sábado, 25 de janeiro de 2014

FINÍSSIMA VENGANZA

O apresentador e escritor peruano Jaime Bayly sempre encheu seus livros de detalhes autobiográficos: a bissexualidade, o uso de cocaína, o casamento desfeito onde teve duas filhas. E acabou influenciando o estilo literário de seu namorado de oito anos: o jornalista argentino Luis Corbacho lançou em 2005 "Mi Amado Mr. B.", onde praticamente só trocava os nomes de sua própria história de amor. Reencontrei Luis no Rio no final do ano passado e ele me presenteou com a aguardada continuação, "Morir Maquillado". Que é nada menos do que uma fantasia mórbida - e divertidíssima - sobre o tumultuado final de sua relação com o ex, que o trocou por outra mulher (e com quem já teve outra filha). O livro talvez tenha destruído qualquer pretensão política que Bayly ainda tinha, pois o primeiro capítulo já mostra seu personagem de quatro implorando para ser enrabado. Daí para a frente a coisa só melhora, com direito a um final sangrento e quase lírico. Seria só a chorumela de um rejeitado se não fosse também muito engraçado (um dia de desespero é abrilhantado por uma visita ao duty free para comprar cremes da Victoria's Secret). Bichas finas que leiam espanhol no se lo pueden perder.

4 comentários:

  1. Eu vi uma entrevista a Jaime Bayly num dia destes que estava no Peru e ele mesmo contou, com a mesma cara de pau de sempre, que obviamente gostava de ser enrabado. Morreu de rir, ademais. Eu acho que as pretensões políticas dele para ser presidente do Peru nao morreram ainda. No Peru, além do mais, pode acontecer qualquer coisa.

    ResponderExcluir