sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

VENENOSA, ÊÊÊÊÊ

Venina Velosa parece nome inventado para ser dito rapidamente e soar como "venenosa". Mas o veneno espalhado pela ex-diretora de abastecimento da Petrobrás pode ser benigno, e acelerar o processo de depuração da empresa. Que, mesmo na remota hipótese de se recompor a médio prazo, vai ter muita dificuldade em explorar o pré-sal. A extração do petróleo submarino brasileiro é caríssima, e não vale a pena quando o barril sai por 70 dólares, como agora. Aliás, sabe porque o "ouro negro" (eita expressão cafona) anda tão barato? Não só os Estados Unidos e o Canadá andaram descobrindo muitas reservas nas areias xistosas, como a Arábia Saudita, dona das maiores reservas do mundo, resolveu fazer liquidação. Não por generosidade, mas muito pelo contrário: com o petróleo mais em conta, a pesquisa por novos combustíveis anda mais devagar. E assim garante mais um tempo de sobrevida à ditadura teocrática mais repressiva do mundo, epicentro da ideologia (e, dizem as más línguas, também do financiamento) que sustenta a al-Qaeda e o ISIS. Marina Silva tinha razão: o petróleo é uma merda, e o mundo só tem a ganhar se conseguir se livrar dele.

3 comentários:

  1. Gostei do trocadilho com o nome. Mas, falando do baixo preço do petróleo, eu já havia lido dois artigos interessantes no site da Carta Maior, apontando tanto as razões dos EUA e da Arábia Saudita para reduzir os preços. Fora o xisto, ambos têm interesses politicos na desvalorização do ouro negro.
    Agora, deixe-me ser por um momento o 5D Raver--- será que ele foi abduzido? --- e usar uma teoria da conspiração. Quem patrocina o terrorismo não seriam os próprios americanos?

    ResponderExcluir
  2. A Arábia tbm está mantendo o preço baixo pra destruir seu arquiinimigo Irã.

    ResponderExcluir
  3. Arabia Saudita, os príncipe tudo cheirador, bixa, comedor de puta assassino...e mulher tem q usar burca.

    ResponderExcluir