terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

ARIZONA NUNCA MAIS

O Legislativo do estado americano do Arizona aprovou uma lei que permite a discriminação a homossexuais fundamentada em princípios religiosos. Uma loja ou um restaurante poderiam recusar clientes gays se o proprietário julgar que sua fé condena a homossexualidade - como se o simples fato de servir um hamburguer a um casal de lésbicas fosse suficiente para condenar um garçom ao inferno. A lei soa razoável a ouvidos conservadores, mas não resiste a um escrutínio mais amplo. Então qualquer comerciante pode se negar a atender um cliente que não siga sua religião? Sim, porque o cristianismo considera que judeus e muçulmanos são infiéis, e assim por diante. E tem mais: como ter certeza de que o freguês é de fato gay? Vão ser instalados "gaydares" nas portas dos estabelecimentos? Uma lei estúpida como esta é um convite a uma enxurrada de processos judiciais, e tem o potencial de afastar empresas importantes do Arizona (que oferecem cada vez mais benefícios a seus empregados homossexuais). A Apple, que está construindo uma fábrica no estado já avisou à governadora Jan Brewer que é melhor ela usar seu poder de veto. Os dois senadores federais do Arizona (entre eles o republicano John McCain, derrotado por Obama em 2008) se pronunciaram contra a lei. Três dos senadores estaduais que votaram por ela já viraram a casaca. Enquanto isto, o Human Rights Council distribui entre os simpatizantes o selo que ilustra este post, com a bandeira do estado e os dizeres "aberto para negócios com todo mundo". Brewer tem até sábado para vetar esse despautério, e vamos torcer para que ela faça a coisa certa. Inclusive porque há outros estados em vias de aprovar leis semelhantes Que lhes sirva de exemplo.

4 comentários:

  1. Será por causa da mentalidade de parte do povo do estado é que o Steven Segal está pensando em se tornar governador de lá? Quanta babaquice estes americanos gostam de criar, quando pensamos que finalmente tudo começa a melhorar, nos deparamos com isso. Mas não acho que caso fosse aprovada vingaria por muito tempo. A Suprema Corte provavelmente iria intervir, afinal ela está mais friendly do que nunca.

    ResponderExcluir
  2. Tony, olha quanta finesse.
    http://miranortevip.blogspot.com.br/2014/02/socyalite-karla-lima-comemora.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha.... só pode ser gozação.

      Excluir
  3. sei lá... não sei nem o q dizer de uma notícia assim

    ResponderExcluir