quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

GLOBOS REPÓRTER

Vamos falar de coisa boa? O lamaçal da política brasileira hoje perdeu espaço hoje no meu HD cerebral para as indicações do Globo de Ouro. A indústria de entretenimento americana é tão fabulosa que, mesmo com categorias separadas para drama e comédia em cinema e TV, é enorme o número de injustiçados. Algumas dessas injustiças são até bem-vindas: "Modern Family", apesar de manter a excelência em seu quinto ano de existência, foi totalmente esqucido, abrindo espaço para séries e caras novas. Também me intrigou a ausência de estrelas como Angelina Jolie (que poderia ter emplacado tanto como diretora por "Unbroken" ou atriz por "Malévola") ou Julia Roberts (pelo telefilme "The Normal Heart"). Explico: o pessoal da Associação da Imprensa Estranegira de Hollywood, que vota nos indicados e vencedores, costuma não resistir ao brilho das estrelas, e quer sempre garantir a presença do maior número delas no jantar da entrega de prêmios. Mas dessa vez parece que não se deixaram ofuscar, um sinal de maturidade - ou talvez de juventude, já que os velhinhos devem estar morrendo e uma nova geração de jornalistas assumindo seus lugares. A lista completa de felizardos pode ser conferida aqui, e funciona muito como uma prévia do Oscar. Mas, nos últimos anos, a cerimônia dos GG tem sido bem mais divertida do que a da Academia. Muito por causa da dupla Tina Fey e Amy Poehler, que serão as apresentadoras pela terceira e última vez. Daqui a exatamente um mês, no dia 11 de janeiro, não me convidem para nada: minha agenda já está bloqueada.

10 comentários:

  1. As duas grandes injustiçadas: Julia Roberts, por The Normal Heart e Eva Green, com sua assombrosa interpretação em Penny Dreadful!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E Jim Parsons, hein? Pegaram raivinha dele? (por mim, vai tarde!)

      Excluir
    2. Achei Julia uma bobagem no Normal Heart, aliás como o filme todo.

      Excluir
  2. Quando se trata de series, o Globo de Ouro quase sempre comete uma injustiça. Mesmo assim, não indicar a Eva Green chega a ser heresia. Mas, pelo menos em séries, as indicações foram boas, sobretudo Jon Voight por Ray Donovam e Jessica Lange por American Horror Story.
    PS: por que o Tony ficou em cima do muro e não falou de suas apostas ou preferências?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque eu ainda vi poucos dos filmes indicados. Mais para a frente eu faço os meus prognósticos.

      Mas assim, de orelhada, acho que "Birdman" ganha como comédia e "Boyhood" como drama. E mais Michael Keaton, Julianne Moore, Ralph Fiennes e Amy Adams.

      Em TV: Game of Thrones e Transparent.

      Excluir
    2. Eu acho que esse ano será de House Of Cards. Concordo com os filmes e atrizes, mas os atores você apostou em dois do quesito comédia - tb aposto em Michael Keaton pra esse. No drama, Benedict Cumberbatch ou Eddie Redmayne.

      Excluir
    3. Olôco, é verdade. Então acho que vai dar Keaton em comédia e, no drama, concordo com você - Cumberbatch ou Redmayne.

      Excluir
    4. Boyhood zzzzzzzzzzzzzzz

      Excluir
  3. Julia Roberts não? Ah... :(

    Pelo menos espero que o Mark Ruffalo leve o Globo, já que achei uma injustiça não ter levado o Emmy para casa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que acho que The Normal Heart não levará nada, infelizmente. Fargo é o queridinho do pessoal do GG.

      Excluir