis da natureza! :)

    ResponderExcluir
  7. Na verdade, a questão da higiene já foi superada. Os "statements" da Associação Americana de Pediatria, da Associação Canadense de Pediatria e das associações de outros países anglo-saxões nos quais a circuncisão já foi quase "obrigatória", são coesos nesse ponto. Não existe melhor higiene para quem é circuncidado. Se o seu médico falou isso, ele está dando uma declaração falsa e desprovida de critérios científicos, muitas vezes baseada em um critério financeiro dele próprio (sim, existe uma indústria cirúrgica).

    A grande discussão que existe atualmente á a que diz respeito às DSTs, algumas delas. Contudo, há um dilema ético que a operação feita em recém-nascidos traz: não precisaria a pessoa CONSENTIR a operação? No seu caso, Tony, eu até entendo, porque até a década de 1980, a medicina americana achava que o procedimento era extremamente necessário (a Academia Americana de Pediatria mudou seu posicionamento nos anos 90).

    Pessoalmente, acho que as pessoas têm de ter uma opinião sobre o que será feito no próprio corpo, exceto em casos de urgência em que o risco de morte é latente. Elas precisam ter acesso aos dois lados sobre o tema e decidir. Sim, é bem verdade que a operação é mais complexa em adultos, mas é o preço que se paga pela certeza, pela decisão alinhada ao desejo do dono do corpo.

    Pessoalmente, não sou circuncidado, não quero ser, não acho que eu tenha problemas de higiene (como cientificamente comprovado, aliás) e prefiro quem não é circuncidado a quem é circuncidado. Acho que existe um fator erógeno óbvio relativo ao prepúcio, que é o seu deslocamento sobre a glande (muitas vezes substituído pela própria mão, dependendo do tipo de circuncisão), além da proteção sobre a glande, a qual fica muito mais sensível. Eu, por exemplo, não posso encostar a glande na cueca, pois ela é sensível. E nem tenho ejaculação precoce; pelo contrário...tenho retardamento de ejaculação; demoro fácil 40min para conseguir (o que curto, aliás).

    In sum, sejamos felizes como somos. Só acho que as futuras gerações têm de ser consultadas, e é o que vem ocorrendo no mundo anglo-saxão.

    Academia Americana de Pediatria: "Circumcision has been suggested as an effective method of maintaining penile hygiene since the time of the Egyptian dynasties, but there is little evidence to affirm the association between circumcision status and optimal penile hygiene.

    In one study, appropriate hygiene decreased significantly the incidence of phimosis, adhesions, and inflammation, but did not eliminate all problems.29 In this study, 60% of parents remembered receiving instructions on the care of the uncircumcised penis, and most followed the advice they were given. Various studies suggest that genital hygiene needs to be emphasized as a preventive health topic throughout a patient's lifetime" (http://pediatrics.aappublications.org/content/103/3/686.full - 1999)

    Academia Canadense de Pediatria: ""The matter of infant male circumcision is particularly difficult in regards to human rights, as it involves consideration of the rights of the infant as well as the rights of the parents. Under the Canadian Charter of Rights and Freedoms and the United Nations Universal Declaration of Human Rights, an infant has rights that include security of person, life, freedom and bodily integrity. Routine infant male circumcision is an unnecessary and irreversible procedure. Therefore, many consider it to be 'unwarranted mutilating surgery.'" (http://www.circinfo.org/CanadaCircumcisionPolicy.html)

    Academia Australiana de Pediatria: "After reviewing the currently available evidence, the RACP believes that the frequency of diseases modifiable by circumcision, the level of protection offered by circumcision and the complication rates of circumcision do not warrant routine infant circumcision in Australia and New Zealand." (http://www.racp.edu.au//index.cfm?objectid=65118B16-F145-8B74-236C86100E4E3E8E - 2010)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pqp, como você é chato...

      Excluir
    2. Que mágoa de caboclo é essa, Anônimo?

      Excluir
  8. muito bom post tony =D

    ResponderExcluir
  9. Gosto de piroca, tanto faz se cortada ou não, mas não tenho atração por bico de chaleira, acho feio, mas sei que tem quem adore, tive um namorado que ficava tentando fazer o bico com meu prepúcio, mas não conseguia, pois desde criança meu pai me ensinou a puxar a pele pra trás, não sou operado mas a cabeça fica o tempo todo descoberta.

    ResponderExcluir
  10. Entrei na faca com menos de 1 ano de vida, graças a Deus... Hehehe
    Meu pai não teve a mesma sorte, fez com quase 40...

    ResponderExcluir
  11. Em tempo. Eu nunca tive problemas de higiene antes de ser cut. Mas eu também nunca vivi no deserto. E também nunca passei mais que 5 dias em São Paulo.

    ResponderExcluir
  12. Lembrando que a circuncisão pode potencialmente reduzir o risco de transmissão do HIV em relações vaginais!

    ResponderExcluir
  13. Fui circuncidado logo que nasci, em 1990, e sou eternamente grato por isso. Mais fácil de lavar e permite penetrações mais vigorosas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim permite penetrações mais vigorosas? Não sou circuncidado e meto forte, de repente muito mais forte que vc. Nada a ver essa associação.

      Excluir
    2. Foi mal, mas não tem nada a ver uma coisa com a outra...

      Tem várias coisas que cut não consegue fazer, como se masturbar com a sensação indescritível da fricção do prepúcio sobre a glande...

      Acho que eu jamais faria essa operação principalmente por isso.

      E quem não sabe como é ter prepúcio não pode opinar sobre lavar o pau...pfvr, né. É a coisa mais fácil do mundo. Só puxar para baixo. Seus coleguinhas nascidos em 1990 podem te mostrar (95% não são circuncidados por uma pesquisa por amostragem feita por minha pessoa).

      Excluir
    3. Se não precisa puxar pelinha, é mais fácil. Se não é tão sensível, permite fricções mais fortes na glande, inclusive mordidinhas, etc. Minha experiência com os uncut, me dá sim a impressão de alguns não-me-toques. E o fato de ser circuncidado não significa que haja zero pele, a ponto de não poder roçar na cabeça durante a masturbação.

      Excluir
    4. Tom, não tem isso não...só se a pessoa for muito nova com práticas sexuais. Morder pra quê? O bom é sentir.

      Excluir
  14. Nos EUA a coisa é tão forte que houve um capítulo de Sex and the City em que as mulheres discutiam como é 'estranho' um pau uncut. Falaram até que os uncut se esforçavam mais na cama.
    Sabe de nada, inocente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no "Seinfeld", a Elaine disse que um pau uncut não tinha "personality".

      Excluir
    2. Daí americanos vem pra cá e ficam loucos com nossos uncuts.

      Excluir
    3. Era forte...está declinando na velocidade da luz. Já está perto de 50% a taxa atual e a tendência é cair. Na Costa Oeste já está perto de 30%.

      Todos os países desenvolvidos abandonaram a prática e os escandinavos querem, inclusive, proibi-la.

      Excluir
  15. Melhor pau é cut, saudades do meu ex boy judeu...

    ResponderExcluir
  16. E ai Lukas? Vc tb e FGM?

    ResponderExcluir
  17. alguns CUT tem umas cicatrizes muito feias, parece que o cirurgião operou usando uma faca de serrinha, em outros "sobram" uns tecidos: tem gente que faz uma segunda cirurgia reparadora depois de adulto.

    sou UNCUT e faria a cirurgia somente se tivesse fimose. muita fimose.

    ResponderExcluir
  18. mto ridícula essa discussão...bando de gnt q foi circuncidada cedo dizendo "graças a Deus"...com base em q? hahahahahahah nem sabem como é ter prepúcio...affão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anastasia Beaverhausen21 de fevereiro de 2015 14:20

      E bicha recalcada resiste a dizer 'o meu é melhor que o seu''?

      Excluir
  19. Gostaria de saber se realmente há perda impactante de sensibilidade com o passar dos anos, especialmente em quem é circuncidado desde criança. Ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem pode responder isso são os que foram circuncidados na adolescência (a maioria diz que se perde um pouco de sensibilidade sim, mas nada trágico).

      Eu entrei na faca ainda bebê, então não posso dizer. Não tenho termo de comparação. Mas te garanto que sou super-hiper-mega-sensível, ui.

      Excluir