quarta-feira, 12 de março de 2014

O VELHO E O MAR

Estava muito curioso para ver "Até o Fim". Robert Redford faz um personagem sem nome que veleja sozinho pelo oceano Índico; um container abalroa seu barco e daí para a frente os desastres vão se acumulando. Só faltou um tigre pular para dentro do bote salva-vidas. Não há diálogos, só uma carta lida em off logo no começo e algumas exclamações como "God" ou "fuck". Mas eu confesso que me senti meio ludibriado. Não posso falar mais nada para não soltar um spoiler: só que Redford está soberbo, e ainda bonitaço aos 77 anos de idade. Aliás, é impressionante o trabalho tanto dele como ator como do pessoal da maquiagem., pois é visível o envelhecimento do personagem ao longo dos oito dias que dura a história. O filme de J. C. Chandor é virtuoso, mas não há acrobacias de câmera à la Alfonso Cuarón nem um visual deslumbrante como o de "As Aventuras de Pi" (aqui o céu está quase sempre cinzento). "Até o Fim" é quase um sofrimento de se assistir, mas quem gostar de filmes fora da curva não deve perder. Ou melhor, deve correr: com uma mísera indicação ao Oscar (de edição de som) e tema árduo, não vai ficar muito tempo em cartaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário