quinta-feira, 3 de julho de 2014

AS GAROTAS DO VERÃO


Do hemisfério norte, que fique claro. Esta é a época do ano em que são lançados os hits mais saltitantes, e nenhum saltita mais do que "Something New". Foi produzido por Quincy Jones a partir de seu clásssico "Soul Bossa Nova" (que serviu de tema dos filmes do Austin Powers), para reembalar a cantora de jazz Nikki Yanofsky como uma versão reloaded de Amy Winehouse. A moça certamente canta bem, mas não tem uma voz inconfundível como o da diva do neo-soul, morta já faz três anos. Seu álbum "Little Secret" é agradável, só que não vai entrar para a história. Next!

Lana del Rey foi tão hypada em 2012, mas tão hypada, que a crítica caiu de pau em seu disco de estreia, o ótimo "Born to Die". Essa mesma crítica agora cai de amores por "Ultraviolence", mais sombrio e bem pouco apropriado para dias de calor. Ela continua soando dramática, com letras que beiram o pornô. As novidades são sua voz, mais encorpada, e os arranjos, mais etéreos - cortesia do produtor Dan Auerbach, da banda Black Keys. Para ouvir com atenção.
Não posso deixar de fora o que já é o maior sucesso do momento: "Problem", de Ariana Grande - a versão reloaded de Mariah Carey - e participação da hypada Iggy Azalea. A princípio achei sem melodia, depois viciei. Hits são assim mesmo.

26 comentários:

  1. Há dois anos, Lana é o que há. Fui bastante resistente a ela, confesso. Mas sabemos que algo vai acontecer quando surgem cantorinhas semelhantes na postura e na proposta musical, tipo depois de Lana, veio em série um monte de cloninhos, o mais recente é a tal Lorde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito, essa tal de Lorde surgiu na esteira do sucesso da Lana.

      Excluir
  2. Lana é meio falsa-mórbida mas amo, ultima declaração dela foi ótima 'gostaria de ja estar morta', isso é deprimente, digo, ótimo.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Mas é uma blasé com algo a dizer, escute os discos dela e vc entenderá por que tanta gente tá vindo aqui babar ela todinha, mas ouça desarmado, se ouvir como hater não adianta.

      Excluir
    2. Mas, eu gosto. Acho sexy. Só qisso nao apaga o fato dela ser montada para tanto. Senso crítico só.

      Excluir
  4. "Been trying hard not to get into trouble, but I, I've got a war in my mind". Preciso confessar que gosto muito da música da Del Rey. Desde a primeira vez que ouvi "Blue jeans", por acaso, na rádio, me encantei com a estranheza daquilo tudo. Rola um lance de trilha sonora de filme, e os arranjos são únicos, sem recorrer às batidas genéricas onipresentes. "Ride", "Summertime sadness", "Nathional anthem", todos ótimos singles. Gosto também do fato dela invariavelmente se apresentar mal ao vivo. No mundo dos playbacks e backing tracks pré-gravadas rodando por cima dos "vocais" ao vivo, de dancinhas sem talento e performances milimetricamente estudadas, ver Del Rey meio desengonçada estuprando escancaradamente as melodias é encantador. E até hoje ainda me surpreendo com o impacto do "I heard that you like the bad girls ho-ney, is that true?". Lana é carente e safada. Lana é bonita mas nem tanto. É decidida mas sabe que não sabe de porra nenhuma. É chata e soa poser, mas o resultado final é acima da média. Amo/sou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo, Nelson.

      Excluir
    2. As musicas são tipo hipnóticas vc não gosta de prima, vai escutando e, do nada, começa a assobiar as melodias qualquer hora do dia, aconteceu isso quando ouvi Born To Die, depois com o reloaded desse album, o The Paradise Edition e agora, novamente com Ultraviolence. Meu unico medo de gostar dela e virar fã é um dia saber que foi encontrada morta como outros artistas, ela é muito, mas muito estranha tipo a Amy, vejo ela com potencial suicida fortíssimo.

      Excluir
  5. És responsável por quem cativas4 de julho de 2014 02:43

    Ultraviolence traz na capa Lana fazendo cosplay da Victoria Grayson de Revenge. Lana não tem que provar mais nada pra ninguem, Summertime Sadness, Ride e Million Dollar Man são canções que falam por si só e fizeram sucesso em quase todos os países do globo terrestre. Em épocas de crise criativa, fico com ela em mais essa empreitada.

    ResponderExcluir
  6. Adoro a angústia da Lana. Tava sentindo falta de cantoras pop depressivas, desde Portishead.

    ResponderExcluir
  7. Tony te amo, mas Lana suuuuuuuuuuuuuuuuuuuuucks.

    ResponderExcluir
  8. meu pai tinha um Lana del Rey marrom metálico lá nos anos 80.

    ivan

    ResponderExcluir
  9. Quem acostumou ouvidos a porcarias cheias de efeitos eletronicos não tem mesmo como prestar atenção ao tipo de som que a Lana faz (e faz bem diga-se de passagem, como alguem já disse acima só se copia e lança similares quando o artista tem algo de original). #TeamLana

    ResponderExcluir
  10. Lana rules e ponto final, o post trata de três cantoras que coincidentemente estão com discos novos na praça e, pro bem ou pro mal, maioria se posiciona SOMENTE - ahan - sobre a estranhérrima Del Rey. Uma canção dela que passou batida no Brasil foi Video Games que não empolgou tanto quanto os singles que vieram depois tipo Summertime..., Ride, e a trilha do Grande Gatsby (Young and Beautiful).

    ResponderExcluir
  11. eu gosto de tudo remixado pelo cedric gervais - e não vejo porque eu teria de ser diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gaga Oh La La Roma-ma-ma Oh La La... Po-Po-Po-Po-Po-Po-ker face Po-Po-Po-Po-Po-Po-ker face.... Putz, te entendo, horrores...

      Excluir
    2. Nem tudo pede remix, fato. Por que Pet Shop Boys ficaram chatos? Porque ninguém suporta ver por três décadas seguidas alguém incendiando pista de dança, tudo fica chaaaato, os sintetizadores e recursos dançantes soam datados, etc etc etc Um dia vc chega a esta constatação e o Cedric Gervais vai discotecar festa em Las Vegas e praia de Copacabana que nem Fatboy Slim e Moby, todos pançudos e com mulher + filhos pra sustentar.

      Excluir
    3. Eu amo Pet Shop Boys como se fosse 1988. ;)

      Excluir
    4. Que bom, mas o som deles passa longe de 1988 :(

      Tem umas coisas experimentais que eles fazem se sentindo, aí dá vontade de questionar porque aviões caem com artistas legais dentro e não com esse duo.

      Excluir
  12. Ariana Grande é chata e parece uma meninona desengonçada que não sabe o que fazer com os braços nos red carpet da vida (HyperCongada define), como seria um show de 2h com ela e seu repertório a la Taylor Swift meets Demi Lovato (bleargh, vomitei tudo aqui)? Presença de palco zero!! Pronto já destruí mais uma carreira de ídolo teen, next.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fato. Um comentário anônimo num blog tem esse poder. U go girl!

      Excluir
    2. Sei que foi ironico, mas gosto de gente maldita como vc, mamae diz que tenho queda pelo darkside da força, fazer o que? Sabe não tá facil ser anonimo vou me rebatizar Mutamba e quem sabe assim tenha algum credito na praça.......... ;P

      Excluir
    3. Ahan vou assinar como Mutamba e não serei mais anonimo, ok??

      Excluir