quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

A MULHER INFLUENCIÁVEL

Qualquer pessoa com mais de meia hora de experiência amorosa sabe que quase não existem pessoas que não se deve namorar: o que existe são pessoas que você não deve namorar. Por isto que é surpreendente a atitude da personagem principal de "À Procura do Amor" (eita título imbecil). A massagista vivida por Julie Louis-Dreyfus é uma quarentona divorciada que, no entanto, age como uma adolescente ao se deixar influenciar por uma cliente. Ela descobre que o cara com quem está saindo no momento é o ex-marido da fulana, que não para de falar mal do coitado um minuto - e assim coloca em risco sua chance de se dar bem aos 30 minutos do segundo tempo. O correto seria abrir logo o jogo, mas aí não haveria filme. Ela não abre, e o resultado é um filme marromeno. O que é uma pena, pois começa muito bem, com diálogos críveis e situações com que a galera da minha idade se identifica. Vale para conferir uma das últimas interpretações de James Gandolfini, que morreu em julho passado 51 anos de idade. O cara está cotado para o Oscar de coadjuvante: a morte até que fez bem para sua carreira.

2 comentários:

  1. Anonimée avec personnalité12 de dezembro de 2013 19:50

    Esse Gandolfini hein que ursão-magia!! R.I.P. Como assim morte até que fez bem para sua carreira? Tadinho..... Jah cantou o Rei da Chatice: De que vale tudo isso se vc não está aqui, de que vale tudo isso se vc não está aqui.........

    ResponderExcluir
  2. Assisti hoje. Não sei o que foi pior. O final é um horror. A tradução do nome do filme foi um erro.

    ResponderExcluir