sábado, 15 de fevereiro de 2014

VIRANDO A PAGE

Agora que a Ellen Page saiu do armário, eu estou batendo a mão na testa: como é que eu não percebi antes? A atriz de "Juno" tem aquele jeito de sapatinha fofa de muitas amigas minhas. Fico feliz pelas jovens bolachas, que agora têm mais um role model em quem se espelhar. Ou melhor, fico feliz por todo mundo.

21 comentários:

  1. Respostas
    1. Em qual mundo a joaninha vive ou melhor isso é uma questão de cultura geral. Ela estudou muito gramática e descuidou do pajubá.

      Excluir
    2. "Ela estudou muito gramática e descuidou do pajubá." SIIIM, porque não basta ser gay, tem que ser um gay culturalmente massificado. Tem que treinar o pajubá! E a diversidade que a gente deveria estar pregando, vai pro ralo? Sou totalmente contra essa imposição de uma chamada "cultura gay".

      Excluir
    3. Por favor, o que é pajubá?

      Excluir
    4. Da Wikipedia:

      "Pajubá é uma linguagem popular construída de palavras de vários dialetos africanos misturadas com palavras em português, usada pelas travestis e povo do santo.

      A linguagem é baseada em várias línguas africanas umbundo, kimbundo, kikongo, nagô, egbá, ewe, fon e yoruba, usada inicialmente em terreiros de candomblé e posteriormente por comunidades LGBT ou LGBTTTs.

      Tanto no candomblé como na comunidade LGBT, a palavra pajubá ou bajubá tem o significado de fofoca, novidade, notícia, referente à outras casas ou fato ocorrido (tanto de coisas boas, como de coisas ruins) nesses círculos.

      Muitas vezes também dita como "falar na língua do santo" ou "enrolar a língua", muito usado pelo povo do santo quando se quer dizer alguma coisa para que outras pessoas não entendam."

      (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pajub%C3%A)

      Termos como "neca" (pau), "edi" (cu) e "picumã" (cabelo) são pajubá.

      Mas a palavra "bolacha", no sentido de lésbica, não é - apesar de ser uma gíria corrente em alguns meios gays.

      Excluir
    5. Desculpa gente, mas sou um carioca jovem que não tem contato com a expressão "jovem bolacha". Como vcs sabem, o regionalismo é um dos maiores tesouros de um país grande como o nosso. Não tem essa expressão aqui, até onde sei. Bjssss

      Excluir
    6. A Felicidade Custa Caro, Work Bitch!17 de fevereiro de 2014 20:07

      Huahahahahahah... Chorei diamante e ametistas, João meu lindo vc não saber algo, isso é inconcebível, huahahahahah...

      Excluir
  2. Aí os jovens galãzinhos q namoraram a moça entra em suspeita de "amigo gay pra disfarçar a mídia"

    ResponderExcluir
  3. Mas gente, eu sempre soube!

    ResponderExcluir
  4. Porra Tony! Até eu que tenho um gaydar péssimo, desconfiava dela. Naquele filme A Origem, numa cena em que ela caminhava, não tive dúvidas! rsrs

    ResponderExcluir
  5. Demais o discurso dela! Simplesmente lindo, dá para ver o quanto ela está nervosa, torcendo os dedos, as mãos.

    tony, veja este grupo gay libanês:
    http://elpais.com/elpais/2014/02/14/planeta_futuro/1392389914_575070.html

    ResponderExcluir
  6. Alguém aí assistiu Meninamá.com, o filme que ela fez antes de Juno? Na época eu já fiquei impressionado com o talento dela e agora essa admiração se multiplicou. Ela faz uma ninfetinha que leva um marmanjo à loucura. Grande atriz!

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha ouvido falar desta atriz. É engraçado que a mídia só cita os nomes desses artistas quando assume algo ou quando morrem.

    ResponderExcluir
  8. Quedê post sobre "Her"?

    ResponderExcluir
  9. O mio babbino caro,
    Além de ser uma bicha burra e alienada agora também tenho defeito no gaydar!
    Ha Ha Ha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anastasia Beaverhousen16 de fevereiro de 2014 18:46

      Talvez vc seja como eu. Meu gaydar não funciona com rachas.

      Excluir
  10. Jovem, talentosa, bonita, sexy, bem sucedida, hollywoodiana, nominada para o Oscar e, como se não bastasse, séria e responsável. Essa menina ainda vai acabar Primeira Ministra do Canadá [a rainha da Inglaterra que se cuide!]
    O discurso dela, nem se fosse um filme com ótimos roteiro e diretor, sairia mais emocionante.

    ResponderExcluir