domingo, 2 de março de 2014

A CORRIDA DO OURO

Quem vai ganhar o Oscar? São tantos os sites e revistas fazendo previsões que, quando chega o dia - HOOOJEEEE - quase não há mais surpresas nem suspense. Mas este ano nem todos os nomes já estão gravados nas plaquinhas. Há uma corrida para valer na categoria principal, e reviravoltas podem acontecer em algumas. Meus palpites coincidem quase todos com os da "Entertainment Weekly", mas não foi só lá que eu me baseei. Já vi todos os concorrentes nas oito categorias principais, então posso dar minha balizada opinião temperada com os 38 anos em que acompanho de perto a competição. Então lá vai:

MELHOR FILME - "Gravidade" ou "12 Anos de Escravidão". O primeiro inova na forma, o segundo no conteúdo. "Gravidade" é um prodígio técnico e um programa divertidíssmo. "Escravidão" é uma porrada no estômago, com inegável importância política. Antigamente os Oscars sempre preferiram os filmes "com mensagem" (como "Gandhi") no lugar dos mais escapistas (como "E.T."). Mas o mundo mudou, a Academia rejuvenesceu e os filmes-pipoca nunca foram tão prestigiados. Fora que "Gravidade" é um megahit em escala global, o que ajuda na audiência da cerimônia na TV. É a minha aposta, mas sem muita convicção.

MELHOR DIRETOR - Essa é mole: Alfonso Cuarón, por "Gravidade". Mesmo que "Escravidão" leve a estatueta por melhor filme, esta aqui é do diretor mexicano que deslumbrou o mundo. Não há a menor possibilidade de zebra.

MELHOR ATOR - Por um momento achei que ia dar Leonardo Di Caprio, tanto pelo conjunto da obra como por sua performance excepcional em "O Lobo de Wall Street". Mas aí vi "Clube de Compradores Dallas" (faltou um "de" aí no título, tradutor brasileiro!) e me rendi a Matthew McConnaughey. Como quase todo mundo, nunca dei nada pelo marido da Camila Alves, mas mudei de ideia.

MELHOR ATRIZ - Cate Blanchett por "Blue Jasmine". Nem o ressurgimento do escândalo Woody Allen / Mia Farrow prejudicou as chances da deusa australiana. Amy Adams corre em segundo lááá atrás, mas ainda não vai ser desta vez.

MELHOR ATOR COADJUVANTE - Jared Leto por "Clube de Compras Dallas". Michael Fassbender também está primoroso em "12 Anos de Escravidão" e tem carreira mais sólida, mas a atuação do ex de Katy Perry é de apertar a garganta.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE - Se a Academia tivesse seguido meu conselho e premiado ano passado quem realmente merecia (Emmanuelle Riva por "Amour"), este ano estariam livres para dar um Oscar para Jennifer Lawrence. Mas uma menina de 23 anos vencendo em dois anos seguidos é impensável. Por isto, esta categoria deve mesmo agraciar Lupita Nyong'o, uma revelação e, desde já, a rainha do tapete vermelho. A mulher mais bela de 2014.

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL - Acho que meus colegas irão honrar a verdadeira originalidade e premiar "Ela". Não tombei de amores pelo filme, mas não dá para negar que é uma ideia sensacional com diálogos impecáveis.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO - Um obscuro diário publicado no século 19 serviu de base para "12 Anos de Escravidão", que deve faturar esta categoria.

MELHOR FILME ESTRANGEIRO - Estou orando pelo meu queridíssimo "A Grande Beleza", que ganhou o BAFTA e o Globo de Ouro e ainda lidera as apostas dos especialistas. Às vezes os velhinhos acadêmicos preferem historinhas com começo, meio e fim, o que pode favorecer o bom dinamarquês "A Caça". Mas ainda acho que a Itália vai aumentar seu recorde nesta categoria.

E o que mais? "Gravidade" deve engolir todas as categorias técnicas: edição, fotografia, efeitos especiais, edição de som e mixagem de som (ah, e uma artística, trilha sonora). "O Grande Gatsby" periga levar figurino e direção de arte, mas sei não. Melhor documentário vai para "The Art of Killing", que recria os massacres da Indonésia nos anos 60 - se bem que "20 Feet from Stardom", sobre as backing vocals de cantores famosos, é um concorrente de respeito. Mickey Mouse pode ganhar seu primeiro troféu em mais de 50 anos por "Get a Horse", que mistura seu desenho antigo com a técnica do 3D e foi exibido antes de "Frozen", provável vencedor em canção e longa de animação. Já para os curtas-metragens só há um jeito de prever: no chute. Que vençam os melhores.

7 comentários:

  1. Achei mesmo que o melhor filme ia pra "12 anos..." e diretor, Alfonso-y-tu-mama-tambien
    A academia NUNCA dá as estatuetas de melhor filme e diretor pro mesmo filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Historicamente, a maioria dos prêmios de filme e direção vão para o mesmo filme.

      Excluir
    2. Eu puxei de cabeça, posso estar enganado. Mas acho que nos últimos 20 anos isso não aconteceu mais (ou pelo menos frequentemente).

      Excluir
  2. Lupita Nyong'o é linda demais, parece uma escultura! Qualquer mulher que pose ao lado dela fica sem graça, mesmo a Cate Blanchett.

    ResponderExcluir
  3. Quase tudo na mosca, certo? Mas o Matthew, bem, para mim ele já era um dos melhores há algum tempo... Magic Mike, por exemplo, mostra um cara em forma -- ele tem aquela capacidade de se transformar fisicamente, o que eles valorizam -- e com vontade de ser o melhor -- o que consegue.

    ResponderExcluir
  4. Gostei mesmo de assistir ao Oscar quase não consegui ver, pois nos sites que diziam que iriam transmitir só tapete vermelho e depois interromperam, consegui pois em um blog do R7 tinha o pessoal comentando e ai me passaram um endereço americano e aí consegui ver, pois a contar pelo site e por aqui teria perdido, pois a reprise a tarde foi um lixo parecia programa de moda um saco!!!! E gostei dos resultados e a parte mais emocionante In Memorian lindo demais, alguns eu nem sabia que tinham partido, lamentável mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Ok! Ou você entende muito de cinema, ou a academia é muito previsível. Risos

    ResponderExcluir