sexta-feira, 18 de abril de 2014

GABO

Só li cinco livros de Gabriel García Márquez: "Cem Anos de Solidão", "Crônica de uma Morte Anunciada", "O Amor nos Tempos do Cólera", "Noticias de un Secuestro" (que me surpreendeu epla crítica feita às FARC, ainda mais vinda de um notório comunista) e "Memórias de Minhas Putas Tristes"(que eu detestei, por ser incrivelmente machista). Por isto não me tenho como profundo conhecedor de sua obra, e quer saber? Sou mais team Vargas Llosa. Mas é claro que Gabo era maravilhoso. O impacto de "Cem Anos..."é sentido até hoje, quase meio século depois de sua publicação, e é uma dos obras chave quem quiser ter noção do que é a América Latina. O cara teve todas as homenagens possíveis em vida, então só nos resta uma coisa a lamentar: não teremos mais livros novos dele.

3 comentários:

  1. Fui visitar sua casa em Cartagena mais por curiosidade, nunca fui muito fã se sua obra, ainda que reconheça sua importância...Beeeeem mais Vargas LLosa, meu escritor latino favorito, pelo texto (afiadíssimo) e pelas posições políticas (acertadas)...

    ResponderExcluir
  2. Prefiro os argentinos Cortázar e Sabato, mas jamais esquecerei como foi emocionante a leitura de "Crônica de uma Morte Anunciada". Penso que este livro foi a obra-prima do autor: simplesmente perfeito.

    ResponderExcluir
  3. Bicha Reclamona Leitora do B.log18 de abril de 2014 21:16

    Tão triste - mais até que as putas de um dos títulos da obra de Garcia Márquez - é perceber como se lê pouco e se lê mal no Brasil, dada quantidade pífia de comentários aqui, coisa que não se vê quando vc ousa falar sobre petistas nojentos que desviam verbas, Lady Gaga ou Madonna. Sério-grave-tudo-de-ruim porque daqui a pouco esses top commenters são o 'futuro' do país.

    ResponderExcluir