quinta-feira, 22 de maio de 2014

MONSTRO DE DEUS

Jurei que este ano não verei um único filme de super-herói. Fiquei na dúvida se essa nova versão de "Godzilla" se encaixava na categoria: não há nenhum vingador mascarado tentando derrotar o monstro, mas há longas sequências de destruição, efeitos especiais jogados fora e o óbvio final feliz. Acabei me deixando seduzir pelo elenco de inusitado prestígio - Juliette Binoche! David Strathairn! Bryan Cranston (o Walter White de "Breaking Bad", talvez o ator que melhor faça cara de pânico hoje em dia)! Mas quase todos morrem logo e/ou aparecem pouco. Aliás, o bicho do título também aparece pouco, só da metade para o final. E dessa vez não foi radicalmente redesenhado: ainda se parece com o jacaré gordo dos filmes da Togo, com boca relativamente pequena para o corpanzil e escamas dorsais que lembram montanhas escarpadas. Mas mudou de caráter. O novo "gojira" (o nome é a mistura de "baleia" com "gorila" em japonês) agora é do bem, um enviado divino para "restaurar o equilíbrio" destruído pelos MOTU, duas baratas gigantes que resolvem se acasalar em São Francisco porque sim. Esses novos monstros são uma versão meio mal acabada da antiga Mothra, a mariposa monstruosa que frequentava os filmes antigos. Fala sério: uma mariposa? Enfim, o novo "Godzilla" não é horrível, mas também não é sensacional. Talvez eu gostasse mais se ele atacasse alguma coisa com que eu realmente me importo, tipo a cerimônia de entrega do Oscar. Já pensou, o estrago no tapete vermelho?

8 comentários:

  1. Tem uma coisa interessante: nas cópias distribuídas na Ásia existe uma cena pós-créditos onde aparece a Mothra. Já foi confirmada a continuação e adivinha qual será o vilão?

    ResponderExcluir
  2. Hahaha. Tava com saudades do seu senso de humor.

    ResponderExcluir
  3. Nao tenho o menor saco para esse tipo de filme! Nao adianta nao consigo...

    ResponderExcluir
  4. Tb tive a sensação de que não é bom nem ruim, mas infinitamente melhor que Noé...rs rs rs. Só não entendi muito pq o japa ficou o filme inteiro com cara de catarse, boquiaberto, em transe...

    ResponderExcluir
  5. "X-MEN, Dias de um futuro esquecido" vale à pena. O ódio e a guerra da humanidade contra "os diferentes" chega a um nível mais profundo. Quem gosta de ação talvez fique um pouco decepcionado, mas a trama psicológica cheia de metáforas e analogias é maravilhosa. O 3D também vale à pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vdd. Mas as sequencias de ação são mega bem feitas, e o Mercúrio é um gato, além das cenas deles estarem entre as mais divers. Tenho horror de filme em 3D porque normalmente fica nas coxas, fora a escuridão típica que ele dá na fotografia, mas o 3D de X-Men me incomodou menos do que o usual. Enfim, arrasaram, curti muito.

      Excluir
  6. o filme tem um Q de homenagem aos fãs deste tipo de enredo por isso a estética old-fashion-school, o lance do monstro bom e o monstro ruim, a destruição beeem no meio da cidade com os predios tombando. não é um filme cabeça, é besteirol e destruição. eu gostei mas confesso q cresci vendo isso e soou bacana pra mim

    ResponderExcluir
  7. Detesto esse tipo de filme, mas amo o Bryan Cranston... Assistir ou não assistir: eis a questão.

    ResponderExcluir