segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

ELA, EU VIVO O TEMPO TODO PRA ELA

Mulher é tudo igual. Preta, branca, amarela, virtual. O que elas querem mesmo é falar e falar e falar e falar. E discutir a relação: "Ela", o filme de Spike Jonze indicado ao Oscar, é uma das mais longas DRs da história do cinema. A esta altura todo mundo já sabe que o protagonista se apaixona pelo sistema operacional de seu computador, que seria uma versão mais avançada do Siri da Apple. Existe uma longa tradição na ficção científica de inteligências artificiais que passam a se comportar como humanos, desde o computador Hal de "2001: uma Odisseia no Espaço". Em "Ela" este ghost in the machine ganha a voz esfumaçada de Scarlett Johansson - um acréscimo de última hora, substituindo todas as falas já gravadas pela atriz inglesa Samantha Morton. A princípio ela parece a namorada ideal: ri de todas as piadas do solitário redator vivido por Joaquin Phoenix, que vive de escrever cartas de amor manuscritas (num computador, por comando de voz) para clientes que não conhece pessoalmente. A trama se passa num futuro próximo, quando se relacionar com alguém será ainda mais difícil do que hoje. Mas o filme não é bem uma crítica aos tempos modernos: é mais um comentário sobre a impossibilidade da relação perfeita com que sempre sonhamos. Não acho que "Ela" merecesse a indicação a melhor filme, mas sem dúvida de que é um projeto original (ou talvez nem tanto - Jonze está sendo processado por dois roteiristas que o acusam de ter roubado suas ideias). E não é engraçado que um filme com um título tão feminino tenha um bigodudo no poster?

10 comentários:

  1. Tipo um "Electric dreams" sem a música do Moroder/Philip Oakey?

    ResponderExcluir
  2. Eu AMEI. E o que é Amy Adams?!

    ResponderExcluir
  3. Tony, eu acho que "Ela" merece a indicação a melhor filme, sim - aquela mediocridade de "Trapaça" é que não merece (aliás, só gostei da trilha e do Bale).

    ResponderExcluir
  4. não vi ainda, não posso opinar. mas achei o poster lindo... sei lá pq ;)

    ResponderExcluir
  5. Achei o filme excelente, um dos 3 melhores do ano, ao lado de 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO e GRAVIDADE.

    ResponderExcluir
  6. Tom Selleck's Briefs18 de fevereiro de 2014 22:18

    BIGODES ME ATIÇAM TB, AI UM LINDO DESSE ME OLHANDO COM CARA DE CÃOZINHO QUE CAIU DA MUDANÇA, ME ENROSCAVA NELE QUE NEM SERPENTE, RSRSRS.

    ResponderExcluir
  7. Achei o filme surpreendente, a trilha sonora linda, o roteiro fantástico, eu adorei.

    ResponderExcluir
  8. Na minha humilde opinião, é o melhor filme entre os concorrentes. Calçado no ótimo roteiro, na incrivel trilha sonora, na fotografia encantadora e principalmente, na direção de arte, que nos leva a flutuar pelo ar alaranjado da cidade. Ainda tem Scarlett Jonhanson na melhor interpretação voice-over do cinema. PS: Trapaça não passa de uma trapaça.

    ResponderExcluir
  9. Sono eterno pra esse filme. É bobinho, é chatinho, é cansativo. Eu quase dormi assistindo. Electric Dreams sim é original e uma delícia de filme, que dá de 10 nesse filmeco e consegue ser mais atual mesmo após décadas de seu lançamento.

    ResponderExcluir