terça-feira, 17 de junho de 2014

À FRENTE DE SEU TEMPO

Jean Wyllys me representa. Houve um tempo em que, como todo suposto bem pensante, eu menosprezava o vencedor do BBB 5, mas hoje em dia sofro por não haver em São Paulo um candidato como ele para a gente eleger (se houver, alguém me avise, porfa). Eleito deputado federal pelo PSOL do Rio, Jean se mostrou incrivelmente atuante e corajoso. Mesmo assim, já existe um certo backlash contra ele, vindo inclusive de alguns gays. Acusam-no de ser "militante demais" ou até de mal vestido. Recomendo a essa galera a leitura de "Tempo Bom, Tempo Ruim", uma mistura de autobiografia com manifesto. Composto por ensaios curtos, o livro de Jean retraça sua trajetória e reafirma suas posições. Alguns textos são maravilhosamente didáticos, como o que explica os diversos sistemas de voto ou o que retrata o papa Francisco como um semi-aliado da causa LGBT e, antes de mais nada, uma criatura política. Também é esclarecedor o artigo em que ele defende que o casamento igualitário seja aprovado antes da lei anti-homofobia. Concordo com praticamente tudo o que Jean diz, e no fundo é pena que ele esteja pregando aos convertidos - difcilmente seus detratores passarão perto deste livro. Mas deviam.

36 comentários:

  1. Tinha muita vontade de votar nele ou no Gabeira, pena que eu vote em Minas.

    Nas eleições precisamos fazer uma lista de candidatos da causa por Estado, e divulgar por todos os meios gays possíveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tony, vocÊ é jornalista, tem contatos e uma boa audiência no blog. Poderia fazer algo do tipo. Poderia entrar em contato com outros amigos blogueiros e pessoas relacionadas. Dará um pouco de trabalho, mas estará ajudando uma causa, a sua causa.

      Excluir
    2. Já fiz isto em outras eleições. Garimpei candidatos simpáticos aos gays, divulguei em posts aqui no blog, fiz campanha abertamente. Vou fazer de novo este ano, assim que descobrir quais são os que valem a pena.

      Sugestões?

      Excluir
    3. Não tenho nenhuma sugestão criativa que vocÊ, provavelmente, já não tenha pensando. Volto a dizer, tenta fazer a lista em conjunto com outros blogs e sites que apoiam a causa, ai a audiência será maior. O problema é que os que eu até agora escolhi são para cargos locais :(, ainda não encontrei senador e deputado federal gayfriendly aqui na Bahia.

      Fabiula mansur- deputada estudual - psb (lesbica e atualmente vereadora)
      Lídice da Mata - governadora - psb (senadora e uma das poucas gayfriendly no senado)
      vereador -Suíca- pt ou Vânia Galvão- pt (ambos apoiam projetos gayfriendlys)

      P.s: Minha primeira eleição, tão feliz!!!

      Excluir
    4. Fabíula é lésbica? Não sabia!

      Excluir
  2. Prefiro dar o meu voto pro Ale Youssef.

    ResponderExcluir
  3. O mio babbino caro
    E o melhor, sem nenhum traço de rancor. Quanto aos que o acusam, o fazem nos picos que sabemos quais são, com suas vidinhas tão fúteis. "Que sejam eles, sim, a ficar mal e envergonhados, todos juntos".

    ResponderExcluir
  4. Essa semana o Conselho Nacional de Justiça divulgou o primeiro censo de magistrados já realizado no país. 122 juízes se declararam casados/em união estável com alguém do mesmo sexo, pouco mais de 1% deles: http://www.cnj.jus.br/images/imprensa/vide-censo-final.pdf E nessa mesma semana a primeira mulher a presidir o mais alto cargo da Justiça Militar no país falou bem da presença de gays nas forças armadas : http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/06/ministra-elizabeth-rocha-se-torna-primeira-mulher-presidir-o-stm.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o interessante é que 1% é casado ou em união estável e como sabemos que muitos gays não casam, imagina quantos mais devem ter solteiros ou em uniões "clandestinas" rsrsrs

      Excluir
  5. BBB dele foi o 5, em 2005, de onde tb saiu pra mídia a Grazi Massafera. Acho ele lúcido e realmente não tem perfil do politico corruptível a que estamos acostumados. Gays venenosos não gostam de nada nem ninguem, nutrem amargor por qualquer um, não por acaso certa vez Clodovil disse que não abordaria direito gay em sua plataforma de trabalho por estes serem tremendamente ingratos e despolitizados. Claro que não se pode generalizar, mas se ele fosse mais um Clodovil talvez tivesse o dobro de fãs fazendo a bicha má.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão. Foi o 5 mesmo. Já corrigi, obrigado.

      Excluir
  6. Jean Wyllis é das poucas pessoas que até quem não é gay gosta e usa como referencia, no ano que ganhou BBB, ele foi da senhorinha de 80 anos a criança de 8, todos gostam dele porque antes de qualquer coisa ele é humano e sensível às minorias. Quem não gosta sempre vai postar coisas negativas, afinal internet como bem diz um amigo meu é a cracolandia dos comentários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha. Com todo respeito aos viciados, Cracolândia dos comentários é genial.

      Excluir
  7. Eu voto nele, um cara bastante correto. Mas não suporto seu pensamento político de esquerda anos 60 do Século XX.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com todo respeito ao seu comentário - não sou troller ou hater, aliás odeio esses idiotas que prejudicam qualquer discussão de ideias - mas fiquei no vácuo, o que seria pensamento político de esquerda anos 1960 século passado? Acho válido qualquer questionamento independente de cronologia, combater distorções e injustiças não deveria ser algo atemporal? Dentro dessa lógica deturpada, combater racismo hoje em dia é muito 1888 pois desde abolição da escravatura, nunca mais ouvimos falar de discriminação pela cor da pele, raça ou etnia, correto? Errado!! Sempre que alguém se manifesta é porque coisas horríveis continuam acontecendo. Acredito que muitos gays em cidades menores vão continuar sofrendo discriminação em escolas e no trabalho, se suicidando por falta de estrutura psicológica para lidar bem com homossexualidade em detrimento de que ainda se escuta homossexualismo, sendo mortos por homofóbicos e tantos outros absurdos. Força, Jean #OMundoNãoÉPerfeito.

      Excluir
    2. Definir a esquerda como a facção política que combate distorções e injustiças é muito bonito, mas é simplista. A esquerda também se caracteriza pela maior interferência do estado na economia e na vida das pessoas. Isso vai desde os impostos altos (que na Escandinávia se traduzem em serviços excelentes, mas não no Brasil) até o "controle social dos meios de comunicação", vulgo censura.

      Os países comunistas fracassaram redondamente, tanto que o único que ainda existe de fato é a Coreia do Norte - e quem quer viver lá? Fora que o regime norte-coreano só sobrevive graças ao apoio da China (que hoje é mais uma oligarquia do que propriamente comunista, já que há grandes discrepâncias sociais). Acho que é a esses regimes, que evaporaram na virada dos anos 80 aos 90, que o comentário anterior se referia.

      Hoje a esquerda "clássica" só faz algum sucesso na América Latina, por causa do nosso abismo social. Mesmo assim, gera monstrengos como o regime chavista na Venezuela e ditaduras declaradas como Cuba.

      Mesmo o Mujica (a quem eu admiro muito), no Uruguai, está longe de ser uma unanimidade. Fiquei espantado de ver ele sendo criticado pelos torcedores de seu país que vieram para a Copa.

      Excluir
    3. Fófis Léllis, lindinha com conteúdo24 de junho de 2014 01:06

      A esquerda é historicamente um equívoco, mas falar disso abertamente hoje em dia no Brasil já é resvalar pelo autojulgamento de que somos preconceituosos porque segundo alguns esquerda representa as massas, o que tb discordo veemente, saber que muitas nações latinas querem cercear liberdade de expressão e muitos que vem aqui querem velar essa realidade é a maior prova de que a esquerda não é a saída para os problemas [que ainda] temos. Tb percebi essa ojeriza de alguns torcedores tal como tb aconteceu [merecidamente] com a sra. Rousseff, esse povo se deixar transformam tudo em palanque eleitoral pra suas lavagens cerebrais das classes sem educação.

      Excluir
  8. Tratando-se da questão LGBT (ainda é essa sigla? Difícil se manter updated nesse quesito) a atuação do Jean é irretocável, realmente nosso melhor representante, so far. Entretanto, discordo de suas opiniões em outras questões, como o anônimo acima, e a vida, mesmo a nossa, não se resume às causas gays. Portanto, mixed feelings em relação ao Jean.

    ResponderExcluir
  9. Bee, ele foi eleito deputado FEDERAL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é claro! (tapa na testa)

      Já corrigi, obrigado.

      Excluir
  10. Mas foi eleito com pouquíssimos votos. Entrou de tabela puxado pelo Chico Alencar. Será que repete o feito?

    ResponderExcluir
  11. o cara é foda, de uma expressividade surpreendente. em relação as críticas vinda dos gays, vale lembrar que (infelizmente) também existe gay mal esclarecido, ignorante e preconceituoso. aliás, em quantia bem numerosa, vale dizer

    ResponderExcluir
  12. Respostas
    1. Beeexas Excruótaxxx24 de junho de 2014 00:58

      Cadê a Gaga Mothamonstah, falando nisso? Assim do nada a mulher dessitiu de andar de pernas de pau e usar roupas do cirque soleil?

      Excluir
  13. <3 CRACOLÂNDIA DOS COMENTÁRIOS<3
    já pode tatuar???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a Deborah 'Quer' que o Gregory 'Peque'24 de junho de 2014 00:56

      Sim só gente desorientada vomitando ódio e frases irracionais, fato.

      Excluir
  14. Pois eu o levei a sério desde o BBB 5, quando ele usou sua sexualidade de forma inteligente como arma 'política' a seu próprio favor, e deu certo, muita gente se mobilizou. Eu mesmo entrava na Net e votava muito para que ele ganhasse (foi o único BBB que assisti), até a final, pois a questão estava muito bem colocada -- e pela primeira vez na TV. Votava por ele e pela causa. O tempo mostrou que eu estava certo, até hoje ele está aí, dizendo o que precisa ser dito, sendo praticamente o único. Ou seja, programas televisivos, por mais alienados que pareçam, não estão separados do contexto político em que vivemos. Vou comprar o livro, valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, aquele BBB foi um achado, mostrava como os homofóbicos montam suas redes de intrigas e depois se saem com o famoso 'mas eu não sou homofóbico'. Lembro que aquele médico horroroso que era o antagonista de Jean se deu mal e sofreu até processo disciplinar pelos absurdos que falava contra gays e lésbicas. E quem lembra da principal aliada de Jean dentro da casa? Ela mesma, a ex-senhora Reymond, Grazi Massafera, outra que se deu bem merecidamente. Adoro os dois até hoje e acho que naquele momento o programa funcionou como a primeira campanha bem sucedida contra a homofobia.

      Excluir
    2. Se a Deborah 'Quer' que o Gregory 'Peque'24 de junho de 2014 00:55

      Jean foi o cara de 2005, se lembro.... Foi o bapho do ano aquele BBB5, bateu até a noveleta da Gloria Perez - América [outro fiasco].

      Excluir
  15. Tony Goes para deputado federal por São Paulo! Quem apoia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a Deborah 'Quer' que o Gregory 'Peque'24 de junho de 2014 00:53

      Vai nessa vibe, não, Tony, quase todos que enveredam pra esse lado se tornam medíocres no que fazem extra-política, quero vc redator e quiçá escrevendo uma puta série de tv ou quem sabe uma NOVELA realmente inovadora que faça queixo dessa naçãozeca despencar na chón!!!

      Excluir
  16. Heey Broother, Belo blog, sou web design e faço templates para blogger.

    Precisando de um de notícias? Fale comigo!

    Email: Marcos@mengao.com.br

    ResponderExcluir
  17. Eu também concordo com a maioria das propostas e visões que o Jean demonstrou e continua demonstrando. Acho um político digno e que faz algo que não seja jogar tempo fora enquanto detém uma cadeira na Câmara dos Deputados. Também acho que ele poderia se vestir melhor e cuidar mais do cabelo (minha opinião à pessoa dele), mas jamais acharia que isso interfere em seu trabalho (pelo menos não deveria). Isso é frescura de alguns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a Deborah 'Quer' que o Gregory 'Peque'24 de junho de 2014 00:51

      De uma vez pra sempre: dane-se como o cara se veste, whattafuck, toda hora mesmo esquema bee de butique pra falar mal de quem nos representa. Nada pessoal, ok, mas irrita esse foco errôneo em coisas sem importância.

      Excluir
  18. Fófis Léllis, lindinha com conteúdo24 de junho de 2014 01:10

    Jean encontrou seu nicho de atuação na política queria que ele sempre fosse reeleito over and over and over.... Mas como sei que brasileiro não sabe escolher seus representantes desde já vou baixando a BOLA PRA NÃO ROLAR FRUSTRAÇÃO, enquanto isso PL-122 segue mofando desde 1996 quando Marta Suplicy trouxe ele à luz pra jamais ser sancionado. Brasil não vê prioridade em assegurar segurança e dignidade so gay desse país, falta educação, mais universidade e menos igrejas de bairro.

    ResponderExcluir