quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O INIMIGO PÚBLICO No. 1

Alguém tem dúvida de que, se a Polícia Militar quisesse provar que VOCÊ cometeu um crime, iriam aparecer pistas, fotos e vídeos inatacáveis? Essa história do garoto que matou toda a família e a si mesmo está beyond esquisita. Há algumas evidências que apontam para o lado que a polícia quer: um amiguinho diz que Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini falava mesmo em matar os pais e depois fugir. Também há a diretora do colégio que afirmou que o menino sofria de uma doença degenrativa e talvez nem chegasse à idade adulta. Por outro lado, os parentes juram que ele era meigo, e há o fato da mãe, que também era policial, ter denunciado colegas. Só sei que este caso vem no momento mais impróprio possível para a própria PM, que tem sua própria existência questionada pela população. Tem que ver isso aê.

20 comentários:

  1. Eles tão tentando empurrar cada prova fajuta! Ausência de pólvora na cena do crime, posição da arma encontrada com o garoto (cêjura que a pessoa se mata e a arma para embaixo da barriga com o braço fechado para dentro?), precisão dos tiros, ninguém acordou com o barulho da arma, mesmo sendo os pais dois PMs treinados ... muitos furos nessa história.

    ResponderExcluir
  2. Quando o delegado leu o depoimento do amiguinho do guri, ele usou uma palavra que alguém de 13 anos dificilmente usaria. Mas peraí, ele estava lendo ipsis litteris ou os depoimentos são reescritos pra melhor entendimento? Essa história fede, e as polícias do Brasil fedem ainda mais. É fácil mesmo ser injustamente incriminado, só não vê quem não quer. Um guri do porte dele conseguir matar 4 (ou foram 5?) pessoas, sem luta, sem quebra-quebra? Na, na ni, na não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pegação aqui não meninas!

      Excluir
  3. Nossa, é uma das histórias mais mal contadas desde o caso Nardoni.

    ResponderExcluir
  4. Quem investiga crimes é a Policia Civil e não a PM. Cada uma tem atribuições bastante distintas e em geral competem entre si dentro da estrutura do Estado, sendo rivalidade antiga. Quem leva esse investigação adiante é o DHPP, órgão que não corre risco nenhum de sumir, nem prejuízo com desmilitarização da polícia, nem tem nada a ver com PM. Esse seu post está bem sem fundamento (ou melhor, tem um: teoria da conspiração).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu não digo quem tem razão (inclusive porque não sei).

      Excluir
  5. Junto com isso vem as 'provas' vindas dos EUA de que Isabela não foi esganada. Pois é, provas existem de todos os tipos, a gosto do freguês.

    ResponderExcluir
  6. Tony wear my shoes e vc entenderá, quem posta aqui é um professor, vou te dizer algo doído, mas cada vez mais real, esses pré-adolescentes de hoje não são tão romantizados como quer parecer a diretora da escola desse menino . O que acontece é que famílias não tem mais tempo para ser família. Acham que só comprar remédio e pagar escola cara resolve a culpa por não terem tempo de ser pai/mãe e filho... Meninos como esses são capazes disso sim e muito mais, já peguei crianças de 12 anos visitando sites de fabricação de bomba caseira na comodidade de seus celulares, outros baixam aplicativos capazes de furtar senhas via bluetooth, uma parcela alta ainda tem tempo ocioso suficiente para o combo internet ilimitada + simuladores e jogos de videogame que aterrorizariam até o pessoal do talibã... Esse garoto tinha todo tempo do mundo p/ isso e muito mais, tinha pouco ou nenhum amigo físico, seu contato com o mundo era virtual, seus pais sempre ocupados, pela circunstância de inércia dos familiares chacinados, todos foram mortos sim, enquanto dormiam e por alguem que conhecia bem a rotina das duas casas, hábitos noturnos etc ou seja exatamente por volta da hora em que o garoto chegou com o carro naquela rua. Já vimos esses filmes antes 'matou a família e ao cinema', 'matou a família e foi p/ o motel', 'matou a família e foi ao shopping', agora temos, infelizmente, a continuidade macabra com 'matou a família e foi p/ a escola', triste mas muito plausível. O fato é que quando o garoto chegou na escola já sabia que toda família estava morta e ainda assim comportou-se de forma natural, por acaso um psicopata tem faixa etária para começar a agir? A psicologia diz que não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O professor arrazzzaaando na pontuação.

      Excluir
    2. Conconrdo! O menino era um psicopata! Esses, inclusive, costumam ter a inteligencia acima da média e bastante frieza.

      Excluir
  7. Ué, quem acredita que a policia civil ou PM seja honesta com a população certamente não e brasileiro.

    ResponderExcluir
  8. Nossa... Até Hollywood de 2013 faria um script melhor do que esse.

    ResponderExcluir
  9. Acredito sim em grande parte dos policiais brasileiros Carlos, mas para mim esta história está muito mal contada. Na minha visão é um caso GRITANTE de queima de arquivo. Sem teoria da conspiração. Sou jornalista e acho lamentável a grande imprensa brasileira divulgar esta versão da polícia com tanta convicção. Não sei se uma criança desta idade, na verdade um adolescente, seria capaz de matar com tanta precisão, pela posição dos corpos dos pais se trata de uma execução e dois policiais não aceitariam ser executados sem luta corporal. Não reagiram porque tiveram a família e principalmente o filho ameaçado. Oportunismo e covardia chamar o menino de psicopata. Lamentável....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não reagiram porque estavam dormindo, já está claro que a única a despertar foi a mãe que morreu de joelhos, os demais - pai, avó e tia - morreram dormindo mesmo, inclusive sabe-se que uma delas usava antidepressivos o que torna o sono mais profundo. Por que o garoto foi à rua da escola de carro à 1 da manhã e ficou lá dentro até 6:30? Por que não se vê o carro seguindo adiante c/ outra pessoa guiando? Ou seja, o garoto sabia dirigir SIM, se sabia dirigir aos 13 e tendo os pais policiais por que não entenderia nada de armas? Podia SIM perfeitamente ter aprendido a manejar armas, inteligente ele era. Se foi ameaçado ou coagido teria demonstrado pânico, não tinha mais nada a perder porque tava todo mundo morto na casa dele, especialistas afirmam que executores não se preocupam com cena de crime, limpeza, assepsia e cuidado com ruídos, eles executam e vão embora, foda-se se fizeram barulho, derrubaram porta ou quebraram objetos em luta corporal, no entanto a casa estava em perfeita ordem como se todos dormissem. Uma certeza absoluta não se vai ter nunca por que não ficou carta ou posts de rede social p/ anexar à investigação, mas que esse menino podia ser perturbado, podia sim perfeitamente, e não é oportunismo tampouco covardia se dizer isso enquanto possibilidade, porque até agora ele só é apontado como 'suspeito', vc jornalista que é, deve saber bem o peso da palavra.

      Excluir
  10. Não reagiram pq o menino deve ter pego o remédio da avó e dado pra todo mundo dormir, se fosse execução feita por bandidos, ninguém estaria deitado na cama, pois teria tido sim luta corporal e sangue espalhado pela casa toda, até para colocar os corpos aonde foram encontrados.

    ResponderExcluir
  11. O mio babbino caro
    Quem responde por esses desmandos todos, PM, DENARC, SIEMENS... é o governador Geraldo Alckmin do PSDB.

    ResponderExcluir
  12. Eles devem pensar que a gente acredita em papai noel, coelho da pascoa, no PT, nos politicos de SP e do resto do pais, ou que a gente acredite que politico pensa no povo (da familia deles), ou acredite que não exista policial bandido e que um menino de 13 anos.... mata todo mundo e depois vai .... pra escola.... hummm. acho que já vi isso... matou a familia e foi ao cinema... inventa outra que essa não dá mais pra engolir....

    ResponderExcluir
  13. o remedio da avó era pra angina... e nao pra insonia...

    ResponderExcluir