quarta-feira, 1 de outubro de 2014

SE EU TIVER FILHOS GAYS

Quando até o pastor Everaldo se apressa a condenar o Levy Fidelix, é porque alguma coisa está mesmo mudando. Claro que o candidato do PSC não discorda muito das ideias do sr. Aparelho Excretor, só do método. Mas está ficando claro que os momofóbicos espumantes estão se tornando uma minoria, e pouca gente quer ser vista como um deles. Mais interessante ainda é a lenta aproximação que algumas denominações evangélicas vêm fazendo com a causa LGBT, a exemplo do que o papa Francisco vem promovendo na Ingreja Católica. Acho que é um pouco por medo de perder o rebanho mais jovem, mas também acho que existe compaixão. Como é o caso do pastor americano John Pavlovitz, que postou mês passado em seu blog um texto que já viralizou. Nele, com calma e sabedoria, o religioso explica quatro pontos que seguiria se algum de seus filhos se revelar gay. Está tudo aqui, em inglês; só vou traduzir os itens principais:

1) Se eu tiver filhos gays, todo mundo vai saber.

2) Se eu tiver filhos gays, irei rezar por eles.

3)Se eu tiver filhos gays, irei amá-los.

4) Se eu tiver filhos gays, isto quer dizer que eu tenho filhos gays.


Pavlovitz estava esperando reações equivalentes de amor e ódio, mas as primeiras foram muito mais numerosas. O que significa que há um contingente enorme de evangélicos que sofrem com a homofobia de suas igrejas, e não estou falando apenas dos gays. Também suas famílias, seus amigos e todas as pessoas que se importam com eles. É com este tipo de apio que venceremos.

17 comentários:

  1. Tony, e o caso do Hulk (Mark Rufallo) que declarou apoio a Marina Silva e quando ficou sabendo que ela era contrário ao casamento gay declarou que estava retirando o apoio? Marina está tentando desmentir. Tenho para mim que aquela errata de Marina após pressão do Malafaia vai lhe custar uma eleição praticamente ganha. A imagem de Marina ficou atrelada com a dos fundamentalistas. Entre os que tem menos de 25 anos, ela era maioria esmagadora e é a faixa com maior queda. Bem feito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As eleiçoes de 2010 foi definida e decisiva pelo aborto, nessa de 2014 quase não se fala do assunto, talvez o assunto chegue a ser irrelevante nas de 2018
      Não acho que a marina seja fundamentalista, mas foi um tiro pela culatra ter recuado por conta dos tweets do Mala

      Excluir
    2. Na política não importa o que você é e sim o que dizem que você é. Marina é muito dúbia. Dá margem a todo tipo de interpretação. Vai se estrepar!

      Excluir
  2. Olha, ia ser muito bom que um candidato fosse derrotado apenas porque mudou de ideia quanto ao casamento gay. Ia servir de lição para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a Marina perder pq voltou atras na questao "gay", o Brasil vira a Noruega!

      Excluir
    2. É ingenuidade achar que um candidato a presidência pode perder a eleição por ter mudado sua posição quanto ao casamento gay. Se não perdeu com o Mensalão e a Dilma até subiu após os escândalos da Petrobras, não há de ser por essa omissão.
      Uma coisa é reconhecer os gays como cidadãos plenos, o que inegavelmente vem ocorrendo entre os brasileiros, sobretudo pela consciência dos direitos humanos como sendo para todos. Mas tomar posição pela causa não me parece razoável por corresponder essa comunidade a uma percentagem muito pequena da população [ainda que muito visível, até mesmo por seus talentos]. A situação dos gays é bem diferente da dos negros, que são mais da metade de nosso povo.

      Excluir
  3. Pais não viram as costas para filhos assassinos, vão odiar um filho gay ou uma filha prostituta? Por mais terrível que tenha sido um crime que um filho cometeu, toda semana os pais e o resto da família estão lá na penitenciária levando amor e um ombro amigo. E em relação ao comportamento de um cristão diante de um gay, Jesus, se vivesse hoje, maltrataria um gay, incentivaria o ódio e a violência contra vocês? Não. O que o cristão tem obrigação de fazer é mostrar o que a Bíblia sobre o tema.

    ResponderExcluir
  4. Não é só isso, mas de todas as incoerências de Marina, a errata do Malafaia foi a que mais prejudicou a candidatura dela. E quanto mais o pregador do ódio ataca Dilma, mais ela cresce. Quanto mais ele exalta Marina. Mais ela despenca. O Mala é uma cruz pesada demais para Marina carregar.

    ResponderExcluir
  5. Se eu tiver um filho que mata criancinhas por prazer, "todo mundo vai saber, vou rezar por ele, irei amá-lo e isto quer dizer que eu tenho um filho criminoso".
    O discurso desse "pastor" está equivocado. Esconde uma complacência descabida e até insultante.
    Ele deixa claro uma postura de alguém que ao mesmo tempo em que se acha dono do que o outro faz com a própria vida, ainda se acha superior se aceitar esse outro como ele é...
    Não é da conta de ninguém se o cara quer dar algo que lhe pertence...
    Que esse "pastor" vá perdoar e compreender os assassinos, os estupradores, etc...
    Se quiser admiração, que faça serviço social em algum lugar, isso sim digno de atenção....
    Que da próxima vez ele tente se fazer relevante de outra forma, e não se apropriando da vida alheia.
    Ele pode ter acertado na intenção, mas errou no discurso, que viraliza a "anormalidade" que deve ser "aceita e amada como normal".
    Isso pode até ser uma tática dele pra fazer mentes mais fechadas enxergarem melhor os gays. Mas, ele passa a mão na cabeça de quem realmente precisa ser objeto das preces dele: os intolerantes.
    De forma simples: se eu tiver um filho gay, isso não quer dizer absolutamente nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce leu o artigo do pastor no mesmo sentimento que um homofobico deve ter lido ainda que simetricamente oposto.
      Nao leia somente no seu prisma de visao, se coloque no dele e perceba a evolução que isso significa.

      Excluir
    2. Sua fase final é muito correta, mas infelizmente está bem longe da realidade do tempo em que vivemos.

      Excluir
  6. A mudança de idéia da Marina, em relação ao casamento gay, foi o estopim para o início da campanha de "desconstrução" que o PT levou ( e vem levado ) diariamente na TV.
    Porisso ela vai perder a eleição, que sim, já estava ganha.
    Estamos entre duas espadas e sem saída.

    ResponderExcluir
  7. Tá difícil enfiar na cabeça dos gays que, quem condena suas práticas por causa de religião, não vai aceitar como normal o que seu livro sagrado diz que é errado. Vai chegar o tempo em que vão querer que as igrejas aceitem como normal a zoofilia e o incesto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E qual o problema da zoofilia e do incesto, se for uma pratica que beneficie ou traga prazer para ambas as partes? Abra sua mente e liberte-a de dogmas e tabus sociais, meu amor!

      Excluir
    2. Anônimo das 08:53- se acha normal trepar com um animal ou chupar a rola do seu filho, é problema seu. Só não queira impor que o resto do mundo faça o mesmo e ache lindo.

      Excluir
    3. Vamos parar com essa bobagem? Quem fala de incesto, zoofilia e pedofilia quando o assunto é homossexualidade é invariavelmente homofóbico. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, por mais que os homofóbicos insistam.

      E tá difícil enfiar na cabeça dos religiosos que eles não podem obrigar quem não é da religião deles a seguir os mesmos preceitos.

      Excluir
    4. Enquanto isso na Alemanha... http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/09/incesto-na-alemanha-pode-ser-despenalizado.html

      Excluir