segunda-feira, 26 de agosto de 2013

VULGAR SEM SER SEXY



De uns anos para cá, todo ano é a mesma coisa: será que os VMAs vão produzir pelo menos um momentinho memorável, ou continuarão sua descida inexorável rumo à mais absoluta irrelevância? Os culpados são muitos. Desde a antiguidade do formato - que não passa de uma versão cheirada da entrega dos Oscars - até a desolação do cenário pop atual, dominado por boy bands inofensivas e cantorinhas teen egressas de programas da Disney. Mas de vez em quando alguma coisa incrível ainda acontece, mesmo que totalmente fora do script - como Kanye West arrancando o troféu das mãos de Taylor Swift na edição de 2009. 

A versão 2013 prometia um duelo épico entre a Emilinha e a Marlene do momento, vulgo Lady Gaga e Katy Perry, alçadas à condição de inimigas mortais por uma mídia sedenta de sangue e assunto. Mas o embate não aconteceu, e as duas nem mesmo apareceram sentadas lado a lado como chegou a ser anunciado. Seus números - respectivamente "Applause", que abriu a noite, e "Roar", que a fechou - foram corretos, legaizinhos, mas sem nada de mais. Gaga, especialmente, já protagonizou performances muito mais impressionantes em carnavais passados.
Pelo menos elas não estrelaram um desastre espetacular como o de Miley Cyrus. Não me lembro de alguém tão desesperada para parecer sexy desde que Christina Aguilera se lambuzou de estrume na época de "Dirrty". A ex-Hanna Montana mostrou uma bunda tão murcha que deve ter convencido legiões de rapazinhos ainda na dúvida a aderir em massa ao homossexualismo.
Pode até ser que a apresentação de Miley entre para a história, mas pelas razões erradas. Pelas certas,  ninguém superou o profissionalismo de Justin Timberlake, que resumiu quase vinte anos de carreira em quinze minutos de cair o queixo. Só faltou um instante uau,  tipo um beijo entre Madonna e Britney. Aquele lance de atrevimento que contaremos aos nossos netos. Nem mesmo a dupla Macklemore & Lewis, que levou dois prêmios pelo hino pró-casamento gay "Same Love", avançou muito na linha amarela. Mas valeu a intenção. Fica para o ano que vem.

36 comentários:

  1. Mas Christina Aguilera conseguia ser sexy hahahah e o clipe de dirrty é maravilhoso!

    ResponderExcluir
  2. A música POP está num momento chatérrimo, não tinha como ser um VMA memorável. Aliás a MTV é um formato obsoleto. O interesse das pessoas por vídeo clips é muito menor num mundo tão multimídia, menor ainda é o interesse em ver clips na TV. Ou a MTV atualiza seu formato e volta a ser relevante novamente ou some de vez.

    ResponderExcluir
  3. Acho que Miley conseguiu o que queria. Exorcizar Hannah Montana!

    ResponderExcluir
  4. A nova música da Miley, Wrecking Ball, é infinitamente melhor que We Can't Stop. A apresentação dela foi bizarra, fico pensando no que o papai dela achou disso tudo (era aniversário dele). Mas pelo menos ela chamou a atenção e todo mundo tá falando sobre. O single novo já é um dos mais vendidos do iTunes (o que não significa muito, já que a sistemática deles é bem duvidosa).

    Curti a apresentação da Lady Gaga, e a Katy Perry torrou 2 milhões pra fechar a ponte e fazer aquela apresentação absolutamente MEH. VMA são uma bosta há anos. Valeu tb pela força que a Gaga deu aos 1D, e por ela ter conseguido ser sexy sem ser vulgar, mesmo nua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Gaga sexy? Vulgar sempre, sexy nunca!

      Excluir
    2. kkkkkkk
      querido o tony se referiu a Miley.

      Excluir
    3. Jota Farr, querido, vá dar meia hora de cu e deixa a Gaga em paz.

      Excluir
    4. Respondi ao Lucas T , Carlos, mais atenção fofo! E como adoro provocar os shit monsters, opa, o little monsters anônimos.

      Excluir
  5. Miley roubou a noite!! O que ela tinha na língua? E na bunda? E a música totalmente uó? É muita derrota para um show só... épico!

    ResponderExcluir
  6. Gaga conseguiu cantar divinamente, dançar e fazer um espetáculo de difícil execução, porque tudo acontecia e tinha que dar certo durante o show. E deu. Ela nunca foi tão auto biográfica ao cantar sobre a necessidade de ser aplaudida, mas o complicado é alguém se identificar com a letra. Essa música é ela cantando sobre ela e para ela. Egotrip total. Por isso o público em geral está cada vez mais distante e com preguiça de Lady Gaga, embora ela esteja um pouco mais madura e sem a necessidade de causar tanto para ter audiência. De certa forma ela sabe que muitas pessoas cansaram dela, então desceu alguns tons, mas ao mesmo tempo que as pessoas criticam seus exageros também reclamam se ela faz algo que não seja inovador. Não tá fácil ser Lady Gaga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sério? eu gostei da performance da gaga mas achei que ela desafinou demais, não entendo nada disso mas não achei que ela cantou bem não.

      Excluir
    2. AnÔnimo, vocÊ falou certo, não entende muito bem. Gaga não desafinou, volte para o seu buraco!

      Excluir
    3. Garanto que o meu buraco é muito melhor que o seu, beijos!

      Excluir
    4. Anônimo, Gaga arrasou nos vocais, principalmente na introdução do show. Se aquilo é desafinar, póhan. É muito difícil cantar e dançar ao mesmo tempo, imagine então cantar, dançar e trocar de figurino várias vezes enquanto canta e dança. Ela fez isso e fez muito bem, com ajuda de uma base, mas cantando ao vivo a maior parte do tempo e brincando com os vocais em alguns momentos. 90% das cantoras pop que ousasse fazer 50% do que ela fez no palco optaria por 100% de playback, vide Madonna no Super Bowl e Britney em todos os VMAs. Lady Gaga de fato é uma artista completa. O problema, como citei no meu comentário anterior é a egotrip.

      Excluir
    5. Ricardo, liga não, é anônimo é um recalcado!

      Excluir
  7. Discordo de vc, desculpa. Achei esse VMA um dos melhores em anos, foi divertido, ágil, ótimas apresentações e bons artistas. Gaga fez uma apresentação bastante padronizada e técnica porém executou de forma perfeita. O problema é que 'applause' não ajuda, é uma música fraquinha para um primeiro single. A Katy foi ótima para o público dela, que é composto de adolescentes, meninas e gayz novinhos em sua grande parte. Justin eu acho um porre, mas reconheço seu talento. E apenas te corrigindo ele está bem longe dos 20 anos de carreira afinal, em 2001 ele ainda estava no N'Sync. A Miley tem a sorte de ser super jovem, de ter hitado 'we can't stop' (a música é ótima e a letra idem) e já estar começando a hitar 'werck', logo, a carreira dela tem tudo pra continuar dando certo. E tbm discordo com vc por acha-la vulgar. Uma que a proposta da apresentação era essa mesmo, uma vez que ela emendou um medley com o Robin Thicke e posou como uma de suas meninas do clipe durante a apresentação, e outra que soa tão machistinha quando uma mulher faz algo assim e vem todo mundo apontando o dedo na cara chamando de vulgar. Isso vc não pode, desse jeito é errado, mulheres não fazem isso... preguiça de quem tem essa mentalidade, desculpa. Até porque ninguém critica o Pitbull por se esfregar na J-lo emsuas apresentações e mesmo o Robin ontem se esfregando na Miley. A culpa e a 'puta' é sempre a mulher. :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justin Timberlake deve ter até mais do que vinte anos de carreira, porque começou no Mickey Mouse Club ao lado da Britney Spears e da Christina Aguilera, lembra?

      Excluir
    2. Claro que lembro. Mas o prêmio foi uma homenagem para a carreira solo dele, não foi destinada para o N'Sync e nem para a Disney. ;)

      Excluir
    3. Mas o número de quinze minutos cobriu toda a carreira, haja vista o revival do N'Sync.

      Excluir
  8. Eu ainda acho que fui o primeiro a dizer que a Miley parecia uma lagartixa, nossa prefiro ela cantando Best Both Worlds, Gaga não se superou mas tbm não causou, Kanye West passável, não teve inovação, aquele close no rosto dele ficou muito com cara da Gaga na abertura, outra coisa foi a Taylor Swift ganhando prêmios, as musicas dela são extremamente chatas e meu deus aquele vizu dela pavoroso, Daft Punk deveria ter animado o evento como DJ, a Miley deveria ter sido menos cachorra e ter raspado aquela cabeça meu deus que mau gosto. O que o figurino deste VMA não ira entrar pra historia, Red Carpet meu deus, isso mostrou que nem usando a santa Chanel, cafonice não é curada.
    Tava tao entediado que nem vi o resto, não me surpreendeu.

    ResponderExcluir
  9. A apreentação da hannah montana foi a mais divertida e ela parecia etar bem a vontade, sem pretensão.

    ResponderExcluir
  10. A cara de tédio/desinteresse da Rihanna resumiu tudo

    ResponderExcluir
  11. A miley cyrus foi fazer estágio com a ines brasil

    ResponderExcluir
  12. HOMOSSEXUALIDADE E NAO HOMOSSEXUALISMO, TONY JÁ CONVERSAMOS SOBRE ISSO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem gente que não capta ironia nem soba mira de uma arma.

      Excluir
  13. Só eu acho o JT supervalorizado? Não vejo nada demais nele.

    ResponderExcluir
  14. Eu acho que a intenção da Miley era justamente essa de parecer "freak" ao invés de sexy...

    Eu me dei ao trabalho de procurar umas imagens mais antigas dela... e ela já conseguiu ser sexy num momento "Lolita", com cabelão e posturas mais trabalhadas.

    E conseguiu o "buzz", né? Tá com a música tocando horrores, já vazou outra que ouriçou a galera... Na batalha entre Katy e Gaga(com uma Rihanna de folga), a Hannah Montana correu por fora e tá com jeito que vai levar a temporada...

    ResponderExcluir
  15. Eu ficava acordado até tarde para ver o VMA TODOS OS ANOS desde 1991 até 1998.

    Depois aconteceu isso aí que você falou de invasão de boy bands, bandas de 3 minutos, mais coreografia do que música e eu desisti.
    Se pegarmos os vencedores de todos os VMAs de 1984 para cá, veremos que os dos últimos 17 anos foram quase todos esquecidos iguais a ex-BBB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, como está Berlim, cidade dos punks e das DSTs?

      Excluir
  16. Agora que o Tony Goes percebeu que falar mal da Lady Gaga dá IBOPE ninguém o segura mais kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  17. Até agora só vi a apresentação da Miley e trechos da performance insossa do Justin, a qual me fez ter certeza de que JAMAIS entenderei o fascínio que ele exerce em alguns.

    Gostei da Miley, e concordo com o Marcos, "acho que a intenção era justamente parecer "freak" ao invés de sexy...". Tá ganhando território, alimentando sites de fofocas, atraindo curiosidade pra sua vida e carreira.

    Li a pouco na "Quem" (link veio do twitter, não me julguem, pfv rs), que Rick teria ficado decepcionado por ela ter ofuscado o número dele. Bobagem. Ele sabia da encenação, tanto que a seguiu em determinado momento, deixando que ela lhe fizesse a coreografia.

    Achei que sim, foi exagerado, mas continuo achando que proposital.

    ResponderExcluir
  18. Robin George Michael? Miley Cyrus? Justin Timberlake? Quando os gatos saem, os ratos fazem a festa!

    E namorar Miley Cyrus realmente é a prova mais extrema e comovente de heterossexualidade. Essa domina a arte de ser repulsiva. E a língua? http://static.funpic.hu/_files/pictures/original/28/73/27328.jpg

    ResponderExcluir
  19. sinto que este blog perderá seu importante foco [que é informar e inconformar, sobretudo politizar e orientar cabecinhas vazias e superficiais]

    - e gradualmente - se tornará uma arena onde os mais diversos fã clubes de 'cantoras' pop - virão instalar uma nova jeehad

    [como se o meio gls já não tivesse o número suficiente de sub-nichos e segregação]
    onde o fato de alguém apenas mencionar o nome das referidas 'performers' - será literalmente a eclosão da 3a. guerra mundial

    o texto poderia ser desenvolvido ad infinitum, mas o que foi dito acima já soa bom pra mim pelo menos

    ResponderExcluir