sábado, 24 de janeiro de 2015

CHAVE DE TORNOZELO


Eu me frustrei com "Foxcatcher". Achava que essa história de obsessão e morte ia ser right up my alley. Que meu lado escuro da força iria se identificar. Qual o quê: o filme é soturno, arrastado e sem grande impacto emocional. Um pouco da culpa é dos atores: Steve Carell, tão badalado e indicado, constrói um vilão asqueroso de fora para fora, só maquiagem e sotaque, sem ter nada lá dentro. Mark Ruffalo não justifica estar entre os finalistas do OScar como ator coadjuvante, e justamente Channing Tatum - que faz muito bem um brutamontes burríssimo, uma criancinha com músculos - foi esquecido das premiações. Mas o grande responsável por essa chatura é mesmo o diretor Bennett Miller, outro que vem colhendo louros imerecidos há algum tempo. Ele vem sendo acusado de ter aumentado o teor gay desse caso escabroso, mas é difícil explicar a motivação do bilionário John Du Pont, um aficcionado pela viadérrima luta greco-romana, sem apelar para a viadagem. Não admiro que tamanho baixo astral tenha fracassado nas bilheterias.

15 comentários:

  1. Achei chatíssimo tb, quase dormi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Baixou ilegalmente de novo ou resolveu pagar uma meia-entrada no cinema pra variar um pouquinho?

      Excluir
    2. Baixei ilegalmente, Bennett Miller não merece meu dinheiro.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkk
      A galera do blog do Tony já virou uma grande família, um já reconhece o hábito do outro.
      Q fofo!

      Excluir
    4. No planalto Farroupilha onde a Lucas T mora não tem cinema, então ela é "forçada" a fazer pirataria pra poder se atualizar. Lidem com isso! Lá só tem chimarrão e gaúcho macho. A lokaaaaa! Gaúcho macho é uma expressão tão contraditória!

      Excluir
    5. Gentem, excluo ou não excluo esse tipo de comentário? Eu não conheço o Lucas T pessoalmente, mas ele é um dos meus leitores mais fiéis e quase sempre o primeiro a comentar.

      Lucas, se você quiser, eu deleto!

      Excluir
    6. Deleta não, magnânimo Tony! Esses comentários só depõem contra o anônimo amarguradinho, retrógrado e de mal com a vida!

      Excluir
    7. Eu tô quase repensando e criando um perfil no blogger só pra não ver meus poucos comentários misturados aos dessa corja de "anônimos amargurados", como se fosse tudo do mesmo tipo de pessoa. Gente realmente desnecessária.

      Excluir
    8. Eu também anônimo das 22:19! Não sei o que essa gente que só implica vem fazer aqui. E Lucas, se já te curtia antes, agora que descobri que você é gaúcho posso dizer que te amo! Depois que meu amor 5D Raver foi abduzido e desapareceu daqui, acho que finalmente encontrei alguém pra preencher o vazio no meu coração...

      Excluir
    9. Gente, quem não quiser comentar como Anônimo, para não misturar com os anônimos do mal, é só escolher a opção "Nome/URL".
      Você coloca um pseudônimo e pronto, não é preciso mais nada, nem conta, nem login no blogger.

      Excluir
  2. Deixa os anônimos ventilarem, Tony. Aqui não tem cinema mas tem água alok. E demais a mais juro que vou ao cinema toda vez que consigo tirar a tornozeleira eletrônica sem alarde. http://data2.whicdn.com/images/50494102/original.gif

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ventila na minha cama, coisa linda! Com tornozeleira e tudo! Te quero!

      Excluir
  3. Filme ruim mesmo. Mal escrito, mal dirigido, mal atuado(no caso do protagonista Steve Carrell).
    Não vi todos ainda, mas esse é certamente o pior filme do Oscar 2015.

    ResponderExcluir
  4. Tony,
    E está sendo superestimado. Ganhou artigo de 14 páginas no "Cahiers du Cinéma" deste mês...

    ResponderExcluir
  5. Gostei das atuações, achei a direção mecânica e burocrática, mas amei mesmo os comentários do post, Tony. :)

    ResponderExcluir