sábado, 27 de dezembro de 2014

O DIREITO DE SER BRIGITTE


Tenho o péssimo hábito de comprar CDs só por gostar da capa, apesar de não me arrepender em mais de 80% das vezes. Agora acertei na mosca com o novo disco da dupla conceitual Brigitte, da qual eu nunca tinha ouvido falar - e no entanto, as moças fazem um sucesso enorme na França já faz quase cinco anos. Formado por Sylvie Hoarau e Aurélie Saada, duas cantoras que haviam tentado a carreira solo e outros projetos sem conseguir grande coisa, o Brigitte tem este nome para prestar homenagem a três Brigittes célebres: a Fontaine (escritora), a Lahaie (ex-atriz pornô, hoje locutora de rádio) e, evidentemente, a Bardot. O som do Brigitte remete aos anos 60 e à chamada "varieté" francesa, o pop levinho e frequentemente sexy que já dominou as paradas de lá (hoje em dia, bem menos). O álbum "À Bouche que Veuyx-Tu" foi uma das melhores aquisições dessaviagem-reliampago que fiz a Paris e Avignon. No contrafluxo da maioria, agora passo o réveillon em família.

2 comentários:

  1. Tony sei que você não está aqui, mas não vai fazer nenhum post a respeito das escolhas de ministério da presidente?

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Levei um baque quando li sua afirmação em ter "hábito de comprar CDs só por gostar da capa", pois desde muito tenro, foi oque me levou a compor a base de parte de meu gosto musical, a saber: Deep Purple, Tarkus, Aqualung, Uriah Heep, Trafalgar.....Joy Division, New Order, The Smiths, U2, Nirvana, Pearl Jam, Coldplay, uns tantos outros simplesmente pelos nomes, ex. T-Rex...........e alguns livros pela capa rs.

    ResponderExcluir