sábado, 9 de agosto de 2014

TIRO DE META


Filmes venezuelanos jamais entravam em cartaz no Brasil, mas este ano já foram dois: primeiro teve o spervalorizado "Pelo Malo", agora o realmente bom "Hermano". Dessa vez o fato da história se passar novamente numa favela de Caracas não me incomodou. Como muito do cinema latino-americano recente, há uma nítida influência de "Cidade de Deus", com atuações naturalistas, decupagem moderna e muito tiroteio. A trama poderia tranquilamente se passar por aqui: dois irmãos de criação têm potencial para se tornarem grandes jogadores de futebol, mas só um deles tem a cabeça no lugar. O curioso é que o futebol não é o esporte mais popular da Venezuela (é o único país de língua espanhola da América do Sul que jamais participiou de uma Copa), mas "Hermano" foi patrocinado em parte pelo Caracas F. C. Como ação de merchandising, deu muito certo: o filme ganhou prêmios pelo mundo afora e foi o escolhido para representar seu país no Oscar de 2011. Mas nem por isto a seleção venezuelana ("la vino tinto") conseguiu se classificar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário