segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

ESQUISITO E DIFERENTE

Quando Graham Moore subiu ao palco para aceitar seu Oscar pelo roteiro de "O Jogo da Imitação", eu corri pro Twitter: "esse aí tá com cara de que vai agradecer ao namorado". Não agradeceu, mas seu discurso não deixou muitas dúvidas. Eu e a torcida do Planeta Terra Futebol Clube tivemos certezíssima de que aquele rapaz imberbe de voz delicada era biba, e por que não deveríamos? O filme que ele escreveu fala de um dos homossexuais mais importantes do século 20, o matemático Alan Turing, que morreu justamente por causa da homofobia. Graham ainda contou que tentou o suicídio quando adolescente, e terminou seu agradecimento - o mais bacana da noite - com uma frase que já nasceu slogan, "continue esquisito, continue diferente". Mas, já nos bastidores, ele desmentiu a impressão que causou na humanidade. Disse que não é nem nunca foi gay, "apenas" deprimido. E eu me senti um poço de preconceitos, sempre pronto a colar uma etiqueta na testa de alguém só porque este alguém mia. Também preciso me acostumar às infinitas variações da esquisitice e da diferença nesse mundo onde cabe de um tudo.

22 comentários:

  1. Tony, eu acho que em culturas nao latinas, onde a cultura macho é afirmada, reafirmada e glorificada, isso fica diluido e portanto faça com que ao nos deparar com alguem que mia, ou nao tem trejeitos masculinos exagerados, achamos que o cara é gay. Sou assim tambem. Acontece que o fato de eu trabalhar por anos com ensino de ingles e com muitos gringos, era visivel a necessidade neles de nao precisar se impor como machos no esteriotipo da palavra e todos, alunos e staff, achavam que eles eram gay e a grande maioria nao era. Nao justifica nosso preconceito enraizado mas foi uma analise que observo quando meu radar falha com os gringos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas os próprios americanos acharam que ele era gay.

      Excluir
  2. Tony, não importa. A mensagem continua linda do mesmo jeito.

    'Stay weird. Stay different, and then when it's your turn and you are standing on this stage, please pass the same message along.'

    #grahammoore #bedifferent #staytrue #beweird

    ResponderExcluir
  3. A Jodie Foster jurava de pé junto (tamanho 44, bico largo) que também não era gay por décadas!

    Deu no que deu.

    Até Liberace, aquela mais pintosa que Agnaldo Silva, Ney Matogrosso e Rogéria juntos, negava que era...

    Tudo tem um motivo bem "simbólico": $.

    Os EUA é jeca total.

    ResponderExcluir
  4. Santa Cher nos livre da caretice dos filmes-mensagem. Graças a ela existe um Cronenberg com Mapas para as Estrelas, aquilo que é falar sobre/para/de dentro de Hollywood.

    ResponderExcluir
  5. Tony, acho que você trocou diferença por indiferença:
    "Também preciso me acostumar às infinitas variações da esquisitice e da INDIFERENÇA nesse mundo onde cabe de um tudo".
    Mas, não se sinta preconceituoso por associar um homem delicado à homossexualidade. Acho que isso é automático. Eu mesmo já me enganei muitas vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não troquei não. Quis dizer diferença mesmo.

      Excluir
    2. Quis dizer diferença ou indiferença? No post, está "indiferença".

      Excluir
    3. Não está não. Você que tá vendo coisas (aloka).

      Excluir
  6. Assim que ele se levantou tive certeza que era gay. Ele que me desculpe a negativa, mas continuo achando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu continuo tendo certeza. hahaha Incrível como na maioria dos casos os outros descobrem nossa homossexualidade mto antes de nós mesmos. :(

      Excluir
  7. De qualquer modo a mensagem é forte, pois depressivos também sofrem preconceito quando ouvem que "isso é frescura", "é falta de trabalho", "por que você não reage?", "depressão não existe, é falta de vergonha na cara", como se depressão não fosse uma doença que muitas vezes leva ao suicídio.

    ResponderExcluir
  8. Gente, como assim não é gay? Um dálmata de manchas rosas... #nãoacredito

    ResponderExcluir
  9. Ainda bem que li até o final este post, senão ficaria com um apéssima impressão de ti, um formador de opinião rotulando as pessoas gratuitamente pelo que viu uma vez, ainda mais sexualmente que ainda, infelizmente neste mundo gera ódio, preconceito e morte.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como se achar que alguém é gay fosse algo terrível. Se alguém acha que um gay é hetero, todo mundo acha fofo, dá até um upgrade na imagem do cara no meio gay. Mas achar que um hetero é gay, meu deus que mancha na moral da pessoa.

      Excluir
  10. Tony, acho que esse rapaz vem nos mostrar, mais uma vez, que sexualidade é muito mais diversa do que a gente gostaria de crer, e vai além da orientação sexual. Aliás, a orientação sexual é só um dos instrumentos que usamos para vivermos(e afirmarmos) quem somos.
    Graham Moore é obviamente um homem gay, independente de se sentir atraído sexualmente por homens ou mulheres. Você não errou na sua observação. Aliás, nós não erramos na nossa observação. Só não estamos(ainda) abertos à possibilidade de um homem de identidade gay(ou feminina) sentir-se atraído sexualmente por mulheres.
    Mas, acontece, meu caro. Acontece...

    ResponderExcluir
  11. Há uma "vantagem" em ele ser hétero, depois do discurso de agradecimento dele: não gosto muito dessa história de "star weird, stay different", quando falamos de sexualidade. Ser gay seria igual a ser esquisito, ser diferente? Não é justamente contra isso que lutamos? Prefiro assim, um hétero falando sobre diversidade (qualquer que seja).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. disse tudo naum sou deferbenthe.

      Excluir
  12. O invejo por ser mais gay que eu. :(

    #ProntoFalei

    ResponderExcluir
  13. Esse aí sequer precisa abrir a boca, está na cara.

    ResponderExcluir