quinta-feira, 8 de maio de 2014

MEUS OLHOS ANDAM CEGOS DE TE VER

Nunca houve um nome que sugerisse tanta delicadeza e violência quanto o de Florbela Espanca. A vida e a obra dessa poeta portuguesa fizeram jus a ele. Reza a lenda que a moça morreu de tristeza aos 36 anos, mas na verdade ela conseguiu se matar em sua terceira tentativa. O filme "Florbela" é uma adaptação livre de fatos reais, e foi a maior bilheteria de 2012 em Portugal. O que prova mais uma vez o quão diferentes somos dos tugas: o ritmo devagar-quase-parando não enche cinema por aqui (aliás, a sala onde eu fui estava quase vazia). Isso não quer dizer que "Florbela" não tenha momentos sublimes, ajudados pelo excelente elenco e pela direção de arte esmerada. Mas só quem for lusófilo como eu deve encarar - e ainda assim precisa ter pachorra, como eles dizem.

(o título do post vem de um dos mais famosos poemas de Florbela, "Fanatismo", que nos anos 80 ganhou música de ninguém menos que Raimundo Fagner)

2 comentários:

  1. Nossa, o mundo dá voltas messsmo! Tiro tanto sarro dos meus sobrinhos quando aparecem cantando o hit do momento e aí falo para eles que é regravação de música da minha adolescência!!! Agora fico sabendo que uma das músicas que mais amo do Fagner não saiu da cabeça dele!!! Realmente, nada se cria; tudo se copia!!! ( sem desmerecer o talento de Fagner, claro) Bjs

    ResponderExcluir
  2. Enquanto português, residente em Lisboa, que há muitos anos vai seguindo o blogue fico sempre orgulhoso quando vejo a cultura do meu país ser acolhida e louvada no Brasil, ainda que por poucos. Florbela é um produto belíssimo, com um elenco primoroso sobre uma das maiores poetisas portuguesas. Pode ser que um dia os poucos brasileiros q admiram a cultura portuguesa se transformem em muitos...como nós somos pela cultura brasileira! Seria uma boa reciprocidade!

    ResponderExcluir