domingo, 13 de outubro de 2013

EU ODEIO O ESPAÇO

Graças aos avanços tecnológicos, agora todo ano temos pelo menos um filme prodigioso que merece ser visto na sala mais megablaster possível. Em 2012 foi "As Aventuras de Pi"; agora é a vez de "Gravidade", que é mesmo toda essa maravilha que andam dizendo por aí. Acho que o Oscar de melhor direção já está no papo do diretor mexicano Alfonso Cuarón - ainda mais porque ele merecia ter sido indicado pelo fenomenal "Children of Men" (além de ter feito um dos meus filmes favoritos ever, "Y Tu Mamá También"). Sandra Bullock também deve ficar entre as finalistas, pois está incrível num registro dramático bem distante de suas habituais comédis românticas. É quase uma performance solo: o papel de George Clooney é inifinitamente menor e, mesmo de escafandro espacial, ele faz basicamente o George Clooney que tanto amamos. Do incrível take de abertura (12 minutos sem cortes!!) ao final que justifica o título, tudo funciona bem em "Gravidade". É o estado-da-arte de Hollywood, ainda capaz de nos supreender e de nos levar a lugares que ainda não fomos. Tanta técnica valeria pouco sem uma porrada emocional, mas fica tranquilo que ela vem. A protagonista pode ter dito a frase que dá nome a este post, mas eu adoro uma viagenzinha pelo cosmos.

19 comentários:

  1. E ele também dirigiu o melhor de todos os filmes da saga Harry Potter. Na época achei a escolha do diretor de "Y tu mama también" muito bizarra pra um filme infanto-juvenil. Mas ele soube amadurecer a história.

    ResponderExcluir
  2. Que bom ainda ser surpreendido no cinema; a safra recente de filmes é tão morna! Quem é cinéfilo de verdade tem um banquete nas telas, muito bom o filme.

    ResponderExcluir
  3. Também ODEIO o espaço, e descobri vendo esse filme. Normalmente eu finjo que não é comigo, mas dessa vez foi impossível. Detesto suspense, detestava Sandra Bullock e a sessão foi torturante, mas ainda assim (ou por tudo isso) tenho que reconhecer que é o filme do ano, e um dos melhores que eu vou ver em toda a minha vida. Espero que no Oscar tenha o reconhecimento que merece. Entre a crítica, já está tendo: http://www.rottentomatoes.com/m/gravity_2013/

    E As Aventuras de Pi foi uma grande decepção pra mim. Até hoje não entendi o hype em torno...

    ResponderExcluir
  4. Não vou assistir, está decidido. O Giovanni tb odeia, oh my, isso vai reverter a órbita dos planetas...

    ResponderExcluir
  5. Será que tem algum spoiler nesse texto, Tony? rsrs Pergunta sincera! Quero muito ver esse filme e quanto menos souber mehor

    ResponderExcluir
  6. E aí, eles morrem no final?

    ResponderExcluir
  7. Eu criei muitas expectativas e, pasmem, fui atendido em todas. "Gravidade" é não só de uma perfeição ténica, como também de momentos em que é impossível segurar as lágrimas. Muitas metáforas, muita poesia.
    Com certeza, melhor papel de Sandra Bullock. Ela mostra um amadurecimento como atriz. Não é qualquer um que consegue levar o filme todo, emocionar e fazer rir. Seria uma tremenda injustiça não estar entre as finalistas do Oscar.
    Alfonso Cuarón nos entrega um filme que no futuro será chamado de "clássico". "Gravidade" é mais que um filme. É uma experiência.
    (E quem não viu, vá no IMAX mais fodástico perto de você. Vale o ingresso)

    ResponderExcluir
  8. Assisti no JK assim como o PI. D+ mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Das melhores coisas que eu vou ver no cinema em muitos anos, certeza! Cuaron entrou de sola na minha lista de diretores favoritos da vida!

    ResponderExcluir
  10. Fui ver e realmente é muito bom, sem falar q o 3D fez bastante diferença. Curioso q a história é bem simples mas talvez esse seja o grande lance. Só ñ entendi pq o cabelo da Bullock também ñ fica em pé na gravidade.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei sem ar aqui, cenário e efeitos são demais!!!! Vale apena mesmo ver sim!!!

    ResponderExcluir
  12. Eu assisti hoje e achei ótimo. Estavam falando muito desse filme, mais bem do que mal e decidi vê-lo no cinema mesmo, pois os efeitos correspondem as melhores partes e não teria possibilidade de prestigiá-los depois em DVD. Alguns disseram que o filme é parado e cansativo, mas achei que o tempo passou até que rápido e se isso aconteceu é porque foi bom rs. Curti do início ao fim. Mas o melhor era poder ter visto numa sala IMAX, aí seria sensacional.

    ResponderExcluir
  13. Putz, se esse é o filme do ano, Houston we have a problem...Sim, as imagens são espetaculares, mas a história...Típico Hollywood blockbuster, simplória ao extremo...Não é meu tipo de filme, de qualquer maneira, agora resta esperar o próximo Woody Allen, que sempre tem algo a dizer...E quanto ao 3D, que volte aos parques de diversão, definitivamente essa não é a melhor maneira de se contar uma história...

    ResponderExcluir
  14. pessoas, vcs odeia o espaço, mas estamos **nele**, o planeta Terra não é um local isolado ou alheio do "espaço" ....nós somos seres *do espaço* também ....fikdik

    ResponderExcluir
  15. o filme é bem feitinho, mas quem teve a ideia de por a Cher como protagonista?

    ResponderExcluir
  16. e o q eu faço com minha agonia de ficar solto no espaço. n vou por isso, n vou, pronto. n vou já disse. não voooooouuuuuu.

    ResponderExcluir
  17. Só fiquei meio decepcionado pois faltou um jacaré aparecer e comer a perna dela no lago. Aí sim ganharia meu amor e respeito.

    ResponderExcluir
  18. Quem destruiu o rosto da Sandra Bullock? Ela parece Glória Menezes. A direção e os "efeitos especias XD 3D" são dez. A história da morte da filha é de uma bobagem sem tamanho. Torci cada segundo para um satélite acertá-la. George Clooney envelhece dignamente. Roteiro mequetrefe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, em alguns momentos ficava difícil saber que emoção ela queria transmitir, o esforço que ela faz para tentar chorar na cena em que as lágrimas voam e o botox não deixando ela mexer quase nada... A história da filha é totalmente desnecessária, fora isso o filme é lindo.

      Excluir