quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

AVALIAÇÃO: REGULAR


O argumento de "O Crítico" é melhor que sua realização. Este pequeno filme argentino parte de uma premissa adorável: um crítico esnobe, que odeia comédias românticas, vê sua vida virar de cabeça para baixo quando esta se torna... uma comédia romântica. Mas o diretor e roteirista Hernán Guerschuny não sabe se homenageia ou tira sarro, tanto do cinema comercial quanto do "de arte". Seu protagonista é um dinossauro que talvez exista apenas às margens do Prata: um crítico de cinema que só pensa em francês (boa sacada), e cujo gosto parou de evoluir quando acabou a nouvelle vague. Mas o erro fatal foi ter dado esse personagem a Rafael Spregelburd, um ator sem um pingo de carisma. Apesar da curta duração, o ritmo patina. E os raros momentos divertidos dão a sensação de que "O Crítico" poderia ter sido incrível, se tivesse um pouquinho de autocrítica.

4 comentários:

  1. Tonyzitcho, já viste Pride? E Obvious Child?

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Me fez lembrar o argumento de A Flor do Meu Segredo do Almodóvar.

    ResponderExcluir