sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

NÓS, OS PÁSSAROS

Ontem rolou um passaralho na redação de "O Globo". Gente do calibre de Artur Xexéo foi demitida. Nesta mesma semana, a editora Abril também desocupou metade de seu prédio em São Paulo. Ainda não sei de cortes por lá, mas não devem demorar. Podemos culpar a administração míope dessas empresas - no caso da Abril, há até pouco tempo tinha diretor que achava que a internet era um modismo passageiro. Mas o fenômeno se repete mundo afora. Toda a mídia impressa vem sofrendo "ajustes". Os jornais estão sendo escritos por equipes cada vez mais juniores (ou seja, mais baratas), e já dá para perceber que o nível vem caindo. Nas redes sociais, muitos lamentam essas demissões e criticam os patrões. Eu também. Mas é preciso lembrar que nós, os internautas, também somos culpados. Queremos ter tudo de graça: filmes, músicas, textos. Baixamos ilegalmente quando não nos dão de bandeja. Trocamos links e senhas para ler sites pagos sem ter que pagar. E achamos a coisa mais normal do mundo, como se os profissionais que fazem esses filmes, músicas e textos já fossem regiamente recompensados e não precisassem do nosso dinheirinho. Claro que precisam: desse jeito, daqui a pouco só teremos blogs amadores e/ou patrocinados por partidos políticos para nos informarmos. É óbvio que a indústria cultural e jornalística precisa construir um novo modelo de negócios, e para ontem. Mas ela terá ainda menos tempo isso se a nossa mentalidade infantil e predadora continuar fomentando passaralhos.

24 comentários:

  1. N sei, vi uma entrevista com um cara uma vez no Bill Maher sobre um jornal q fechou em 87, ele dizendo que o problema do jornalismo foi ter deixado a investigação de lado e se vender para grandes coorporações.

    ResponderExcluir
  2. A globo vai acabar! Vai tarde! Segundo Brizola, agentes da CIA.

    ResponderExcluir
  3. Globo, ESTUPRANDO o brasileiro desde sua criação. Deviam ter sido todos presos depois do caso da eleição pra prefeito do Brizola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brizola foi eleito governandor, não prefeito, e nenhuma tramoia da Globo impediu sua eleição.

      É bom lembrar que a Globo de 30 anos atrás não é a mesma de hoje...

      Excluir
    2. Certíssimo, Tony! A conduta nos dias atuais dos veículos de imprensa deve ser levada em conta, até porque, a postura no passado deve ser analisada dentro de suas circunstâncias sociais, o que necessariamente não diminui erros e equívocos.

      Outro dia tomei conhecimento de um texto da Folha de São Paulo que está disponível online, em que eles assumem não só, não terem combatido a ditadura militar, mas sim ativamente apoiado!

      No entanto, a Folha juntamente com a Rede Globo, talvez sejam os veículos de maior bom senso no retrato e busca do fortalecimento do Brasil atualmente. Sendo ressalvado, que todos devem ter senso crítico sobre aquilo que lêem ou assistem.

      Excluir
    3. Só uma pequena correção: a Folha apoiou o golpe de 64, não a ditadura. Como muita gente, aliás.

      O jornal fez campanha acirrada pelas Diretas-Já em 1984, ajudando a ditadura a acabar mais rápido.

      Excluir
    4. Tony, vc é lindo e talentoso e trabalha lá mas a Globo é o demo. Um veículo alienante que sempre contribuiu pra destruição do Brasil, elegeram o Collor, e isso foi quando a ditadura já tinha acabado.

      Excluir
  4. Tony, a Folha Ribeirão, última sucursal da Folha de São Paulo na ativa também fechou as portas.

    ResponderExcluir
  5. Concordo muito com vc, mas acho q esses grupos estao demorando muito p se modernizar.Nos precisamos sim nos acostumar a pagar por conteudo. Perco a conta de qtos amigos me criticam por eu pagar pelo Spotify e nao baixar musica de graca, comprar revista no tablet ao inves de pegar senha de graca na net, e por ai vai....

    Mas ao msmo tempo, confesso q me irrita, por exemplo, comprar a VEJA no tablet pelo msmo preco da banca, ou um livro com um diferenca minima, sendo q a experiencia virtual he muito pobre. A VEJA ate hj he quase uma versao em PDF da impressa. Nao vou nem comentar o Valor Economico, pq esse he vergonhoso. Acho q falta investir em um diferencial q faca as pessoas sentirem q devem voltar a pagar por esses conteudos.

    ResponderExcluir
  6. Internet é quantity over quality.

    ResponderExcluir
  7. Tony, quero te pegar.

    ResponderExcluir
  8. E achamos a coisa mais normal do mundo, como se os profissionais que fazem esses filmes, músicas e textos já fossem regiamente recompensados e não precisassem do nosso dinheirinho. E SÃO REGIAMENTE COMPENSADOS, PEGA AÍ UM MICHEL TELÓ, UM LUCCAS LOUCO OU ANITTA QUE FAZEM LAVAGEM ESTOMACAL NO BRASIL - A REMUNERAÇÃO MENSAL DESTAS PESSOAS ULTRAPASSA O QUE EU VOU LEVAR A VIDA INTEIRA PRA TRABALHAR E CONSEGUIR, PEGA UM FÓSSIL TIPO ROBERTO CARLOS E O DINHEIRO DE 15 DIAS DELE É A MINHA APOSENTADORIA INTEIRA - PEGA UMA ESTRELA COMO MADONNA - O QUE ELA GANHA NUM DIA EU NÃO FAREI EM 70 ANOS - ELES SÃO MAIS QUE REGIAMENTE PAGOS. EXEMPLOS NO CINEMA? STEVEN SPIELBERG, ANGELINA JOLIE. TEXTO? PAULO COELHO, ARNALDO JABOR, STEPHEN KING ETC. E NEM ARRANHEI A QUESTÃO. A INTERNET VEIO DESTRUIR ALGUMAS PROFISSÕES E CRIAR OUTRAS. TEM UMA PROPAGANDA AÉ BEM KOTLERIANA QUE DIZ QUE O MUNDO É DOS NERDS - E É REALMENTE. HAJA BARULHO PRA VCS DORMIREM. EM TEMPO: SOU JORNALISTA FORMADO E TERIA TODA CONDIÇÃO DE ESTAR A FAVOR DE TONYAH CARREIRO - MAS PELA 1A VEZ NÃO ESTOU. BJU NO OMBRO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inveja é tão feio!!!!
      Esses artistas merecem o dinheiro que tem porque fazem um produto que interessam a milhões!
      Podemos até questionar a qualidade, mas se tem gente querendo consumir, quem produz tem que ser pago! O resto é ladroagem, crimes previstos no codigo penal!

      Faça sabendo que é errado e que tem consequências...
      Fingir que é uma conduta justificável é desonestidade intelectual..

      Excluir
  9. Pintaram tanto o apocalipse econômico, que este sobreveio a eles mesmos. O mundo gira, com sua justiça poética quase perfeita. Defendem tanto o mercado, mas não conseguem mais se adaptar a ele nas novas circunstâncias.
    Os profissionais se fu*** e devem migrar para blogs e afins, porque na imprensa tradicional dificilmente voltarão ao mercado. Mas os conglomerados agonizarão um pouquinho mais antes de se esfacelar. E é preciso de três coisas para que esses grupos não caiam no ostracismo para sempre:
    --- modernizar-se, sim, adaptando-se à nova realidade (Internet, redes sociais e smartphones) e mostrando diferencial nesses produtos, no preço, na formatação, nos bônus (bônus e promoção, quem não gosta?);
    --- resgatar a credibilidade. Os grupos midiáticos ficaram muito manjados. A Abril, depois que se engajou num fundamentalismo de extrema-direita, se tornou questionável e insuportável. Não acho errado que se tenha lado, mas acho errado que se queira mostrar uma neutralidade que não existe. A Globo, embora pareça ter evoluído, tem um passado inesquecível e, às vezes, ainda exerce seu complexo de Imperatriz. O leitor não quer se sentir manipulado.
    --- exercitar o pluralismo. Nossos grupos de mídia falam a mesma língua, usando o mesmo dialeto. Não permitem o contraditório, outras opiniões, outras formas de ver as coisas. Pensamento único fundamentalista, quase inquisidor. Em um país de 200 milhões de pessoas, tão heterogêneo, o pensamento único é um verdadeiro tiro no pé.
    Mas acho que cobrar conteúdo online, em um país de jeitinhos, não é o caminho mais acertado. O mais adequado para Internet seria investir em conteúdo gratuito, bom e variado, atrair audiência e viver de publicidade.
    Se não conseguirem sobreviver, já vão tarde!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. conteúdo gratuito???
      nada é de graça!
      vc trabalha de graça pra alguém? e porque espera que alguém trabalhe de graça pra você?
      não sou jornalista, não tenho apreço pela maioria dos jornalistas que vemos por ai( a maioria ruim, despreparados, e que merece. mais o título de fofoqueiros do que de jornalistas) mas o trabalho deles tem q ser pago.
      os ruins que vão ficando vão nivelar ainda mais por baixo a opinião das pessoas que cabeça dura e cara de pau, pobres de espirito e pobres financeiramente, que fazem de tudo pra economizar merreca....
      medo!!!

      Excluir
    2. "nada é de graça!
      vc trabalha de graça pra alguém? e porque espera que alguém trabalhe de graça pra você?"

      Porque é típico dos ~progressistas~ essa defesa do "público, gratuito e de qualidade" (com dinheiro e esforço alheios, é claro) e do "o que é meu é meu, o que é seu é nosso"...

      Excluir
  10. Ok, minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa.
    Mas a grande imprensa demorou muito pra acordar e acabou perdendo o trem.
    Eles têm de fazer alguma coisa, só não me pergunte o quê. Se eu soubesse seria um magnata da imprensa.

    ResponderExcluir
  11. Outro dia notei que muitos, muitos mesmo, livros na amazon brasileira eram mais caros na versão Kindle que de papel. Daí mandei dois emails, um pra amazon daqui e outro pra americana narrando o fato que eu considero absurdo, pra nao dizer roubo. Resultado: a amazon americana me respondeu um email enorme pedindo mil desculpas e prometendo ver o caso e me dando um credito em dólares para eu gastar na loja pra me dar uma alegriazinha. Já a amazon brasileira sequer respondeu meu email ate hoje.

    ResponderExcluir
  12. Me mijando de rir aqui com o "TONYAH CARREIRO".

    ResponderExcluir
  13. Agora que li detalhes sobre as demissões: Miriam Leitão e Merval Pereira escaparam, né?
    Assim não tem como te defender, Globo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário irônico não é mesmo? Ou eles Deviam mesmo ter sido demitidos?

      Excluir
    2. Ironia é meu nome do meio.

      Excluir
  14. Eu não quero tudo de graça, Só me recuso a gastar um centavo com Globos, Abril, Folhas, Estadao etc..

    ResponderExcluir