segunda-feira, 24 de março de 2014

MISÓGINO MAS NEM TANTO

Lars von Trier se redimiu. O diretor dinamarquês, famoso por humilhar e torturar suas heroínas, revela um inesperado flanco feminista no final de "Ninfomaníaca - vol. 2". Claro que antes ele submete Charlotte Gainsbourg a todo tipo de depravação. Há uma cena hilária dela com dois negões de pau duro e várias sequências de sadomasoquismo com Jamie Bell que parecem querer pré-esvaziar "50 Tons de Cinzas". Sim, dessa vez há o humor que faltava no primeiro filme. Também há um surpreendente (para von Trier) discurso pró-sexualidade feminina, além de um desfecho abrupto porém coerente com o que foi dito antes. No geral, este volume 2 é mais agitado e menos cabeça que seu antecessor. Mas fico com a sensação de que os dois filmes poderiam ter sido reunidos num só, com duas horas de duração. Aí sim teríamos um candidato a melhores do ano.

4 comentários:

  1. Shirley Rose (Petista Convicta)24 de março de 2014 12:01

    Acho q o Lars entendeu a voz feminista da Dilma, q recentemente disse q tds as mulheres podem ser o q elas quiserem.

    ResponderExcluir
  2. Achei o final megatosco, mas bem coerente.

    ResponderExcluir
  3. O filme é todo auto-referente.. O final é a referencia a Dogville. O filme no fim é, como foi dito numa critica do Monde, algo sofre uma ninfa e sobre um manico, cujas historias sao ligadas por uma vulva representada pelo parentese :pp

    ResponderExcluir