quarta-feira, 17 de setembro de 2014

REINO DESUNIDO

Meu lado racional é totalmente contra a independência da Escócia, que será decidida amanhã num plebiscito. Acho qualquer nacionalismo o ápice da cafonice. O mundo inteiro tem que aprender a viver junto, sem fronteiras nem bandeiras. Mas meu lado emocional é a favor: se a Escócia se tornar indeopendente, acrescentarei mais um país à lista dos que eu conheço, e sem fazer força. Estive lá em 1988.

A fragmentação do Reino Unido impõe alguns problemas práticos. Qual será a moeda escocesa? E como fica o Union Jack, uma das bandeiras mais famosas do mundo? Se o pavilhão azul com a cruz em x de Santo André for eliminado do desenho, sobram as cruzes de São Jorge (da Inglaterra) e a de São Patrício (da Irlanda). Além de parecer ter sido lavada com Cândida, a nova bandeira não contempla o País de Gales.

Um monte de designs alternativos já está sendo proposto. Alguns incluem o dragão galês, outros o preto e amarelo da cruz de São Davi, também símbolo de Gales. Mas talvez nada mude: a rigor, a bandeira atual representa uma união de coroas, não de países (por isto que Gales, há muito tempo incoporado à Inglaterra, não aparece). E como Elizabeth II continuaria sendo a rainha da Escócia (como ainda o é da Austrália ou do Canadá), o Union Jack, presente em milhões de canecas e camisetas, poderia seguir igual. Mas, vem cá, e o castelo de Balmoral? A família real perderia seu refúgio favorito, que fica nas Highlands escocesas? Nããããooo!!!

8 comentários:

  1. Pelo que eu leio não está pesando tanto para os escoceses que são a favor da separação o nacionalismo ou singularidades culturais mas sim econômicas e políticas, os recursos naturais (petróleo que a Escócia detém 90% da bacia) e a falta de representatividade no parlamento, apesar de votarem em partidos trabalhistas sempre viram os conservadores no poder, como a querida Thatcher.

    Bandeira do Reino Unido é linda, mas acho difícil seguir igual. Não gostei do design de nenhuma das alternativas.

    ResponderExcluir
  2. Se fosse escocês votaria a favor da independência. Acho que o país tem condições suficientes de se tornarem independentes. País rico, desenvolvido, não há nada que atrapalhe.

    ResponderExcluir
  3. Já viu o video do John Oliver a respeito, Tony? Vale muito a pena
    https://www.youtube.com/watch?v=-YkLPxQp_y0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi ontem. Sensacional. I love John Oliver!

      Excluir
  4. Como você disse o mundo não deveria ter fronteiras,a nova ordem mundial "illuminati" não deveria ser tão banalizada, tem sua importância!

    ResponderExcluir
  5. E sua infância ainda que psicológica em Balmoral ficaria meio apátrida?
    -- By George!... - diria Henry Higgins.

    ResponderExcluir
  6. Correcao : Scotland, England, Wales and Northern Irland sao Nacoes que formam o Reino Unido.
    A Escocia quer independencia para nao querer ser governada por um partido (UKIP) de extrema direita da inglaterra, que proval/te ganhara o poder as proximas eleicoes.

    A Rainha continuara como Chefe de Estado da Escocia porem por motivos historicos tera de mudar para Elizabeth I da Escocia.
    Balmoral e' propriedade privada da familia real, portanto a sra. esta salva!

    ResponderExcluir
  7. A Escócia escolheu não ter representante próprio no Eurovision.

    ResponderExcluir