domingo, 4 de maio de 2014

BELGA PORÉM ITALIANO

Eu nunca tinha ouvido falar em Rocco Granata, e olha que o pop eurotrash é uma das minhas especialidades. Talvez porque esse cantor e acordionista italiano tenha se radicado na Bélgica, um país sem muita tradição em estrelas internacionais. Granata estourou em 1959 com uma canção chamada "Marina", que também dá o nome do filme que cobre sua infância e juventude. É quase que uma versão flamenga de "Dois Filhos Francisco": família imigrante que passa por mil dificuldades, até que o filho com talento para a música redime a todos. A diferença é que o pai de Rocco é contra sua carreira artística, mas também não quer que o filho vá trabalhar na mesma mina de carvão que ele. Essa tensão varia de intensidade ao longo do roteiro e dá uma certa incoerência à trama. Mais interessante é o racismo pouco velado que os morenos calabreses sofrem na loura região belga de Flandres. "Marina" começa bem, mas não mantém o pique ao longo de mais de duas horas. E me decepcionou um pouco, que fui ao cinema basicamente por causa do poster aí em cima.

3 comentários:

  1. Ahhh Tony, achou que iria ter sacanagem no filme né?! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. A Felicidade Custa Caro, Work Bitch!4 de maio de 2014 22:24

    Nusssss....a!! Isso q é poster de promoção, a mina c'as mãos nas family jewels, sem mais, tb esperava uma pootareeea nível Valeshxxxka e Catra num album de canções natalinas, SQN, rsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  3. Racismo na região flamenga? So eu sei... Nunca irei entender o pensamento dos flamons, Tony. Amo esses cantores trash. Acho que você deve conhecer a Laura Lynn, o Christoff, Wiily Sommers, enfim, uma turma boa...

    ResponderExcluir