segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

ANNE FRANK PARA OS FRACOS

Os filmes sobre a 2a. Guerra Mundial estão perdendo prestígio. Antigamente eram ímãs de prêmios e aplausos. Agora, um projeto badalado como "Caçadores de Obras-Primas" tem sua estreia adiada em dois meses, perdendo toda a chamada "temporada do tapete vermelho" em Hollywood e ganhando um pau da crítica especializada. Já a a adaptação para o cinema de "A Menina que Roubava Livros", tremendo best-seller munidal, foi indicada só para o Oscar de melhor trilha sonora, e não merecia nem isso. A música de John Williams é melosa como sempre, mas este é o menor dos problemas do filme. A trama parece uma versão sanitizada do "Diário de Anne Frank", só que dessa vez a heroína é uma garota alemã e a violência acontece quase toda bem longe das câmeras. A atriz canadense Sophie Nélisse, que na época das filmagens tinhas 12 anos de idade, convence plenamente tanto como criancinha quanto como adolescente, e os veteranos Geoffrey Rush e Emily Watson mandam bem como sempre. Mas uma fofura descabida permeia toda a história, inclusive na voz do narrador - ninguém menos que a própria Morte. Não li o livro, mas o que vi na tela me pareceu mais autoajuda do que um relato contundente sobre os horrores do nazismo (suspiro).

7 comentários:

  1. Bom, mas o livro é meio q isso msmo. E nem nele a violência e o horror são mostrados - sempre se fala sobre eles, mas nunca aparecem. Achei bem medio, nunca entendi pq fez tanto sucesso, acredito q seja pelo final, q realmente é muito bom e corajoso. De qualquer forma o q achei bom no livre, e q n vi no filme, é a forma como ele retratava a deterioração do dia a dia da cidadão alemão médio a medida q o país perdia a guerra, até culminar no final.

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Mesmo porque né... aguardemos "12 Years a Slave" (suspiro).

    ResponderExcluir
  3. Li o livro. E realmente é bom como livro. Só não acho que deveria ter sido adaptado para o cinema, pois é um filme com um apelo muito mais interno. Ou seja, os acontecimentos são apenas um plano de fundo para os pensamentos da personagem principal. Não assisti o filme, mas o imagino como algo bem superficial

    ResponderExcluir
  4. achei fiel ao livro (q é bem marromenos). existem formas e formas de se contar uma história, essa foi uma delas. achei o filme ok e a direção de arte um desbunde. ENo geral gostei, mesmo sabendo que a maioria acha que filmar sobre o holocausto sem mostrar alguém sendo assassinado a sangue frio na cabeça com miolos no chão, é um desfavor a humanidade.

    ResponderExcluir
  5. Esse foi o post menos esclarecedor que li neste blog.

    ResponderExcluir
  6. ah eu gostei. tou numa fase meio q precisando de filmes fofos, internos (como falou o anonimo ai em cima.) a atriz é mt carismatica.

    ResponderExcluir