quarta-feira, 7 de agosto de 2013

TARTARUGAS E NINJAS

O Movimento Passe Livre é muuito dois meses atrás. A onda agora é o Mídia Ninja, que arrebentou na internet cobrindo as manifestações ao vivo e em cores, sem o filtro da "grande mídia". Dois de seus idealizadores (eles também não têm líderes) foram ao "Roda Viva" desta segunda-feira e provocaram um maremoto de comentários na internet, bem maior do que esse programa da TV Cultura costuma ter. Só vi uns trechos da entrevista e por isto ainda não me atrevo a emitir uma opinião, mas me divirto com a opinião dos outros. Tem gente que acha Pablo Capilé e Bruno Torturra absolutamente geniais, enquanto que os jornalistas veteranos da bancada seriam todos umas tartarugas antediluvianas (rialto quando alguém disse que o Mário Sérgio Conti não sabe até agora quem é esse tal de Meme). Outros tantos dizem que essa galera do Fora do Eixo não passa da antiga Libelu com smartphones na mão. O fato é que a Mídia Ninja não tem nada de equilibrada nem imparcial, e precisamos parar de achar que toda imprensa precisa ser assim. Não precisa e não é. Agora, goste-se ou não dos caras, é inegável que eles deram um show nos protestos de julho, reconhecido até pela "inimiga" Globo. E estão desempenhando um papel importantíssimo no caso Amarildo, um dos maiores escândalos de um ano já por demais escandadaloso. Não assino embaixo de tudo o que propõem, mas o Brasil fica melhor com eles.

26 comentários:

  1. Tony, gostaria muito de ver um artigo seu sobre o fenômeno "porta dos fundos"....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já escrevi várias vezes sobre o Porta dos Fundos.

      Aqui no blog:

      http://tonygoes.blogspot.com.br/2012/12/meus-programas-de-2012.html

      http://tonygoes.blogspot.com.br/2013/06/o-cacoete-golpista.html



      No F5:

      http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/1153401-o-melhor-programa-de-humor-do-momento-so-passa-na-internet.shtml

      http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/1271085-porta-dos-fundos-mostra-no-roda-viva-que-quem-esta-na-encruzilhada-nao-sao-eles.shtml

      Excluir
    2. educadíssimo o tony. do tipo: ai bixa burra, não venha querer me pautar!

      Excluir
  2. É sempre interessante analisar um novo olhar no jornalismo, não que seja um olhar melhor ou imparcial. É apenas um olhar diferente, sem vícios antigos, mais próximo do que acontece de fato, além de mais veloz e menos editado também. É interessante. Minha timeline do face tem alguns jornalistões que se sentem incomodados com os ninjas, parecem até o pessoal das antigas nos anos 90 resistentes em deixar de lado as máquinas de datilografia para usar computadores. Quanto mais reclamam, mais dinossauros parecem ser. Deveriam ficar na moita e aceitar que as coisam mudam e evoluem o tempo todo. Aceita que dói menos!

    ResponderExcluir
  3. Ninguém está pedindo uma mídia imparcial, os dois falaram isso na entrevista. O problema é quando um jornal não se assume como parcial. Realmente, quando certas informações são divulgadas por uma empresa jornalística, que não se pode esquecer que é uma organização que procura lucrar, o público que não é vacinado ao saber que tal veículo defende uma posição ou tem um histórico de posicionamento político, compra aquilo como verdade absoluta. Vide o caso do rombo de mais de R$ 500 milhões em contratos com a CPTM e o metrô pelo Governo de SP, inicialmente divulgado pela Folha, mas que não teve o respaldo da mídia, que só agora (no caso da Globo News pelo que pude ver)tem tocado no assunto, mas com dedos. Os protestos em SP contra o Governador tiveram essa situação como pano de fundo, mas só foi divulgada a manifestação pacífica versus vandalismo, que elimina uma compreensão maior do fato. Se fosse outro partido ao estar envolvido com algo desse porte, era primeira capa, como não é, fica por elas.

    ResponderExcluir
  4. Toca o enterro que eu já fui7 de agosto de 2013 16:20

    Sim tartarugas e ninjas mesmo, uma ficção que a gente sequer imaginava para o país: a de que houvessem jovens não-alienados por trás de seus FB. Algumas motivações soam pueris, tem sabor de chiclete, é o novo que aterroriza, que incomoda, que chega e tira a todos da inércia.

    ResponderExcluir
  5. MASTER RECALQUE DO GLOBO DETECTED NESTE ARTIGO (a começar pelo título que não é nem de longe o assuno principal do texto).
    http://moglobo.globo.com/integra.asp?txtUrl=/pais/ninjas-querem-verba-oficial-para-sobreviver-9343258

    ResponderExcluir
  6. O brasileiro tem ranço com partidarismos, acusa a Mídia Ninja de ser esquerdopata, mas a verdade é que os veículos deveriam ter posição sobre todos assuntos relevantes e de interesse público, como em outros países. Pau no cu desses "jornalistas" que pararam no tempo. Imagina o que seria dos protestos sem a Mídia Ninja? Tudo ia ser lindo e cor-de-rosa, do jeito que a grande mídia quer. Não existe jornalismo imparcial, mas existe jornalismo com o mínimo de ética, ou pelo menos ouvidos, olhos, senso crítico. A bancada do Roda Viva mostra bem no que a TV Cultura e o jornalismo no Brasil se transformaram, um bando de gente obsoleta que não tem mais lugar nos dias de hoje e fica se debatendo que nem moribundos, sem procurar entender o contexto, sem interesse, e cheia de preconceitos.

    ResponderExcluir
  7. Já estão circulando umas mensagens aí no Facebook dizendo que o pessoal do Fora do Eixo explora o trabalho alheio e que esse Capilé é um babaca. Claro que a existência deles ajuda com outro olhar, outro viés, mas, nos dias de hoje, convém não colocar a mão no fogo por ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessas horas, vão desencavar até as multas de trânsito que eles devem ter. Atacar a pessoa do interlocutor é o sinal maior de que seus argumentos se esgotaram.

      Excluir
    2. Na verdade, não foram esse tipo de "crítica" que vemos nos grandes veículos contra Joaquim Barbosa e outros. São textos escritos por gente em seus próprios perfis, com nome e fotos próprias, e que já fizeram parte do Fora do Eixo. Se você se interessar passo os links aqui e você julga por conta própria. Mas já aviso: são textos bem longos, bem diferentes do que a maioria das pessoas está acostumada a ler em redes sociais.

      Excluir
    3. Favor compartilhar, anônimo ninja. EU me interesso.

      Excluir
    4. Para começar, não sou anônimo, coloquei meu nome nos comentários: Antonio.
      Seguem aqui alguns links a respeito:
      http://lagringasudaca.com/post/57814963701/olhar-de-alguem-de-fora-no-fora-do-eixo
      Essas meninas escreveram também a respeito:
      https://www.facebook.com/beatriz.seigner
      https://www.facebook.com/lcbellini?directed_target_id=0

      Excluir
  8. Uma nova forma de jornalismo será sempre bem-vinda, porém no fundo não se diferenciaram da chamada "mídia tradicional" em pontos como parcialidade, financiamento e se o ativismo é ou não aceitável (como na polêmica sobre apoiar ou não o vandalismo do black bloc). E há outro ponto importante. A Mídia Ninja conseguiu a atenção da Globo porque a própria (e vários colegas da concorrência televisiva) foi impedida pelos manifestantes de trabalhar, impossibilitando a cobertura em setores mais esquentados da rua como na "divisa" entre manifestantes e polícia. Como disse o Antonio, convém não colocar a mão no fogo por ninguém.

    ResponderExcluir
  9. Veículos de imprensa que se compartam como partidos políticos é algo muito perigoso, não devemos achar isso normal e aceitar o paradigma que não existe jornalismo imparcial e equilibrado.

    ResponderExcluir
  10. A verdade qualquer um percebe, a Globo é na mídia televisionada o que a Veja é na mídia impressa, formadora de opinião? Não! Defensora de setores conservadores sabe-se lá por quais motivos... O surgimento da Mídia Ninja e similares incomoda e muito, porque é um novo tipo de jornalismo-denúncia que se avizinha, aquela que ocorre em tempo real sem dar tempo de pasteurizações e veto ou liberação deste o daquele editor de jornalismo que tem rabo preso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo comentário!

      Excluir
    2. Parabéns pelo comentário!

      O problema é que tem gente que ainda não entendeu que ser contra a Veja e outros veículos tradicionais não significa ser partidário do PSTU.

      Uma barbie que sempre posta aqui acha isso. Ou seja, malha muito, mas não malha muito o cérebro. Uma pena ver tanta gente assim no meio LGBT...

      Eu mesmo vou malhar daqui a pouco, mas não deixo de malhar o meu cérebro também!

      Excluir
  11. Rede Globo, UOL/Folha e Revista Veja agem como assessoria de imprensa do PSDB. Apenas tucanos e/ou anti-petistas conseguem ler ou assistir algo produzido por eles, no que se refera à política. O mais novo episódio é o escândalo do cartel de licitações para as obras do Metrô de SP. É impressionante como o destaque, o enfoque, o tom, a abordagem, TUDO é menor, mais sutil, mais brando que os outros escândalos políticos e sempre atrasado, noticiado apenas quando é inevitável, mas sempre correlacionado a um aspecto negativo do PT. Esse grupo age como porta-vozes do PSDB. Chega a ser ridículo. Não tem como levar a sério esse tipo de jornalismo, não pela questão da óbvia parcialidade e da tentativa de manipular a opinião pública para servir os seus próprios interesses, mas pela falta de credibilidade mesmo. Espero que novas mídias, como os ninjas tomem cada vez mais espaço e tornem esses grupos aquilo que eles merecem ser: Irrelevantes!

    ResponderExcluir
  12. Imprensa tem lado e opinião, mas o agente da imprensa não pode ser o agente da ação. O twitter deles mostra o planejamento das ocupações, dos confrontos, dos acertos com o MP, com a OAB, informa onde vai estar a tropa de advogados e etc. Nesta entrevista, diz que o Fora do Eixo é independente, mas admite ter recebido da Petrobras uma verba de 800.000 reais. Essa tal "vanguarda" da mídia me cheira a algo muito velho...

    ResponderExcluir
  13. Uma nova forma de fazer o que quer que seja sempre vai encontrar resistência da turma que está acostumada a fazer do jeito antigo. Vai chover de pessoas dizendo que você não pode fazer assim, apenas porque ninguém fez antes ou porque a maioria faz assado a muito tempo sem questionar, então logo, esse deve ser o único jeito permitido de fazer. Quando tomarem consciência do ridículo vão partir para outro tipo de ataque tentando desqualificar o jeito novo, supondo má intenção, teorias da conspiração, questionamentos sobre formas legais de conseguir VERBA PÚBLICA como se fossem roubo e por aí vai. Como disse um colega acima, quem não tem argumentos, ataca o argumentador. Não colocaria minha mão no fogo por ninguém, nem pela Mídia Ninja, mas mesmo que surjam argumentos convincentes que comprove que eles são desonestos, isso não invalida o novo método que foi utilizado por eles de fazer jornalismo.

    ResponderExcluir
  14. O fato de serem imprensa e agente da ação já invalida o método utilizado de se fazer jornalismo, ou não? Forma legal de conseguir verba pública? O fora do eixo não tem sequer cnpj, não paga salários e não respeitam direito autoral. Se isso é legal, só se for no seu planeta. E sua ligação com o Governo? Ah, sim, receber dinheiro público é um jeito muito novo de se fazer as coisas...Mas esquerdopatas só enxergam o que querem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então todos os cineastas e outros artistas que receberam patrocínio via Lei Rouanet estão à serviço do governo? Não, não mesmo. Muitos odeiam o PT inclusive. Dinheiro público não pertence ao governo. Sobre insinuações que não conheço prefiro não comentar, afinal todos são inocentes, até que se prove o contrário. Se existem irregularidades, que sejam denunciadas primeiramente, para depois serem apuradas até que se chegue a uma conclusão.

      Excluir
  15. Até parece que o jornalismo está escrito numa pedra e não pode ser repensado.

    ResponderExcluir
  16. esse Bruno, além de tudo, é um gato! qdo ele gagueja, me enterneço :)

    ResponderExcluir
  17. Fica bem claro que este povo da tar da midia mijona vai sobreviver se promoverem mais as arruaças e bardenas, nao me passa confianca nenhuma essa gente, tomo eles com uma boa pitada de sal.

    ResponderExcluir