terça-feira, 13 de janeiro de 2015

DUROS DE OUVIDO

De vez em quando acontece: o roteiro de um filme é bem melhor que sua direção. É o caso de "A Família Bélier", um simpático drama familiar que poderia ter se tornado um blockbuster internacional nas mãos de um realizador mais competente. O argumento foi calibrado para emocionar as multidões. Numa família onde pai, mãe e irmão são surdos, a irmã é a única que escuta, e todos dependem dela. Aí a garota resolve ir estudar em Paris, porque descobre que tem um talento fora do alcance de seus parentes: canta muito bem (ela é interpretada por Luane Emera, que foi finalista da versão francesa do "THe Voice"). O desenlace é mais do que previsível, mas a mensagem de tolerância é importante e algumas boas piadas tornam agradável a ida ao cinema. Além de tudo, Karin Viard dá um show no papel da mãe. Ela não é uma diva como Isabelle Adjani ou Fanny Ardant, mas é talvez a melhor atriz francesa em atividade no momento. Pena que tantas qualidades não sejam o bastante para tornar "A Família Bélier" inesquecível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário